Tag Archives: socialismo

O efeito Sócrates (agora em Paris).

Hollande vai acabar com os trabalhos de casa
Por: Redacção/CL | 10- 10- 2012 (TVI 24)

Nota: Pensa-se que estará para breve a doação a cada criança francesa de um computador Caboto.

Advertisements

Recordar Veneza (para não pensar em Portugal).

As notícias que fui lendo ontem diziam que as incompetentes decisões dos caros gestores da banca pública portuguesa da década passada causaram um prejuízo monumental; que os governantes actuais continuam a “fomentar a emigração” dos melhores recursos deste país, por que a única coisa que sabem fazer para “combater a crise” é aumentar estupidamente os impostos; que as forças de segurança nacionais decidiram participar em todas as acções de protesto convocadas pelas centrais sindicais, seja a CGTP seja a UGT

A bem da minha sanidade mental prefiro partilhar convosco un ricordo de Venezia.

Nós, as crianças com ‘chip’ em Matosinhos e a Liberdade.

Nós é uma sátira futurista distópica, geralmente considerada o berço do género (…). O livro leva a extremos os aspectos mais totalitários e o conformismo da sociedade industrial moderna, descrevendo um Estado que acredita que o livre-arbítrio é a causa da infelicidade e que a vida dos cidadãos deve ser controlada com precisão matemática baseada nos sistemas de precisão industrial …
Nós (romance), na Wikipedia

A Junta de Matosinhos apresenta segunda-feira uma mochila escolar com um localizador de GPS dissimulado, que permite aos pais perceberem se os filhos se desviam das suas rotas normais.

O produto, que não é mais do que uma nova versão do Child Locator já comercializado, por 359 euros, pela Inosat, desde 2009 – … – estará dissimulado no saco. “Os pais só dizem aos filhos se quiserem”, assinalou ao PÚBLICO Luís Martins, da empresa de marroquinaria que o produz, …
Junta de Matosinhos quer crianças com GPS nas mochilas escolares,  01.09.2012, Abel Coentrão, no Público

“Aqueles que abrem mão da liberdade essencial por um pouco de segurança temporária não merecem nem liberdade nem segurança”.
Benjamin Franklin, Liberdade, na Wikiquote

Como eles estão quase, quase, iguais aos que os antecederam.

Ou, o laranja como uma variante do rosa com mais amarelo no vermelho.

1. Os almoços grátis (para alguns, à custa dos outros que não almoçam).

Carregar veículos eléctricos vai continuar a ser gratuito
Lúcia Duarte, 02/01/2012, portal Planetazul

2. Os brindes para a clientela (das berças e dos arredores).

Governo vai lançar em 2012 programa de estímulo à economia de base regional e local
19 de Dezembro de 2011, jornal Arquitecturas

3. E, do seio da própria república o benefício para os amigos grandes (do peito e da esperada generosidade futura).

Governo deve aprovar hoje benefícios fiscais para sete projectos de investimento
Celso  Filipe, 05 Janeiro 2012, jornal Negócios

Para ficarem mesmo, mesmo, iguais só falta o coelho assumir o grande general que há em si e conduzir definitivamente o seu povo para Water ship down (“navio água abaixo”).

Nota: Isto dito com a certeza de quem esperou 6 meses e 20 dias para o dizer.

Uma nova tragédia se prepara a Oriente.

Depois da explosão de instabilidade política no Norte de África e do seu avanço pelo Médio Oriente, uma nova e potencialmente mais mortífera tragédia se prepara no Extremo Oriente, mais precisamente na China.

China 2011 - 3.º ano de seca.BEIJING: Wide swathes of northern China are suffering through their worst drought in 60 years…
Some areas have gone 120 days without any significant rainfall, leaving more than five million hectares (12.4 million acres) of crops damaged…
In some areas, the earth is all cracked up and if rain does not fall in the next few weeks, the wheat that farmers sowed in autumn might not even germinate when the weather warms up.

(China’s drought could have serious global impact, 02 February 2011, Channel NewsAsia)

Após três anos seguidos de seca, parece iminente uma repetição da, ainda tão recente, Grande Fome – em todos os seus aspectos.

Sempre que os socialismos no poder violentam os povos com os seus planos visionários de “desenvolvimento e modernidade” milhares de pessoas sofrem, morrem, são destruídas.

Não há maneira de evitar considerar a ideia da impossibilidade do socialismo.

Julgar os outros por si mesmos.

Usar criancas para propaganda.A criatura que actualmente supõe representar a Educação em Portugal, veio hoje afirmar aos microfones da TSF que “é indigno usar crianças” nas manifestações de protesto contra a sua unilateral quebra dos contratos de financiamento de ensino público em escolas privadas.

Não é por acaso que a criatura utiliza a palavra ‘usar’. Quem tem por hábito usar as crianças (e os velhos, e os desempregados, e os fragilizados em geral) não consegue perceber quando “alunos, professores, pais, direcções escolares, educadores não docentes, antigos alunos se juntam para gritarem e manifestarem o quanto gostam da sua escola“.

Parece que o mundo está a mudar… outra vez.

Bolha1. A Banca portuguesa (e não só) afunda-se novamente em problemas.

Alegada burla que pode ascender a 80 milhões de euros com a conivência da administração do Banco motiva mega-operação da Polícia Judiciária que envolve buscas em vários locais e que já fez um detido. …
(Investigação BPN – Mega operação da PJ faz novas detenções, 26 Outubro ’10, RTP Notícias)

Hum! A propósito: Isto é capaz de afectar negativamente o negócio da venda do banco, não?

A Fitch cortou o rating do banco Montepio Geral de A- para BBB-, mantendo o rating do banco sob vigilância negativa, que indica uma revisão da nota dada ao banco, possivelmente para novo corte. …
(Fitch corta rating do Montepio de A- para BBB-, 21 de Outubro de 2010, Diário Digital)

Ops! A propósito: Como vai o negócio de aquisição do Finibanco?

A agência de notação financeira Fitch baixou, em dois níveis, a sua classificação de longo prazo para o espanhol Banco Popular e um nível na classificação de curto prazo. …
(Fitch corta “rating” do espanhol Banco Popular, Marta F. Reis/Lusa ,14 de Julho de 2010, jornal i)

Esta é notícia mais antiga, mas nem por isso menos actual. O Banco Popular espanhol – e o seu correspondente em Portugal – é o banco comercial (todos os outros são as chamadas Caixas de Crédito) mais afectado pela crise do imobiliário em Espanha – e também por cá (Banco Popular Portugal, SA é a nova designação do Banco Nacional de Crédito Imobiliário). A necessidade desesperada de (re)financiamento é bem patente na agressividade e nas super-condições das novas campanhas publicitárias, como a “PME Power” e a “Depósito Ouro” por exemplo. Quem vos avisa…

2. Os governos socialistas por essa Europa estão a cair ou já caíram.

Primeiro, foram os alemães que substituíram os sociais-democratas pelos liberais na coligação governativa.

A seguir, os ingleses trocaram o quase perpétuo governo trabalhista pela coligação de conservadores com liberais.

Agora, é o compañero Zapatero que, aqui mesmo ao lado, está à beira da despedida – ou de ser despedido – da governação.

Então, e o incrível primo-ministerial líder da lusa gente? Ainda não deu por nada? Terá ficado distraído após o idílico encontro com o seu grande amigo Chavez? Tantos assessores e ninguém o avisa para que ele venha fazer o seu discurso virtual-optimista?

Desempregados ou servos dum Estado socialista feudal?

Aula medievalCerca de 250 mil desempregados que não têm o ensino secundário completo (12.º ano) vão começar a ser chamados ao longo do próximo mês para acções de qualificação nos centros de Novas Oportunidades, disse ao DN o secretário de Estado do Emprego, Valter Lemos. Essa será uma das condições para manterem o respectivo subsídio de desemprego. …
(250 mil sem emprego chamados a receber formação, 23/10/2010, Carla Aguiar, DN Bolsa)

Como as oportunidades não podem ser – por definição – obrigatórias, proponho ao (pelos vistos, iletrado) Lemos a mudança de designação da coisa para Novas Obrigatoriedades.

Alegre socialista, triste democrata.

Alegre socialista - triste democrataO candidato a presidente da República  Manuel Alegre afirmou numa “mensagem que será transmitida aos portugueses residentes na Venezuela na quinta feira” que “A democracia faz-se com a participação ativa de quem sabe o que custou a obter…”.

Errado. Erradíssimo!

A democracia faz-se com a participação activa de todos os cidadãos. Todos – saibam ou não o que custou a obter.

Qualquer verdadeiro democrata sabe que é assim.

A enorme clientela do estado socialista e a depredação da nação.

Roman Cursus HonorumSó agora houve, aqui no jardim, disponibilidade para mondar comentar os resultados deste “barómetro mensal da Eurosondagem para a Renascença, SIC e Expresso”, trazido ao nosso conhecimento pela sempre atenta e informada Helena Matos, através deste postal no blogue Blasfémias.


De acordo com o barómetro mensal da Eurosondagem para a Renascença, SIC e Expresso, o Partido Socialista foi o único que subiu nas intenções de voto.
O Verão correu bem ao PS, que sobe pelo segundo mês consecutivo. Os socialistas ultrapassam o PSD e regressam à liderança nas intenções de voto, o que não acontecia desde Maio.

Após todo este tempo no poder e todas as malfeitorias perpetradas, este resultado do partido socialista só pode ter uma de três explicações possíveis:

1. A sondagem está viciada.
Apesar de todas as limitações decorrentes do método utilizado e do período escolhido (ver a ficha técnica da sondagem no final da notícia), não é muito plausível que haja vício deliberado dos resultados.

2. Os portugueses ensandeceram de vez.
Seria praticamente impossível um tão grande número de pessoas ter aparvalhado simultaneamente – mesmo com recurso às mais elaboradas teorias da conspiração .

3. A clientela do partido socialista no poder é esta – 1/3 dos eleitores deste país, descontados os 10% de “rolhas” que estão sempre ao lado dos que… estão por cima.
Hum! Esta hipótese é bastante mais plausível – tendo em consideração o significado da palavra clientela em política.

Esta é, aliás, também uma excelente explicação para a delapidação acelerada da “fortuna do patrono”, neste caso a dívida pública do Estado. É que não há fortuna que aguente, não há dinheiro que chegue, para tanto cliente, mesmo explorando e taxando altamente todos os outros.