Tag Archives: promessa

Holding On (Perseverando).

Na realidade, tendes necessidade de perseverança, para que, tendo cumprido a vontade de Deus, alcanceis a promessa.
Hebreus 10:36

You need to persevere so that when you have done the will of God, you will receive what he has promised.
Hebrews 10:36 (32-39)

Holding on
Standing strong upon your word
Holding on
All your promises are sure (x2)

Oh Lord we seek your face
Have your way
We’re longing for more of you
When the enemies surround me
I know you are here
Your light is brighter than the darkens fear
For when two or more are gathered here
believing in your name
You said there will be victory and we’ll never be the same

Holding on…

Because of who you are
I will worship you
For your faithfulness
I will worship you Lord (x2)
(last one you end with: I will worship you…)

Promised Land*.

E mais ainda, eu estou contigo e te protegerei onde quer que fores; hei-de tornar a trazer-te com segurança a esta terra*. Serei contigo a todo o momento, a fim de te dar tudo quanto te estou a prometer.
Genesis 28: 15

*The land of the Valiant (latin Valentiae), understand he who can. / A terra dos Valentes, entenda quem puder.

The Revolutionary.

A ascensão de Jesus  sobre a colina de Betânia – excerto do filme The Revolutionary (O Revolucionário).

Clique aqui e depois aqui para ver o filme completo.

Agora vou mandar-vos o Espírito Santo para que desça sobre vocês, tal como prometeu meu Pai. Permaneçam aqui na cidade até que o Espírito Santo vos encha de poder do céu. Jesus levou-os pelo caminho de Betânia e, levantando as mãos para o céu, abençoou-os. Então afastou-se deles e elevou-se até ao céu. Eles adoraram-no e regressaram a Jerusalém, cheios de alegria. E estavam continuamente no templo, louvando Deus.
Lucas 24: 46-53

Complementary: Jesus Christ: Revolutionary, Liberator

Promessas, promessas…

Yes please - thank you“Sem Orçamento, o Governo demite-se”, afirma Silva Pereira
24.09.2010, Por Leonete Botelho, Nuno Simas, Público
É o tudo ou nada: o Governo pôs ontem a fasquia no limite máximo, ao ameaçar demitir-se caso o PSD não viabilize o seu Orçamento de Estado para 2011. E este considera uma cláusula que Pedro Passos Coelho já garantiu ao primeiro-ministro não aceitar: o aumento de impostos,…

Pentecostes – o quinquagésimo dia.

Ticiano - A descida do Espírito Santo sobre os ApóstolosO Dom do Espírito Santo – Quando chegou o dia do Pentecostes, encontravam-se todos reunidos no mesmo lugar. De repente, ressoou, vindo do céu, um som comparável ao de forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde eles se encontravam.
Viram então aparecer umas línguas, à maneira de fogo, que se iam dividindo, e poisou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito lhes inspirava que se exprimissem.
Ora, residiam em Jerusalém judeus piedosos provenientes de todas as nações que há debaixo do céu. Ao ouvir aquele ruído, a multidão reuniu-se e ficou estupefacta, pois cada um os ouvia falar na sua própria língua.
Atónitos e maravilhados, diziam: «Mas esses que estão a falar não são todos galileus? Que se passa, então, para que cada um de nós os oiça falar na nossa língua materna?

Actos dos Apóstolos 2, 1-8

If I was not so perfectly sure of this:

Se eu não tivesse a perfeita certeza disto:

.
.

today could have not been a nice day:

hoje podia não ter sido um dia bom:

.

Hypocrites

23 Condenação do Farisaísmo (Mc 12,38-40; Lc 11,39-52; 20,45-47) – 1*Então, Jesus falou assim à multidão e aos seus discípulos: 2*«Os doutores da Lei e os fariseus instalaram-se na cátedra de Moisés. 3Fazei, pois, e observai tudo o que eles disserem, mas não imiteis as suas obras, pois eles dizem e não fazem. 4*Atam fardos pesados e insuportáveis e colocam-nos aos ombros dos outros, mas eles não põem nem um dedo para os deslocar. 5*Tudo o que fazem é com o fim de se tornarem notados pelos homens. Por isso, alargam as filactérias e alongam as orlas dos seus mantos. 6Gostam de ocupar o primeiro lugar nos banquetes e os primeiros assentos nas sinagogas. 7Gostam das saudações nas praças públicas e de serem chamados ‘mestres’ pelos homens. 8*Quanto a vós, não vos deixeis tratar por ‘mestres’, pois um só é o vosso Mestre, e vós sois todos irmãos.

Evangelho de S. Mateus

O vigésimo quinto dia de Abril.

Homenagem aos portugueses que quiseram conquistar a liberdade.

Há 34 anos atrás, um punhado de portugueses ousou sonhar a liberdade até ao ponto de arriscar tudo para a conquistar.

Depois… bem, depois vieram os oportunistas, os das organizações e negociaram o que não conquistaram, em nome de um povo que não os escolheu. Enfim, o costume, como os professores tão bem ficaram a saber recentemente.

Sou grato, profundamente grato àqueles que nada tomando para si me permitiram viver em liberdade durante cerca de 30 anos, entre 1975 e 2005. Todos os portugueses deveriam ser gratos. Portugal em 1974 era um país atrasado, isolado, gritante de pobreza e analfabetismo nas classes mais humildes – a maioria da população.

Muitos são os que já nasceram depois desse momento histórico. Outros eram demasiado pequenos para perceberem o que se passou. Muitos outros esqueceram o tempo antes e alguns nunca admitirão que era mau.

Eu não esqueci, não esquecerei até à morte, assim Deus me ajude. Por isso aqui expresso a minha gratidão e deixo a minha homenagem: Bem-hajam capitães.

Bem-hajam também aqueles que tiveram a coragem de, no dia 25 de Novembro, uma vez mais, conquistar o direito de Portugal ser livre de qualquer espécie de ditadura. Porque de esquerda ou de direita, frontais ou dissimuladas, azuis ou cor-de-rosa, todas elas suprimem a liberdade à nação.

Obrigado Senhor, por teres permitido a Liberdade a esta terra, a este povo que a ansiava, durante todo este tempo.

Infelizmente, outros tempos chegam, outras gerações. Gente que não dá valor à liberdade, porque ela nunca lhes faltou e lhes parece coisa certa. Gente que troca a liberdade pelo dinheiro, o ser pelo ter. Gente para quem o bem-estar e a segurança é viver num condomínio fechado com piscina e “spa”. Gente para quem qualidade de vida é ter um carro de luxo, roupas e sapatos de marca, telemóveis com internet e televisão, mesmo que para ter tudo isso deixem de ter tempo para apreciar a existência, a sua e a dos seus. Gente arrogante cujo Deus é o dinheiro, que pensa que a vida e a morte lhes pertencem. Que tolos! Só quando ela (a liberdade) lhes faltar, quando vier a angustia da opressão da “gaiola dourada”, lhe saberão o verdadeiro valor: mas então será tarde, porque já a perderam.

Voar
A liberdade é um estado difícil, semelhante ao voo de uma ave. Requer, primeiro, o esforço da subida, o atingir a elevação necessária. Em seguida, para se manter necessita de resistência e equilíbrio. Não traz em si qualquer recompensa material. Limita-se a dar uma visão ampla sobre a vida e o mundo. É apenas(?) uma forma de estar, um êxtase, uma leveza de ser. É a contínua busca da perfeição, do inatingível, de Deus. É o esplendoroso e cansativo caminho dos Fernãos Capelos Gaivotas que vêm a este mundo, quais anjos de dádiva e inspiração espiritual.

Até à liberdade última, plena e eterna, aquela que Cristo veio trazer a toda a humanidade.

“Ora, o Senhor é o Espírito e onde está o Espírito do Senhor, aí está a liberdade.” (2ª Corintios 3, 17)

“Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes, e não vos sujeiteis outra vez ao jugo da escravidão.” (Gálatas 5, 1)

“Irmãos, de facto, foi para a liberdade que vós fostes chamados. Só que não deveis deixar que essa liberdade se torne numa ocasião para os vossos apetites carnais. Pelo contrário: pelo amor, fazei-vos servos uns dos outros. É que toda a Lei se cumpre plenamente nesta única palavra: Ama o teu próximo como a ti mesmo. Mas, se vos mordeis e devorais uns aos outros, cuidado, não sejais consumidos uns pelos outros.” (Gálatas 5, 13 a 15)

“Aquele, porém, que medita com atenção a lei perfeita, a lei da liberdade, e nela persevera – não como quem a ouve e logo se esquece, mas como quem a cumpre – esse encontrará a felicidade ao pô-la em prática.” (Tiago 1, 25)