Tag Archives: possessão

Deus opõe-se aos soberbos*

Excerto de um texto de opinião do P.e Nuno Serras Pereira, publicado ontem no blogue Logos:

Ao que tudo parece indicar teremos eleições legislativas dentro de, mais ou menos, dois meses. O diabo vai de novo seduzir e esbravejar, encantar e assustar. …

Confirmando, se necessário fora, que Portugal precisa urgentemente de ser exorcizado.

*Deus opõe-se aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes.
Humilhai-vos, pois, debaixo da poderosa mão de Deus, para que Ele vos exalte no devido tempo. Confiai-lhe todas as vossas preocupações, porque Ele tem cuidado de vós.
Sede sóbrios e vigiai, pois o vosso adversário, o diabo, como um leão a rugir, anda a rondar-vos, procurando a quem devorar.

1ª Pedro 5, 5-8

Fiquem alerta! Cuidado com o vosso grande inimigo

Portugal precisa urgentemente de ser exorcizado.

1.ª página, Diabo, 23-Nov-2010O ladrão não vem senão para roubar,

Aumento contínuo da carga fiscal sobre os portugueses, intimidação fiscal – com recurso a penhoras e confisco de bens -, aumento de todas as despesas administrativas na relação da administração com os cidadãos – taxas, licenças, coimas, redução dos salários dos funcionários públicos, dos abonos de família e das prestações sociais em geral, …

matar,

Aprovação da lei (dita) da interrupção voluntária da gravidez (lei do aborto pago pelos contribuintes), aprovação do projecto de lei (dito) das directivas antecipadas da vontade ou testamento vital (eutanásia passiva), …

e destruir. (João 10, 10)

Destruição da base de sustento económico de centenas de milhar de indivíduos e famílias – mais de 200 mil empregos, milhares de pequenas e micro empresas familiares, … –, destruição da instituição do casamento – forçando por lei a igualitarização com os relacionamentos entre homossexuais –, destruição do sistema de ensino público, do sistema de saúde pública, do sistema judicial, … em suma, destruição da esperança para os portugueses, impondo a precariedade laboral, a pobreza, a miséria, … que, ainda por cima, agora se quer calar em nome de um qualquer politicamente correcto.

Alguns fariseus disseram-lhe, do meio da multidão: «Mestre, repreende os teus discípulos.» Jesus retorquiu: «Digo-vos que, se eles se calarem, gritarão as pedras.» (Lucas 19, 39-40)