Tag Archives: pós-socialismo

Aprovada a adopção de crianças por pares de homossexuais – o estupro da democracia.

– Num país com mais de 1 milhão de desempregados e mais de 2 milhões pessoas a viverem em estado de extrema pobreza;
– Num país onde as desigualdades sociais e económicas continuam a crescer sem cessar;
– Num país em que grassa a precaridade laboral e campeia a corrupção;
– Num país… (esta lista podia alongar-se muito)

uma das primeiras leis que os deputados da Assembleia da República – acabados de ser eleitos para uma nova legislatura – aprovam, é uma lei que permite a adopção de crianças por pares de homossexuais.

E, chamam a isso uma “vitória da democracia”.

democracy - 2 wolves 1 lamb votingMas não é. É um abuso da democracia.
A democracia é a expressão da vontade da maioria e a maioria, a esmagadora maioria dos portugueses, não mandatou os deputados para aprovarem isto.

Esta é uma lei ‘contra naturam’. Por isso, e sem ser necessário qualquer julgamento de carácter moral, pode afirmar-se que esta é uma lei criminosa (esta é mais uma lei criminosa) contra aqueles membros da sociedade que não podem defender-se, as crianças.

Nota 1: Se quisesse fazer algum julgamento de carácter moral diria apenas que só os cobardes é que maltratam (e matam) os indefesos.

Nota 2: Se não percebem por que razão afirmo que uma acção ‘contra naturam’ é uma acção criminosa, pensem que as mesmas pessoas que fizeram e aprovaram esta lei se afirmam ecologistas e consideram criminosa qualquer acção contra a Natureza. E, são estas mesmas pessoas que fizeram e aprovaram a lei do aborto que consideram criminosas as touradas, as experiências laboratoriais em ratos e a pena de morte para os homicídas – só para dar alguns exemplos da estúpida incoerência.

Advertisements

O governo de salvação… do ‘pão para a boca’ dos privilegiados.

Não me apetecia nada escrever sobre este assunto, mas fui-me enojando progressivamente nas 2 últimas semanas até à náusea completa. Em 3 fases:

1.ª Foi iniciada a campanha de limpeza da imagem de algumas das mais sinistras figuras que jamais passaram pelos governos em Portugal, as quais são responsáveis pela destruição económica e social do país. Estas figuras deveriam estar a responder nas barras dos tribunais pelo que fizeram aos portugueses, tal como aconteceu aos governantes islandeses. Mas, por cá não só ficam impunes como ainda as instituições políticas lhes abrem as portas para novas oportunidades de voltarem a fazer o mesmo.

Vou dizer devagarinho, para todos poderem perceber: Quem_ criou_ o_ problema_ não_ pode_ fazer_ parte_ da_ solução.

2.ª Andam por aí umas forças políticas disfarçadas de movimentos de cidadania a pedir ao senhor Silva a constituição de um governo de iniciativa presidencial. Ora, tais forças sabem muito bem (ou tinham obrigação de saber) que após Ramalho Eanes a Assembleia Legislativa, furiosa com a iniciativa presidencial, retirou à presidência da República o poder de constituir governos sem o seu aval. O problema é que, tal como muito bem dizia Richard Buckminster Fuller, os políticos estão sempre a manobrar de forma realística para as próximas eleições mas estão ultrapassados no que respeita à resolução de problemas fundamentais. O problema é o tipo de gente que controla actualmente os aparelhos partidários e, através deles, a legislatura e o Estado.

Vou dizer devagarinho, para todos poderem perceber: Quem_ faz_parte_do_ problema_ não_ pode_ fazer_ parte_ da_ solução.

3.ª Contudo, nojento até ao vómito é vir um grande amigo dos “mais pobres”, o qual – consta por aí – terá proventos (pagos pelo erário público) de 500 mil euros mensais, afirmar publicamente que os portugueses (alguns já passando fome) precisam que o partido dele faça parte de um “governo de salvação nacional” “como de pão para a boca”. Tal como muito bem recordou um amigo meu há apenas 2 dias atrás, as alianças entre liberais e socialistas que pretendem conduzir reformas políticas podem acabar num assalto ao palácio de Inverno.

Vou dizer devagarinho, para toda a gente poder perceber: Quem_está_na_raiz_do_problema_não_pode_fazer_parte_da_solução.

Animal Farm Card by Sharon

O efeito Sócrates (agora em Paris).

Hollande vai acabar com os trabalhos de casa
Por: Redacção/CL | 10- 10- 2012 (TVI 24)

Nota: Pensa-se que estará para breve a doação a cada criança francesa de um computador Caboto.

Vai uma “Cuba Libre”?

(mais) Uma história de Coragem e blogues.

O interessante blogue Sanpadjud chama a atenção para as prepotências do aparelho de Estado cubano sobre a autora do blogue Generation Y*, a cubana Yoani Sánchez.

“A autora do blogue “Generación Y”, Yoani Sánchez, não conseguiu autorização para sair de Cuba.
Yoani Sánchez que não é jornalista reside em Havana e foi galardoada com o prémio Ortega y Gasset de Jornalismo na categoria “Jornalismo digital” prémio que lhe seria entregue hoje em Madrid mas Raúl Castro não lhe deu autorização para sair do país.
O blog fala do quotidiano de Cuba, lança muitas interrogações sobre a situação política e social vivida no país e por diversas vezes a censura cubana já bloqueou os acessos. …” (Ler tudo)

Urge (también para nosotros) encontrar “… alternativas ao capitalismo diante do colapso da experiência socialista …”.

A história da Yoani resumida em espanhol e em inglês:



A questão da “compressão” da liberdade de expressão – em especial aquela que é portadora de verdades incómodas – pelas Utopias do pós-socialismo dava uma belíssima tese também por cá, pelas terras Do Portugal Profundo… em altura de Páscoa e de Domingo.

*De notar a finta irónica da autora à censura quando explica a quem se dirige o blogue (Geração Y): Generación Y es un Blog inspirado en gente como yo, con nombres que comienzan o contienen una “y griega”.

“Pela 1ª vez na história”, sócrates dixit

Há notícias que parecem ter sido propositadamente redigidas para demonstrar isto:

estupidez

Senão vejamos:

“Portugal vendeu, no ano passado, «pela 1ª vez na história», mais tecnologia do que importou, consequência da «aposta estratégica» feita há três anos nas energias renováveis.O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, José Sócrates, …” (Portugalmail Notícias, Portugal regista aumento de venda de tecnologia, 5 Maio, 2008 – 15:45)

De notar o extremo cuidado do jornalista em colocar entre aspas os exactos dizeres do declarante e de escrever história com letra minúscula, numa notável tentativa de minorar a demonstração de ignorância.

Faça-se, ainda assim, a pergunta: Qual história? A da Carochinha ou a do Pinóquio?

Um bocadinho de cultura daria muito jeito a algumas pessoas. Ou, na sua falta, um bocadinho de humildade, que é coisa que fica sempre bem a qualquer um.

Contudo, o dislate não se fina por aqui. Vejamos a continuação:

“… José Sócrates salientou tratar-se de mais um exemplo de como «as multinacionais estão satisfeitas com a economia e com a capacidade dos portugueses». …” (Portugalmail Notícias, Portugal regista aumento de venda de tecnologia, 5 Maio, 2008 – 15:45)

As multinacionais? Mas que grande… socialista! Talvez mesmo filho dum grande… pós-socialismo!