Tag Archives: político

A quaresma de Jesus Cristo e o despertar político global.

Ou, de como Jesus é o paradigma de todos aqueles que lutam pela libertação dos povos da (chamada) ordem estabelecida.

Deve ter sido mais ou menos por altura do início deste período que hoje designamos por quaresma[1] que o Sinédrio condenou Jesus à morte, transformando-o num foragido na sua própria terra.[2]

(Mas, já antes disso ele era perseguido por quase todos os poderes políticos e religiosos do seu tempo[3]. E, mesmo isso não o impediria de entrar triunfantemente em Jerusalém pouco tempo depois, no Dia de Ramos.)

Perante isto, Jesus afasta-se (uma vez mais) de Jerusalém com os discípulos e procura refúgio em Efraim, a Norte, junto ao deserto.[4] E, quando volta a Jerusalém para celebrar a sua última Páscoa tem o cuidado de não pernoitar aí mas nos arredores, em Betânia[5] ou no Monte das Oliveiras.[6]

O mais significativo, contudo, é que durante todo este período de tempo Jesus, o conjecturado fora-da-lei, apareça todos os dias em público e as alegadas autoridades tenham esperado a calada da noite para o prenderem (como fazem sempre as polícias políticas):

Então Jesus falou para aquela gente: Serei por acaso algum bandido perigoso, que vos fosse preciso armarem-se com espadas e paus para me levarem preso? Todos os dias estava convosco a ensinar no templo e não me prenderam. (Mateus 26: 55-56)


[1] A Páscoa dos judeus estava próxima, e muitos daquela província entraram em Jerusalém antes da data para poderem proceder primeiro à cerimónia da purificação. (João 11: 55)

[2] Os principais sacerdotes e os fariseus convocaram o supremo conselho para discutir o caso. Que vamos fazer?, perguntavam-se uns aos outros. … Um deles, Caifás, que naquele ano era supremo sacerdote, disse: Vocês não percebem nada. Deixem este homem morrer pelo povo. Porque é que se há-de perder toda a nação? … A partir daí, começaram a planear a morte de Jesus. (João 11: 47, 49-50, 53)

[3] Então os dirigentes judaicos tornaram a pegar em pedras para o apedrejar. Jesus perguntou: Por ordem de Deus fiz muitas obras boas. Por qual dessas obras querem agora matar-me? … Uma vez mais procuravam prendê-lo. Ele, porém, afastou-se e deixou-os. Atravessou o rio Jordão até ao local onde João andara primeiro a baptizar, e muitos o seguiam. (João 10: 31-32, 39-40)

[4] Jesus já não andava manifestamente em público. Saindo de Jerusalém, dirigiu-se para a proximidade do deserto, para a localidade de Efraim, onde ficou com os discípulos. (João 11: 54)

[5] Entrou, pois, em Jerusalém e dirigiu-se para o templo. Reparou atentamente em tudo à sua volta e foi-se embora, pois a hora já ia adiantada naquela tarde, retirando-se para Betânia com os dozes discípulos. (Marcos 11, 11)

[6] Todos os dias Jesus ia ao templo ensinar, e as multidões começavam a juntar-se logo pela manhã para ouvir. E ao fim do dia voltava ao Monte das Oliveiras para aí passar a noite. (Lucas 21: 37)

O fim da dominação dos falsos socialistas incompetentes.

Foi possível, finalmente, dar uma leitura (ainda que parcial e rápida) ao Memorando de Entendimento nos Condicionamentos Económicos Específicos da Política Económica para Portugal, estabelecido com o FMI/BCE/EU com vista a permitir o empréstimo para resgate da dívida pública portuguesa – aproveitando gratamente a tradução feita pela equipa do blogue Aventar.

A primeira e mais importante conclusão que é possível tirar, é aquela expressa no título do presente texto: a de que acabou a dominação dos falsos socialistas incompetentes que conduziram a Administração Pública portuguesa à insolvência, o país à estagnação económica e uma parte substancial do povo à penúria.

Ao contrário do que acontece usualmente neste país, os responsáveis pelo descalabro são reconhecidos como tal e podem mesmo ser apontados. São eles os (ainda) primeiro-ministro e ministro da Finanças – ajudados até certa altura pelos (tristemente famosos) Pino e Lino. Estes indivíduos são responsáveis pela destruição da subsistência, nalguns casos da vida, de muitos milhares de pessoas. Só no limitado âmbito dos meus relacionamentos conheço duas dezenas de casos. Estes indivíduos têm que prestar contas, têm que ser levados à justiça pelas associações representativas daqueles que destruíram (e continuam a destruir) de forma deliberada e calculista.

Lê-se e ouve-se por aí que as condições deste Memorando obrigam à suspensão da democracia. Não é verdade. Esta é a segunda mas não menos importante conclusão. O que este Memorando faz é suspender o actual pseudo-socialismo cleptocrático. Qualquer pessoa que conheça o significado da palavra sabe que a democracia foi suspensa em Portugal pelo primeiro governo de José Sousa, vulgo Sócrates, em 2005. (Seria essa, aliás, a razão que conduziria à fundação deste blogue, mas esse assunto será explanado num dos textos seguintes.)

É preciso sabDemon possessed pigs.er olhar para além das aparências. Sócrates e a sua camarilha vão usar todos os truques e enganos para tentarem iludir (e iludir-se quanto) aquilo, que já sabem (sim, eles já sabem), irá acontecer. Eles são mestres nas artes das aparências. Mas a realidade é esta: toda a dominação tem um fim e esta dominação sobre os portugueses acabou.

Então, os espíritos malignos saíram do homem e entraram nos porcos, e a vara, cerca de uns dois mil, precipitou-se do alto no mar e ali se afogou.
Marcos 5, 13

A terceira conclusão não é, infelizmente, tão positiva como as anteriores. É mais um aviso. As medidas preconizadas no Memorando não resolvem o problema estrutural da falta de crescimento da Economia portuguesa. Sendo isto uma coisa tão óbvia, é caso para perguntar se não será também deliberada da parte daquelas Economias que pretendem (sem rebuço, sequer) dominar a União. É que, depois de convencerem os governantes destes país, com falas mansas e subsídios, a demolir durante trinta anos as actividades produtivas básicas para a subsistência – a agricultura e as pescas – e as indústrias básicas tradicionais – os têxteis e o calçado –, estão agora a criar as condições para a colonização completa do país pelas poderosas empresas industriais e comerciais alemãs e espanholas, principalmente (já iniciada, aliás: basta atentar na origem dos bens que os portugueses compram).

Desta forma, o caminho de Portugal não será diferente do da Grécia e da Irlanda – a total dependência económica e a total submissão política. Ou, em alternativa, a saída da moeda única.

Uma sociedade que troca um pouco de liberdade por um pouco de ordem acabará por perder ambas, e não merece qualquer delas.
Thomas Jefferson (1743-1826), carta a James Madison
.

Como se ‘papam’ votos aos ‘apanhados’ da bola.

Luís Figo terá recebido 750 mil euros da Portugal Telecom (PT) para aparecer num pequeno-almoço em Belém, no último dia de campanha de José Sócrates, de acordo com a edição deste sábado do Correio da Manhã, que adianta que o «negócio» consta das escutas retiradas do processo «Face Oculta».
Um dos administradores da PT, Rui Pedro Soares, teria pedido ao seu assessor jurídico, Paulo Penedos, para preparar minutas de contrato para pagar ao antigo internacional português, o que acabou por ser feito em três tranches, através de transferências feitas para a Fundação Luís Figo. …

(Figo terá recebido dinheiro para apoiar Sócrates, diz jornal, 13-02-2010, Diário Digital)
.
O Polvo
… o que importa é eles saberem que há sempre um poder invisível, um Panopticon, um ser omnividente e invisível que os vê a eles…
.

Os novos poderes pedreiros financeiros.

Banco Português de Gestão.

.Sociedades Secretas - DVD

Accionistas principais:

– (grande loja) Fundação Oriente;
CONSELHO DE CURADORES
Prof. Doutor João José Fraústo da Silva
Presidente
Dr. Manuel Carvalho Fernandes
Dr. Francisco Murteira Nabo
Dr. Stanley Ho

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
Dr. Carlos Augusto Pulido Valente Monjardino
Presidente

– S.T.D.P. – Sociedade Transnacional de Desenvolvimento de Participações (S.G.P.S.), S.A.;
Membros do Conselho de Administração (cf. aqui)
STANLEY HUNG SUN HO – PRESIDENTE

– (grande tríade) Fundação Stanley Ho;

– (este) Carlos A.P.V. Monjardino.

.

Nota 1: Aqueles, espertos ambiciosos, que pensam que o dinheiro é todo igual e que a honestidade, ou a falta dela, na sua origem não conta, verão  daqui a algum tempo como estão enganados.

Nota 2: Como se pode ver, os tubarões originários das zonas tropicais, como o tubarão-tigre (“um predador perigoso, conhecido por se alimentar de um reportório notável de coisas“) e o tubarão-touro (“comem até tubarões da mesma espécie“) são muito mais perigosos dos que os seus congéneres das zonas temperadas, como o tubarão-branco (“diferem muito do que popularmente se lhes chama, máquinas de matar, segundo a lenda urbana“).

Homenagem a um lutador e companheiro recente.

Hoje mesmo a blogosfera, a liberdade, a democracia e a vida perderam um dos seus lutadores.

Não conheci pessoalmente Jorge Ferreira, mas tive já recentemente o privilégio de participar com ele no projecto temporário Novo Rumo.

Permanece na sua escrita para todos os que o leram e vierem a ler.

Isto não é grave… é gravíssimo!

“… Segundo fonte do Ministério Público (MP) ligada à área cível, “o poder político está a ter acesso ao teor das declarações dos arguidos em processos crime, sem autorização da CNPD”. …” (InVerbis, Base de dados da justiça à margem da lei, 19-Set-2008)

Costa da justiça

“… O novo sistema informático Citius permite o acesso em tempo real do poder político a todos os processos judiciais, mesmo os que estão sob segredo de justiça, permitindo mesmo introduzir alterações nos despachos de um juiz ou nas acusações de um advogado. …
Os juízes assinalam ainda que qualquer pessoa desta direcção-geral ou do ministério tem o chamado acesso de escrita, ou seja, o poder de alterar uma decisão de um juiz ou uma acusação elaborada por um procurador, sendo para isso apenas preciso aceder ao sistema com uma password de administrador. …”
(TSF, Juízes dizem que poder político tem acesso a processos mesmo em segredo de justiça, 29-Jan-2009)

 

O suicídio político da Dona Lurdes e…

o beco sem saída em que se colocou o Sousa (mais conhecido actualmente como sócrates).

 

Lurdes a condenada

 

Cronologia das incongruências da criatura:

Sábado, 8 de Novembro

A ministra da Educação afirmou, este sábado, em conferência de imprensa, que o processo de avaliação dos professores vai continuar. “Este não é o meu pior dia”, referiu, numa alusão à manifestação a decorrer em Lisboa. … (JN, “Este não é o pior dia” da ministra da Educação, 2008-11-08, Manuel Molinos)

Domingo, 9 de Novembro

“No final desta manifestação para mim ficou claríssimo do que é que estamos a falar: estamos a falar de pressionar a ministra da Educação porque é ano de eleições. Perante ameaças e chantagens deste tipo, a minha reacção é de uma total tranquilidade e de um sorriso”, disse. … (RR, Ministra fala em “pressões e ameaças”, 08-11-2008, CC)

Terça, 11 de Novembro

A Ministra da Educação voltou ontem, em Fafe, a reafirmar a sua determinação sobre a integral aplicação do sistema de avaliação do desempenho dos professores. … (Diário do Minho, Avaliação de professores é para levar até ao fim, 11-11-2008, Rui Lemos)

Quarta, 12 de Novembro

A ministra da Educação pediu esta quarta-feira «desculpa aos professores por ter causado tanta desmotivação» com a avaliação, mas Lurdes Rodrigues reafirma que o processo é para continuar. Porque é «do interesse do país, das escolas e dos alunos». … (Portugal Diário, Ministra da Educação: «Peço desculpa aos professores», 12-11-2008, Judite França)

Quinta, 14 de Novembro

A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, […] admitiu, pela primeira vez, que “uma parte da burocratização pode ter sido induzida pelo Ministério”. Mas revelou também ter já chumbado todas as moções aprovadas por professores pedindo a paragem do processo. Isto, numa altura em que continuam a crescer as tomadas de posição desta natureza. … (DN, Ministra rejeitou moções de professores contra a avaliação, 14-12-2008, Pedro Tavares)

A posição (improvável, impossível, insustentável) em que se colocou o capo ao apoiar a recusa do diálogo do Ministério com os movimentos não sindicais representativos dos professores:

O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu hoje que a avaliação dos professores vai continuar a ser feita nos moldes acordados com os sindicatos, classificando-a de “absolutamente fundamental” […] “Pode-se acusar o Governo de tudo, menos de não ter tentado negociar com os sindicatos” […] “Eu não estou disponível para esperar mais 30 anos para avaliar os professores. … (Público, Avaliação vai continuar nos moldes acordados com sindicatos, garante Sócrates, 12.11.2008, Lusa)

O modelo de avaliação dos professores terá mesmo de ser executado por todas as escolas. É a determinação do primeiro-ministro, que não podia ser mais claro na reacção às novas ofensivas dos professores e dos sindicatos, fechando mesmo as portas a cedências do Governo. […] As escolas não têm nenhum direito de suspender a avaliação”. Tudo em nome da melhoria e da modernidade do sistema educativo em Portugal. […] Entre muitos abraços e beijinhos, ao melhor estilo de uma boa campanha eleitoral … (CM, Escolas devem cumprir a lei, 13 -11-2008, Mário Fernandes/outros)

O suícídio é um acto de desespero. Os actos desesperados são a negação da racionalidade e da inteligência. Isso vai ficar provado quando o capo verificar que é no seu interesse descartar-se desta criatura sem valia política própria. Fica isto aqui registado para memória futura.