Tag Archives: oportunistas

Agora até pode acompanhar a Irene*

usando o serviço de acompanhamento da Google.

*Cuidado, que a Irene é uma verdadeira tempestade tropical. 😉

Os grandes moralistas do povo!

A impudência, o descaro, de Saldanha Sanches e Paulo Macedo.

No seu depoimento enquanto testemunha no julgamento do processo Casa Pia, o muito indignado (para fazer crer que é, também, um grande moralista?) Eduardo Ferro Rodrigues afirmou o seguinte, textualmente constante do jornal Público do dia 20-12-2007:

“O momento em que fiquei verdadeiramente espantado e tomei medidas de protecção dos dirigentes socialistas foi quando Saldanha Sanches [marido da procuradora do Ministério Público Maria José Morgado] foi à sede do PS dizer que o nome de Paulo Pedroso e o meu tinham sido relatados no processo”. …”

Há coisas que nos deixam tão indignados, que é melhor sufocar aquilo que nos apetece dizer a propósito. Felizmente, posso usar as palavras, cortantes mas correctas, do poste do Paulo no seu blogue Poviléu:

… O fiscalista Saldanha Sanches é aquele senhor que por tudo e por nada é chamado a opiniar sobre fraude e fuga ao Fisco.

Saldanha Sanches em matéria de Justiça, usando muito possivelmente ligações familiares, actuou à margem da Lei.

Perante a “denúncia” do seu “amigo” Ferro Rodrigues, Saldanha Sanches mantém-se em silêncio e a comunicação social também o não inoportuna.

Daqui a uns tempos voltaremos a ver Saldanha Sanches a apregoar mais moralidades e comportamentos éticos em matéria fiscal. …”

Contudo, acreditem ou não, há pior do que isto. Vejamos um excerto desta notícia:

Diário de Notícias

Quinta-feira, 14 de Abril de 2005
Edição Papel

Paulo Macedo foi alvo de execução fiscal por dívidas

Director dos Impostos pagou a Contribuição Autárquica dois anos depois do prazo
rudolfo rebêlo

Paulo Moita de Macedo, o director-geral dos Impostos, foi alvo de uma execução fiscal movida pelas Finanças de Benavente, relativo a uma dívida de Contribuição Autárquica – actual Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) – referente a 2001. Paulo Macedo confirma a dívida, admitindo que o pagamento só foi feito em Dezembro de 2004, cerca de meio ano depois de ter assumido as actuais funções .

Paulo Moita de Macedo, ao mesmo tempo que se insurgiu contra a “violação de segredo fiscal”, justificou o atraso no pagamento de pelo menos dois anos “por não ter recebido o aviso” para pagar.
“Uma desculpa”, diz um funcionário do Fisco que prefere manter o anonimato, “utilizada por muitos contribuintes devedores”. …”

Quem? O ex- Director Geral dos Impostos? O perseguidor fundamentalista do contribuinte com dívida? Aaah!

E insurgiu-se contra a “violação do segredo fiscal”? Quem? O ex-Director Geral dos Impostos? O criador da lista pública de devedores? Aaaaaah!!

Hipócritas

Ainda bem que há uma justiça maior.

Exactamente o mesmo Paulo Moita de Macedo que é mencionado nesta notícia:

“Notícia Jornal de Negócios

Publicado 24 Dezembro 2007

Paulo Macedo na lista de Santos Ferreira para o BCP

Paulo Macedo vai integrar a lista de Carlos Santos Ferreira para a administração do BCP, apurou o Jornal de Negócios. O ex-director Geral dos Impostos já estava na lista de Filipe Pinhal e transita para a lista de Santos Ferreira. O que não acontecerá com outros anteriores candidatos a administradores. Santos Ferreira, Armando Vara, Paulo Macedo são os únicos nomes confirmados pelo Jornal de Negócios.

Pedro Santos Guerreiro

…”

Para terminar, apenas algumas definições da Wikipédia, a enciclopédia livre, a propósito:

1. Sabujo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Sabujo é o nome para os cães de bom faro, farejadores, assim como o beagle, o bloodhound ou o basset hound, e alguns outros. Alguns sabujos como o american foxhound sendo considerado o melhor sabujo de caça do mundo, são capazes de sentir o cheiro de um animal que passou pelo lugar há quatro dias atrás. …

2. Vergonha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Vergonha é uma condição psicológica e uma forma de controle religioso, político, judicial e social, consistindo de idéias, estados emocionais, estados fisiológicos e um conjunto de comportamentos, induzidos pelo conhecimento ou consciência de desonra, desgraça ou condenação. O terapeuta John Bradshaw conceitua a vergonha como a “emoção que nos deixa saber que somos finitos”. …

3. Democracia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), directa ou indirectamente, por meio de eleitos representantes — forma mais usual. Pode ser num sistema presidencialista ou parlamentarista, republicano ou monárquico.

Numa frase famosa, democracia é o “governo do povo, pelo povo e para o povo”.

Democracia opõe-se à ditadura e ao totalitarismo, onde o poder reside numa elite auto-eleita. …

E ainda alguns pensamentos, encorajamentos e paradigmas para um futuro melhor:

i) Henry George

From Wikipedia, the free encyclopedia

Henry George (September 2, 1839 – October 29, 1897) was an American political economist and the most influential proponent of the “Single Tax” on land. He was the author of Progress and Poverty, written in 1879. …

ii) El georgismo, una economía para el siglo XXI.

(ver mais)

El término Georgismo hace referencia al análisis económico y las filosofías sociales avanzadas por el economista norteamericano Henry George. La idea central de esta filosofía es que el valor de la tierra, a medida que aumenta a raíz de procesos naturales y sociales, ha de ser la fuente de los ingresos públicos. De la misma forma, también se habrían de eliminar los impuestos sobre el trabajo, la economía y la industria. …

iii) Georgismo e produção

23.11.07

(ver mais)

Eis porque nós, os georgistas, ou melhor, os fisiocratas modernos, nos rebelamos contra os programas dos atuais partidos políticos. Seus líderes, na generalidade, desconhecendo os mais elementares princípios da economia, não fazem mais do que expor uma variada colcha de retalhos multicores, onde, ao lado das idéias mais sedutoras, repontam violentas contradições, que as destroem ou anulam. …