Tag Archives: natal

Let us adore (Adoremos).

Come, let us sing for joy to the Lord; let us shout aloud to the Rock of our salvation. Let us come before him with thanksgiving and extol him with music and song./Vinde, exultemos de alegria no SENHOR, aclamemos o rochedo da nossa salvação. Vamos à sua presença com hinos de louvor, saudemo-lo com cânticos jubilosos.
Psalm/Salmo 95:1-2

Todas as igrejas recebem a visita do anjo que Jesus envia (Ap.22:16). Poucas o reconhecem. Muito poucas querem ouvir o que o Senhor tem para dizer através dele (Ap.22:17)./All the churches receive the visit of the angel that Jesus sends (Rev.22:16). Few recognize him. Very few want to hear what the Lord has to say trough him (Rev.22:17).

 

Advertisements

Aconteceu na véspera de Natal.

Bolt of light in sky has Germany, Belgium at odds
CBC News – Posted: Dec 25, 2011

Anthem For Christmas (Hino para o Natal)

In the space of the beginning was the living Word of Light.
When this Word was clearly spoken all that came to be was right.
All creation had a language, words to say what must be said,
All day long the heavens whispered signing words in scarlet red.

Some failed to understand it, so God spoke His final Word,
On a silent night in Judah’s Hills a baby’s cry was heard.

“Glory!” sang the angel chorus, “Glory!” echoed back the night,
Love has come to walk among us, Christ the Lord is born this night.

All creation sing His praises Earth and heaven praise His name.
All who live come join the chorus, find the words His love proclaim…
Find the words His love proclaim.

A baby changes everything.

(Um bebé muda tudo.)

Lyrics (letra)

Have Yourself a Merry Little Christmas.

(Tenha um Natalzinho alegre.)

Gestão autárquica à portuguesa.

A Câmara Municipal de Óbidos dá ufana notícia de que prevê gastar apenas 400 euros na iluminação de Natal da vila (este ano, pressupõe-se) em vez de 3500 euros, por ter substituído todas as lâmpadas convencionais por lâmpadas LED.

Para produzir esta poupança de aproximadamente 3 mil euros a dita autarquia gastou – “investiu”, diz a notícia – 100 mil euros na aquisição das tais lâmpadas LED.

Fazendo uma conta muito simples, 1.º) pressupondo constante e igual a 3 mil euros o valor anual da poupança em consumo energético e, 2.º) não contando com prováveis juros a pagar pelos 100 mil euros gastos na compra, pode concluir-se que o “investimento” levará apenas(!) 34 anos a amortizar.

Se você ainda se questionava quanto à origem dos incomensuráveis gastos públicos neste país… bem, é só multiplicar este exemplo de “investimento” pelo número total de entidades do Estado existentes (do poder local e do central) e ficará com uma ideia do montante da conta (que lhe vão cobrar em impostos).

A notícia é omissa quanto ao valor que o município gastou no aluguer de de uma pista de gelo da classe A e de quanto irá gastar em todas aquelas tretas, perdão, acções ecológicamente correctas anunciadas, porque isso não tem obviamente importância nenhuma em face do valor da “preocupação ecológica” da empresa organizadora do certame.

Nota: A imagem que ilustra este postal é picada de uma outra notícia do mesmo jornal que divulga uma outra iniciativa cultural de grande valia mas incomparavelmente menos dispendiosa – um exemplo de que ainda é possível fazer coisas muito interessantes com pouca despesa.

Votaram contra os gatos pretos e elegeram os gatos brancos.

Il est né le divin enfant.

Nasceu o Deus menino. He is born, the divine Christ child.

.

.
Il est né le divin enfant,
Jouez hautbois, résonnez musette.
Il est né le divin enfant,
Chantons tous son avènement.
Depuis plus de quatre mille ans
Nous le promettaient les prophètes,
Depuis plus de quatre mille ans
Nous attendions cet heureux temps.
Une étable est son logement,
Un peu de paille est sa couchette,
Une étable est son logement,
Pour un dieu quel abaissement.
O Jésus, ô roi tout puissant,
Tout petit enfant que vous êtes,
O Jésus, ô roi tout puissant,
Régnez sur nous entièrement.
 

O filho do carpinteiro e os cardeais.

Na madrugada de ontem, dia de Natal, contrariamente ao que é costume havia uma televisão acesa na sala onde me encontrava a passar a consoada. Estava sintonizada no canal que transmitia em directo as celebrações natalícias no Vaticano.

Vaticano - S. PedroSem tomar muita atenção, fui contudo olhando para o sumptuoso interior da catedral de S. Pedro, para as vestes púrpura e alvo-douradas dos cardeais, para a riquíssima ambiência criada para a ocasião.

O filho do carpinteiroSubitamente, atingiu-me como uma pancada a lembrança daquilo que estava ali a ser comemorado: o nascimento de alguém a quem viria a ser dado o nome de Jesus, filho humilde de um pobre carpinteiro e de uma simples mulher chamada Maria, no interior de um estábulo com animais, nos arredores de uma pequena cidade chamada Belém, situada na Judéia – actual Cisjordânia.

O mesmo Jesus que 30 anos depois iria aplicar a Si mesmo as palavras iniciais do capítulo 61 do lívro do profeta Isaías: «O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres; enviou-me a proclamar a libertação aos cativos e, aos cegos, a recuperação da vista; a mandar em liberdade os oprimidos, …» (cf. Lucas 4, 18-19).

E aqueles que ali estavam visíveis no pequeno ecrã eram, nem mais nem menos, os discípulos dos discípulos desse Jesus que os enviou em serviço aos povos “depois de lhes ter dado as seguintes instruções: (…) Recebestes de graça, dai de graça. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos; nem alforge para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem cajado; pois o trabalhador merece o seu sustento.” (Mateus 10, 5-10)

Então, a minha mente e a minha alma perturbaram-se com tão evidente hipocrisia.
.

Natal 2009: o meu presépio

partilhado convosco.

 

Presépio 2009