Tag Archives: marxismo cultural

Traidores de si mesmos e da sua cultura.

Muito pior do que as piruetas contradições e esquivas do malogrado secretário de Estado da Cultura

«O facto de [o Acordo Ortográfico] ser irreversível não quer dizer que não seja corrigível»
– Francisco José Viegas, “Correio da Manhã”, 30/10/2011

«O secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, garantiu hoje que não haverá qualquer revisão do acordo ortográfico»
– Agência Lusa, 24/4/2012

só mesmo a (pouco) elegante cambalhota lealdade  do grande defensor dos interesses do governo de Sócrates cidadão português para com o respectivo antecessor.

«Antes de ser provedor falou no novo Acordo Ortográfico como um “abastardamento da língua portuguesa”. Já foi adoptado pela provedoria. Custa- -lhe escrever com as novas regras?

Aqui na provedoria, o meu antecessor adoptou-o e eu considerei que seria, no mínimo, pouco elegante alterar esta posição. Tanto mais que a provedoria, mesmo sendo um órgão de Estado independente, tem uma ligação muito forte à Assembleia da República. Assim, escrevemos da mesma maneira.

Mas como faz no dia-a-dia?

Continuo a escrever fora do acordo ortográfico e as senhoras secretárias mudam os textos para a formulação actual.»
– José de Faria Costa, entrevista ao Jornal i, 2/12/2013

Frases de René de Chateaubriand no Citador

As leis anti-tabágicas: Brevíssima demonstração do grau de inteligência dos comissários europeus.

Tendo em conta os bons resultados das proibições anteriores,

Women in Europe smoke most globally, and numbers are increasing
(Na Europa, a maioria das mulheres fuma e o número de fumadoras continua a aumentar)
19-01-2011
[Report of the Regional Office for Europe – World Health Organization]

Ashton 100 higly-paid Eurocratsa Comissão Europeia pretende tornar ainda mais restritivas as leis anti-tabágicas.

EU seeks move toward tougher smoking laws
EU executive calls for tougher smoking laws with bigger warnings, bans on some flavors
By Raf Casert, Associated Press | Associated Press – Wed, Dec 19, 2012

Como os países da UE não têm neste momento outros problemas mais relevantes, estes burocratas de má qualidade ocupam-se e gastam o dinheiro dos contribuintes com estes assuntos sem qualidade, sem importância ou sem utilidade.

Declaração: Não sou fumador.

Portugal: o verdadeiro problema será a fome ou o amianto?

Veio a senhora Jonet, presidente do Banco Alimentar Contra a Fome, dizer na passada quarta-feira para a televisão que o maior problema dos portugueses nesta altura é o empobrecimento.

Que descaramento! Que insensibilidade esta de “usar a fome como arma política e promover o retrocesso social”! Que ignorância! Se esta senhora se tivesse dado a maçada de consultar o partido ecologista Os Verdes ou o seu grupo de pressão Quercus, ficaria a saber que o verdadeiro atentado à vida dos portugueses é a existência de amianto nos edifícios públicos.

“[O] Governo parece brincar com a saúde dos portugueses”, acusam. “Estão em causa não só aspectos ambientais, mas também de segurança dos utilizadores dos edifícios como os funcionários públicos e os clientes que usam os vários serviços disponíveis pela administração”