Tag Archives: liberation

Do what you want to do. / Faz aquilo que desejas.

“Dr. John Kitchin quit a medical career to pursue his passion: skating along the boardwalk of San Diego’s Pacific Beach.” Why? Because a 93 years old man told him: Do what you want to do.
I do not use (or like) to share personal experiences in public. However, this time I will open an exception. This was more or less the same thing my best friend told me before she died, too young and full of wish to live. And, the same way it happened to John Kitchin, this sentence ended up changing my life – although (apparently) in a less radical way.

“O neurologista John Kitchin desiste da carreira como médico para seguir a sua paixão: patinar no passeio ao longo da praia Pacific Beach em S. Diego.” Por que razão? Porque um homem de 93 anos de idade lhe disse: Faz aquilo que desejas.
Não costumo (nem gosto) de partilhar experiências pessoais em público. Mas, neste caso, irei abrir uma excepção. Foi mais ou menos esta a frase que me disse a minha melhor amiga antes de morrer, demasiado jovem e cheia de vontade de viver. E, tal como aconteceu a John Kitchin, esta frase acabou por mudar a minha vida – embora de uma forma (aparentemente) menos radical.

Não se enganem. Se algum de vocês pensa que é sábio segundo os padrões desta era, deve tornar-se “louco” para que se torne sábio.
1 Coríntios 3:18 (NVI-PT)

Do not deceive yourselves. If any of you think you are wise by the standards of this age, you should become “fools” so that you may become wise.
1 Corinthians 3:18 (NIV)

A quaresma de Jesus Cristo e o despertar político global.

Ou, de como Jesus é o paradigma de todos aqueles que lutam pela libertação dos povos da (chamada) ordem estabelecida.

Deve ter sido mais ou menos por altura do início deste período que hoje designamos por quaresma[1] que o Sinédrio condenou Jesus à morte, transformando-o num foragido na sua própria terra.[2]

(Mas, já antes disso ele era perseguido por quase todos os poderes políticos e religiosos do seu tempo[3]. E, mesmo isso não o impediria de entrar triunfantemente em Jerusalém pouco tempo depois, no Dia de Ramos.)

Perante isto, Jesus afasta-se (uma vez mais) de Jerusalém com os discípulos e procura refúgio em Efraim, a Norte, junto ao deserto.[4] E, quando volta a Jerusalém para celebrar a sua última Páscoa tem o cuidado de não pernoitar aí mas nos arredores, em Betânia[5] ou no Monte das Oliveiras.[6]

O mais significativo, contudo, é que durante todo este período de tempo Jesus, o conjecturado fora-da-lei, apareça todos os dias em público e as alegadas autoridades tenham esperado a calada da noite para o prenderem (como fazem sempre as polícias políticas):

Então Jesus falou para aquela gente: Serei por acaso algum bandido perigoso, que vos fosse preciso armarem-se com espadas e paus para me levarem preso? Todos os dias estava convosco a ensinar no templo e não me prenderam. (Mateus 26: 55-56)


[1] A Páscoa dos judeus estava próxima, e muitos daquela província entraram em Jerusalém antes da data para poderem proceder primeiro à cerimónia da purificação. (João 11: 55)

[2] Os principais sacerdotes e os fariseus convocaram o supremo conselho para discutir o caso. Que vamos fazer?, perguntavam-se uns aos outros. … Um deles, Caifás, que naquele ano era supremo sacerdote, disse: Vocês não percebem nada. Deixem este homem morrer pelo povo. Porque é que se há-de perder toda a nação? … A partir daí, começaram a planear a morte de Jesus. (João 11: 47, 49-50, 53)

[3] Então os dirigentes judaicos tornaram a pegar em pedras para o apedrejar. Jesus perguntou: Por ordem de Deus fiz muitas obras boas. Por qual dessas obras querem agora matar-me? … Uma vez mais procuravam prendê-lo. Ele, porém, afastou-se e deixou-os. Atravessou o rio Jordão até ao local onde João andara primeiro a baptizar, e muitos o seguiam. (João 10: 31-32, 39-40)

[4] Jesus já não andava manifestamente em público. Saindo de Jerusalém, dirigiu-se para a proximidade do deserto, para a localidade de Efraim, onde ficou com os discípulos. (João 11: 54)

[5] Entrou, pois, em Jerusalém e dirigiu-se para o templo. Reparou atentamente em tudo à sua volta e foi-se embora, pois a hora já ia adiantada naquela tarde, retirando-se para Betânia com os dozes discípulos. (Marcos 11, 11)

[6] Todos os dias Jesus ia ao templo ensinar, e as multidões começavam a juntar-se logo pela manhã para ouvir. E ao fim do dia voltava ao Monte das Oliveiras para aí passar a noite. (Lucas 21: 37)

Break every chain.

… There’s an army rising up …

… Deus o elevou acima de tudo e lhe concedeu o nome que está acima de todo o nome, para que, ao nome de Jesus, se dobrem todos os joelhos, os dos seres que estão no céu, na terra e debaixo da terra;
Filipenses 2, 9-10

There Is A Day

(and that day has begun)

… o seu rosto era como o Sol resplandecente com toda a sua força.
Ao vê-lo, caí como morto, a seus pés. Mas Ele colocou a mão direita sobre mim, dizendo: «Não tenhas medo!
Eu sou o Primeiro e o Último; aquele que vive.
Estive morto; mas, como vês, estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da Morte e do Abismo!
Apocalipse 1:16-18 [Revelation 1:16-18]

Por que é importante a verdade.

… há momentos em que a História e os Evangelhos parecem colidir, mas na verdade os Evangelhos falam aos mais profundos dilemas e às mais elevadas aspirações da era, mesmo àquelas que se lhe opõem. Assim acontece agora quanto ao conceito de verdade. À primeira vista, a visão bíblica da verdade é obscena para a mentalidade moderna – é arrogante, excludente, intolerante, dissensiva, crítica e reaccionária. Mas, num olhar mais atento, a visão bíblica é profunda, oportuna e urgente na actualidade, mesmo para aqueles que a rejeitam. … Aqueles que fraquejam em apoiar-se na verdade, fraquejam em apoiar-se em Deus. … Apenas uma visão mais elevada da verdade permite os melhores empreendimentos humanos. Cépticos e relativistas, que enfraquecem a noção de verdade, são como o louco que corta o ramo onde está sentado. Sem verdade, a ciência e todo o conhecimento humano colapsam para a conjectura. Sem verdade, a vital profissão de jornalista – e o modo como compreendemos os acontecimentos dos nossos dias e entendemos os sinais do nosso tempo – dissolve-se em rumores. Sem verdade, os mundos da política e dos negócios desagregam-se em regulamentações e jogos de poder. Sem verdade, as preciosas dádivas da racionalidade humana e da liberdade tornam-se licenciosidade e todas as relações humanas perdem os laços de confiança imprescindíveis à sua existência. Somos nós, enquanto servidores de Cristo, que não nos envergonhamos de estar diante do mundo como servidores e guardiães de uma visão mais elevada de verdade, tanto por Nosso Senhor, como pelos mais elevados empreendimentos da humanidade. … Somente uma elevada visão da verdade é capaz de combater o mal e a hipocrisia. O pensamento pós-moderno torna-nos conscientes da hipocrisia, mas não nos dá padrões de verdade para a expor e corrigir. E agora, com a expansão global dos mercados e do capitalismo, a expansão global da liberdade através das tecnologias e das viagens, e a expansão global das disfunções humanas pela destruição da família, enfrentamos a maior crise dos direitos humanos de todos os tempos e a perfeita tempestade do mal. Tanto a hipocrisia como o mal dependem de mentiras. … Só com a verdade podemos enfrentar o engano e a manipulação. Todos os que odeiam a hipocrisia e se preocupam com a justiça e a dignidade humana, e estão preparados para lutar contra o mal, precisam da verdade como condição indispensável. …

Truth – Why Truth Matters
Author: Os Guinness
Date: 21.10.2010

Freedom (Liberdade) – Run Kid Run.

“Come to Me, all you who are weary and burdened, and I will give you rest. Take My yoke upon you and learn from Me, for I Am gentle and humble in heart, and you will find rest for your souls. For My yoke is easy and My burden is light.”
Matthew 11:28-30
.
.
Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coraçäo; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.
Mateus 11:28-30
.