Tag Archives: grande

O maior golpe publicitário do século.

Morte de Bin Laden reanima bolsas asiáticas e políticos europeus
publicado 09:17 02 maio ’11 (RTP Notícias)
Só Bin Laden podia, morrendo, fazer recuperar ao índice Nikkei a pontuação que tinha perdido desde o acidente nuclear de Fukushima. E só ele podia criar uma tal unanimidade entre os políticos europeus, divididos na sua resposta à crise. O chefe do terrorismo qaedista regista uma glória póstuma, como inesperado criador de consensos políticos e reanimador de mercados financeiros. …

Morte de Osama bin Laden é uma grande vitória política para o presidente Barack Obama
02/05/2011 às 09:48 (GLOBO Notícias)
WASHINGTON – O anúncio da morte de Osama Bin Laden no final da noite de domingo foi não só um prêmio para os EUA, mas principalmente uma vitória significativa para o presidente Barack Obama, …
.

Há que admitir: esta foi de génio.

Génio do marketing.

Tranquibérnias finais dos rosilhos.

Governo assina contrato de investimento de 10,9 milhões de euros com a J.P. Sá Couto

21 Março 2011 | 11:33
Jornal  de Negócios

Uma nova tragédia se prepara a Oriente.

Depois da explosão de instabilidade política no Norte de África e do seu avanço pelo Médio Oriente, uma nova e potencialmente mais mortífera tragédia se prepara no Extremo Oriente, mais precisamente na China.

China 2011 - 3.º ano de seca.BEIJING: Wide swathes of northern China are suffering through their worst drought in 60 years…
Some areas have gone 120 days without any significant rainfall, leaving more than five million hectares (12.4 million acres) of crops damaged…
In some areas, the earth is all cracked up and if rain does not fall in the next few weeks, the wheat that farmers sowed in autumn might not even germinate when the weather warms up.

(China’s drought could have serious global impact, 02 February 2011, Channel NewsAsia)

Após três anos seguidos de seca, parece iminente uma repetição da, ainda tão recente, Grande Fome – em todos os seus aspectos.

Sempre que os socialismos no poder violentam os povos com os seus planos visionários de “desenvolvimento e modernidade” milhares de pessoas sofrem, morrem, são destruídas.

Não há maneira de evitar considerar a ideia da impossibilidade do socialismo.

Coisas que os portugueses têm tido que

aprender da maneira mais difícil:

.

– Fascismo, nunca mais!

– Maiorias absolutas, nunca mais!

– Primeiros ministros mentirosos, nunca mais!

.

As ínfimas insurgências…

a que estão reduzidos os portugueses.

 

Insurgência subliminar

Hoje, 30 de Abril, um familiar foi pagar o IMI à tesouraria da repartição de finanças. Estava abatido e, por isso, acompanhei-o.

No meio da profunda revolta que lhe causa ter que pagar 55 euros por mês ao Estado pelo direito de habitar a sua própria casa, teve hoje, todavia, um fugaz lampejo de alegria redentora.

O pagamento foi efectuado em numerário, sendo a maior parte em notas. No entanto, também entregou 20 euros em moedas de 1 e 2 cêntimos, paciente e diligentemente guardadas ao longo de vários meses.

Como era de esperar, houve uma reacção muito hostil à recepção das moedas, sendo costume os contribuintes (contribuintes?) serem tratados com a maior arrogância naquela particular repartição. Deve ser por pouca sorte dele, uma excepção no meio das inúmeras repartições onde os contribuintes (contribuintes?) são bem tratados…

Como de costume também, os mangas de alpaca que estão lá a esmifrar o indígena colectar o dinheiro tentaram virar o povaréu – hoje era o último dia para pagar, calculem a quantidade de gente que lá estava – contra o pobre pagante.

Mas, espantosamente, inesperadamente, aconteceu exactamente o contrário.

A multidão atirou-se ao funcionário que ameaçava não chamar mais ninguém ao balcão até que os funcionários (todos…) contassem as moedinhas. Diziam as pessoas: “Então já não se pode pagar em dinheiro?” – “Deviam era ter uma máquina para contar as moedas!” – “Qualquer dia só recebem notas de 500!”, e outros ditos menos simpáticos que não são aqui reproduzíveis.

O parente, que estava à espera de ter que suportar a sanha popular, saiu com um sorriso, satisfeito com a sua ínfima compensação pela exploração e pelo trato de vilão que lhe tem sido dado.

O sorriso era-me extensivo, por outras razões. Pela primeira vez de há 4 anos a esta parte vi a mole dos cidadãos a defender o outro cidadão, solidários e sem expressão de egoísmo ou de inveja.

Este singelo episódio, sem valor mediático ou de resistência civil, ainda assim representa um sinal de esperança quanto à capacidade dos portugueses para construírem a cidadania e a verdadeira democracia – sem caudilhos iluminados por magalhânicos visores e faróis de veículos eléctricos de segunda categoria.

 

O grande líder socialista à saída da entrevista.

Old pictures:Nazi Deutschland WWII

O grande líder socialista a caminho da entrevista.

Old pictures:Nazi Deutschland WWII