Tag Archives: futuro

O tal ’emprego estável’ que todos procuram…

afinal, é este:

clique na imagem para ver maior

Os mais cépticos dirão: ai e tal, então e o enorme decréscimo populacional juvenil de que fala o ministro, barra, matemático, barra, Crato? Ora, ora, isso não será um problema porque no futuro os estabelecimentos do ensino pré-escolar só contratarão auxiliares de educação, os quais substituirão com grande vantagem económica os caros educadores.

Notas: As coisas que se aprendem através de um simples e-mail publicitário, hein? No entanto, o nome da empresa de formação foi deliberadamente tornado ilegível na imagem porque o filho da minha mãe não faz publicidade gratuita a tipos espertos.

Still, my soul be still.

No mesmo dia da semana passada em que topei esta notícia uma das pessoas de quem mais gosto no mundo veio dar-me conhecimento que tinha aceitado ir trabalhar para aqui, mesmo às portas do inferno.

Uma frase banal num qualquer mau romance ainda por escrever:

Romance de cordel
.
A obtusa teimosia das escolhas do José viria a ter um elevado custo para todas aquelas pessoas que nele tinham confiado uma vez mais – em breve o iriam compreender.
.

Pareto e a saída do pântano económico em Portugal. (7)

(continuação daqui)

Tudo o que descrevi no texto anterior é, não só perfeitamente exequível, mas também razoavelmente simples de concretizar. Respondendo às questões colocadas:

1ª. Se os senhores Professores Doutores portugueses não quiserem aproveitar a excelente oportunidade de fazer parte de um grupo de investigadores de excelência, não faltarão senhores Professores Doutores espanhóis que não desperdiçarão essa oportunidade.

2ª. Os investimentos são muito moderados, pois as estruturas de base já existem. Basta adaptá-las e equipá-las de forma faseada, à medida que os alunos e as valências forem progredindo e aumentando de número.

3ª. Existindo as estruturas, esta acção pode ser posta em prática muito rapidamente. Bastará um ano, se houver vontade política (e um ministro que não seja gago), para criar e aprovisionar com o essencial os novos cursos e departamentos nas universidades. Bastarão cinco anos para começarem a praticar os primeiros estagiários.

DiscriminaçãoMuito importante: Os novos cursos deverão ser de acesso universal ao contrário deste, aprovado por este governo – como não podia deixar de ser. Estas criaturas quase não fizeram outra coisa durante toda a legislatura: criar regimes de excepção e legislação de aplicação particular ou restrita, o que é gerador de grande injustiça e desigualdade entre os cidadãos.

Por outro lado, a fixação da nova população colonizadora (de anciãos) trar-lhe-á também outras vantagens, nada negligenciáveis. Há uma diminuição das despesas para quem habita em pequenas cidades, vilas e aldeias. Muitos produtos e serviços são efectivamente mais baratos. A vida será, eventualmente, um pouco mais rude, mas muitíssimo mais simples e saudável.

O problema é que quem pode continua a tomar decisões absolutamente opostas à boa Economia.

Já seguir darei um exemplo disto – e não são só os poderes públicos, como verão.

(continua)

Este texto foi publicado primeiro aqui.

24 de Abril – 35 anos depois.

Ei-los que partem, velhos e novos, buscar a sorte noutras paragens…

.

.

Tell me why – Digam-me porquê

1Fica sabendo que, nos últimos dias, surgirão tempos difíceis. … (leia mais)

Tell me why,(why) does it have to be like this.
Tell me why, (why) is there something I have missed?
Tell me why, (why) cause I don’t understand.
When so many need somebody We don’t give a helping hand.
Tell me why!

Digam-me porque tem que ser assim.
Digam-me, falta-me saber alguma coisa?
Digam-me, porque não consigo compreender.
Quando tantos precisam de ajuda e ninguém lhes estende a mão.
Digam-me porquê!

 

Esta música é posta aqui em homenagem à luta corajosa e perseverante que o professor António Caldeira tem conduzido no seu blogue Do Portugal Profundo em prol da justiça para com as crianças sexualmente abusadas neste país.

Uma sociedade que não defende as suas crianças não tem futuro. Uma sociedade que não faz justiça aos fracos e pequeninos está condenada.

 

7Não vos enganeis: de Deus não se zomba. Pois o que um homem semear, também o há-de colher: … (Gálatas 6)

MayDay, MayDay, é preciso limpar Portugal:

da hipocrisia, do oportunismo, da mentira, da exploração e de todas as porcarias afins.

É inegável que existe liberdade de expressão em Portugal. Pelo menos alguns dizem tudo o que lhes vem à cabeça.

Portugal é mesmo uma terra de oportunidades. Pelo menos alguns fazem tudo o que querem e sobra-lhes tempo para mais.

Em ambos os casos, basta que se faça parte da oligarquia política que detém o poder…

“Vitalino Canas, vice-presidente da bancada parlamentar socialista, afirmou esta quinta-feira que «caricaturistas irresponsáveis e fundamentalistas violentos estão bem uns para os outros».” (TSF Online, Caricaturistas e radicais «bem uns para os outros», 22:01/09 de Fevereiro 06)

“O porta-voz do PS defendeu hoje que as alterações à Lei Geral Tributária que possibilitam o levantamento do sigilo bancário aos contribuintes que reclamem de decisões do fisco conciliam os direitos dos cidadãos e o interesse público.” (Diário Digital, PS diz que alterações à Lei Geral Tributária são equilibradas, 30-07-2007 18:41:00)

“Vitalino Canas diz que a ministra (da Educação) tem feito bom trabalho, tendo “mostrado muita determinação, muita coragem e espírito de serviço público de defesa da escola púbica”, considera.” (RR Renascença, Informação, Vitalino Canas defende ministra, 28-02-2008 11:59)

“O porta-voz socialista Vitalino Canas disse ontem que “todos os objectivos” a que o Governo e o partido se propuseram foram alcançados, recusando no balanço de três anos de governação, “perder tempo” com o que se fez mal.” (TV Net, “Todos os objectivos do PS foram alcançados”, 2008-03-12 11:46 GMT)

É necessário mudar este ominoso presente para que haja um futuro melhor. É preciso fazê-lo pacificamente da única maneira possível para o povo (os pobres, os sem poder): ir para a rua exigir a mudança numa mega-manifestação, a maior manifestação que os instalados alguma vez terão visto.

É indispensável a participação de todos. Todos ao May Day no dia 1 de Maio. Informem-se agora mesmo.

Tomem a iniciativa sobre a Vossa própria vida, não deixem que Vos determinem um futuro sem Futuro. Venham fazer História, porque é assim que os humildes podem fazê-la e foi assim que sempre a fizeram.