Tag Archives: Easter

Oh happy day! (Jesus is alive)

Ó, dia feliz! (Jesus está vivo)

Jesus respondeu-lhe: «Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. Aquilo que nasce da carne é carne, e aquilo que nasce do Espírito é espírito. Não te admires por Eu te ter dito: ‘Vós tendes de nascer do Alto.’ O vento sopra onde quer e tu ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem nem para onde vai. Assim acontece com todo aquele que nasceu do Espírito.»
João 3:5-8 (John 3:5-8)

Nota/Note: A passagem bíblica canonicamente correcta para hoje é esta, eu sei, mas o Espírito mandou que pusesse a que está lá em cima. / The canonically correct passage for today is this one, I know, but the Spirit commanded me to put the one that is up there.

 

Sing to Jesus (and He will come).

Cantai para Jesus (e Ele virá).

Por isso, também Jesus, para santificar o povo com o seu próprio sangue, padeceu fora das portas. Saiamos, então, ao seu encontro fora do acampamento, suportando a sua humilhação, porque não temos aqui cidade permanente, mas procuramos a futura. Por meio dele, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.
Hebreus 13:12-15 (Hebrews 13:12-15)

Vinde e vêde, comtemplai este mistério,
O senhor de todo universo, pregado ao madeiro.
Cristo, nosso Deus, derramando o seu santo sangue,
Curvando em angústia a sua sagrada cabeça.

Cantai a Jesus, senhor da nossa vergonha,
Senhor dos nossos corações pecadores.
Ele é nosso grande redentor.
Cantai a Jesus, honrai o seu nome,
Cantai a sua fidelidade: ele entregou a sua vida até à morte.

Venham os cansados e ele vos dará descanso,
Venham os que choram, descansem nele.
Cristo que morreu, está ressuscitado no paraíso,
Ele dá misericórdia, ele que dá vida.

Cantai a Jesus, dele é o trono
Agora e para sempre.
Ele é o rei dos céus.
Cantai a Jesus, nós pertencemos-lhe
Agora e para sempre: cantemos o amor que Deus nos mostrou.

Cantai a Jesus, senhor da nossa vergonha,
Senhor dos nossos corações pecadores.
Ele é nosso grande redentor.
Cantai a Jesus, honrai o seu nome.

He is risen (Ele ressuscitou).

Early morning break of dawn
Stumbling to the tomb
Standing awestruck wondering who
Rolled away the stone
And as the sun came up
Amazed they looked inside
A voice, an angel clothed in light
Don’t be afraid, He is alive!

Jesus Cristo: A Revelação de Deus.

Paixão de Jesus CristoEntre o Antigo Testamento e nós (…), mantém-se uma nova forma de revelação, o cumprimento de tudo o que apenas foi prometido no Antigo Testamnento e o actual conteúdo da revelação divina proclamada pelos Apóstolos e pela Igreja: o próprio Senhor Jesus Cristo. Esta “revelação”, por sua vez, não é “Palavra”, mas uma Pessoa – uma vida humana, plenamente reconhecida na história, um destino humano tão parecido, e ao mesmo tempo tão diferente de todos os outros: Jesus de Nazaré, o Rabi, o operador de milagres, amigo dos publicanos e pecadores, o Senhor crucificado e ressurrecto, agora, também exaltado à mão direita de Deus.
(…)
É isto o que caracteriza o Novo Tempo, contrastando com o passado como um todo, mesmo contrastando com a revelação na Antiga Aliança: o facto de que Ele mesmo está agora aqui; Ele mesmo fala, mas, por esta mesma razão, Ele não é meramente Aquele que fala, é também Aquele que age. É o que justifica o aparecimento do Reino de Deus agora; a partir de agora, o antigo transformou-se em passado, mesmo a Antiga Aliança, com todas as suas formas próprias de revelação. Estas estão todas separadas da nova revelação, para a qual todas apontaram como mensageiras, como uma luz que irradiou para o futuro, apontando para a chegada d’Ele, Jesus Cristo, no qual o próprio Deus está presente, falando e agindo.
(…)
A palavra falada é uma revelação indirecta quando presta testemunho à verdadeira revelação: Jesus Cristo, a auto-manifestação da pessoa de Deus, o Emanuel. A palavra falada, a “palavra”, no sentido do discurso actual, “dizendo alguma coisa em palavras”, foi, deste modo, relegada a segundo plano, porque o primeiro plano está agora, ocupado por Ele, a quem a Palavra Profética do Antigo Testamento apontou como Aquele que Vem. Por esta razão, o significado da revelação do Antigo Testamento agora – e somente agora – se cumpriu, e o seu cumprimento é: o Homem no qual o próprio Deus está presente: falando, agindo, sofrendo, reinando.

texto adaptado de “Dogmática” de Emil Brunner

Peter’s Song.

As minhas ovelhas conhecem a minha voz, e eu conheço-as a elas, e elas seguem-me. Dou-lhes a vida eterna e jamais perecerão. Ninguém mas arrancará, porque meu Pai é quem mas deu. E sendo ele mais poderoso do que ninguém, pessoa alguma mas pode roubar.
João 10: 27-29

Christ Is Risen (Cristo ressuscitou).

«Porque buscais o Vivente entre os mortos? Não está aqui; ressuscitou!
Lucas 24, 5-6


Christ is risen from the dead
We are one with him again
Come awake, come awake!
Come and rise up from the grave!
(Lyrics/Letra)

I am the bread of life.

Eu sou o pão vivo, o que desceu do Céu: se alguém comer deste pão, viverá eternamente; e o pão que Eu hei-de dar é a minha carne, pela vida do mundo.»
João 6, 51

Jesus is alive.

Jesus está vivo

.
.

Easter song/Canção de Páscoa.

Uma das mais belas músicas de celebração pascal que conheço, da autoria de Keith Green*.

.
.

*Keith Green pode certamente contar-se como um de entre os melhores compositores-intérpretes de música cristã contemporânea. É, também, imerecidamente, muito pouco conhecido em Portugal – e isto é um recado bem directo para o Tiago de Oliveira Carvalho do blogue Voz no Deserto.
Músicas como Oh Lord You’re beautiful, do álbum For Him Who Has Ears to Hear (1977) (já aqui publicada), Create in Me a Clean Heart, do álbum Jesus Commands Us To Go (1984), Dear John Letter (To The Devil),  do  álbum No Compromise (1978) e diversas outras, foram (e continuam a ser) verdadeiros casos de sucesso, tendo estado nos primeiros lugares das listas das mais ouvidas nos EUA em diversas ocasiões.

Revelation/Revelação.

A relevância do nascimento, vida, paixão, morte e ressurreição de Jesus/The relevance of the birth, life, passion, death and resurrection of Jesus:
.
.
– Para o Homem/To Man
“Pois Ele não desprezou nem desdenhou a aflição do pobre, nem desviou dele a sua face; mas ouviu-o, quando lhe pediu socorro.” (Salmo 22, 25)
“For He has not despised nor abhorred the affliction of the afflicted; Nor has He hidden His face from him. But when he cried to Him for help, He heard.” (Psalms 22, 24)
.
– Na perspectiva de Deus/From God’s perpective
“Mas é assim que Deus demonstra o seu amor para connosco: quando ainda éramos pecadores é que Cristo morreu por nós.” (Romanos 5, 8)
“But God demonstrates His own love toward us, in that while we were yet sinners, Christ died for us.” (Romans 5, 8)
.
– Para os acusadores de Jesus/To the accusers of Jesus
“Eis que estes são ímpios, e prosperam no mundo; aumentam em riquezas. … Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles. Certamente Tu os puseste em lugares escorregadios; Tu os lanças em destruição. Como caem na desolação, quase num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores.” (Salmo 73, 12; 16-19)
“Behold, these are the wicked: Who are always at ease, they have increased in wealth. … I came into the sanctuary of God; Then I perceived their end. Surely You set them in slippery places; You cast them down to destruction. How they are destroyed in a moment! They are utterly swept away by sudden terrors!” (Psalm 73, 12; 16-19)
.