Tag Archives: destruição

A destruição e a morte nunca trarão bem algum.

Mais pobreza nos AçoresEm terra onde cresce a pobreza incineram-se incineravam-se até há pouco tempo centenas de vitelos todas as semanas. Em nome da “correcção dos mercados“.(*)

A destruição da capacidade produtiva do país continua a mando de Bruxelas. Agora E assim tem sido também nos Açores. Foi exactamente assim que aqui no continente destruíram os olivais e nos obrigaram a importar azeite de baixa qualidade;  destruiram os pomares para nos obrigar a importar fruta desenxabida; destruíram as vinhas e nos obrigaram a importar vinhos mais caros e de qualidade inferior aos nosso; foi assim que destruíram a frota de pesca costeira e nos obrigaram a importar peixe congelado. Se os açorianos forem nesta conversa vão acabar a comprar leite, queijo e carne de vaca aos senhores do império europeu – a Alemanha, a Áustria, a Holanda, …

(*)”Corrigir” os mercados relativamente a um produto de oferta abundante é como chicotear as ondas para as obrigar a mudar de direcção. Os mercados não se corrigem, conquistam-se. Esta gente segue acefalamente os ditames dos senhores do império europeu em vez de lhes seguir o exemplo: manter ou aumentar a produção para inundar e dominar o mercado, vendendo a dumping se for necessário, durante o tempo que for necessário . Como é que se explica a esta gente que os 50 euros que pagam os exportadores de carne por cada vitelo têm mais valor para o seu futuro do que os 75 euros que paga a UE para destruir os animais? Alguns dos mais conceituados analistas económicos são actualmente unânimes quanto à real origem da actual crise financeira dos países do Sul da Europa: o aumento do financiamento da dívida desses países pelo BCE (e a unanimidade acaba aqui), segundo alguns (R. Koo’s Balance Sheet Recession) para que esses países suportassem o aumento das exportações da Alemanha que lhe permitiria a saída da crise (profunda) do princípio dos anos 2000, segundo outros para que as economias super-aquecidas dos países periféricos suportassem a quebra das importações da Alemanha durante esse mesmo período, segundo outros ainda por outras razões mais complexas.

Nota de correcção: Este artigo viu o seu texto alterado poucas horas depois da sua publicação aqui (mantendo-se, ainda assim, o texto anterior com sinal de rasurado) tomando em consideração a correcção feita pelo jornal Público quanto a actualidade desta sua notícia: http://www.publico.pt/economia/noticia/milhares-de-vitelos-com-15-dias-abatidos-nos-acores-a-troco-de-subsidio-da-ue-1611484

Este postal mantém, no entanto, confirmadamente, a sua actualidade no que respeita ao agravar das situações de pobreza no arquipélago açoriano.

Advertisements

Portugal* como cobaia da Nova Ordem Mundial**.

Como pensa um burocrata ao serviço de um dos muitos poderes supranacionais actuais (UE, FMI ou outro qualquer)?

1. Há demasiados pensionistas em Portugal. A maioria dos pensionistas são velhos. Porque é que há tantos velhos em Portugal? Porque a maioria da população tem tido acesso gratuito ou quase gratuito nos últimos 30 anos a cuidados de saúde de (quase) todas as especialidades médicas. Então, para diminuir o número de pensionistas basta restringir o acesso da população aos cuidados de saúde. Recomenda-se, pois, que o Estado português aumente o custo de acesso da população à saúde elevando as taxas moderadoras e, para obter mais rapidamente o efeito desejado sobre o grupo populacional dos velhos, que  diminua simultaneamente as pensões.Gouvernance mondiale et l'éveil des peuples

2. Há excesso de licenciados para as necessidades do mercado de trabalho em Portugal – mesmo depois de os exportar em grandes quantidades. Porquê? Porque a maioria dos jovens tem tido acesso à prestação de ensino gratuito ou quase gratuito nos últimos 30 anos. Então, para diminuir o número de licenciados basta restringir o acesso dos jovens à educação universal gratuita. Recomenda-se, pois, diminuir a oferta gratuita de ensino reduzindo drásticamente o número de professores do ensino público, o que permitirá simultaneamente uma redução a curto prazo da despesa do Estado com os respectivos salários (a médio/longo prazo, estes professores desempregados estarão incluídos na redução de despesa prevista acima, em 1.)

Relatório do FMI propõe subida de taxas moderadoras e dispensa de 50 mil professores
09/01/13, 09:15
OJE/Lusa

*Grécia, Irlanda, …

**A Nova Ordem e a Nova Ordem Mundial

O cobrador do fraco.

O governo opta definitivamente por transformarIntimidation a administração tributária em empresa de cobranças difíceis. Tendo como suporte uma legislação iníqua que permite executar antes mesmo de julgar – muitas vezes com base em acusações feitas a partir de pressupostos falsos – e com poder para transformar pequeníssimas importâncias devidas em enormes encargos através da imposição de multas desproporcionadamente elevadas. Tudo coisas que resultam particularmente bem com aqueles que não têm capacidade para se defender – os mais fracos. Tudo feito em nome da justiça. E, tudo financiado com os próprios impostos. (Um masoquismo do tipo o assaltado financiar as acções do assaltante.)

Fisco avança para cobrança coerciva de propinas em atraso
Administração Tributária já cobra taxas moderadoras e portagens
Por Redacção, 2012-12-03

Recordar Veneza (para não pensar em Portugal).

As notícias que fui lendo ontem diziam que as incompetentes decisões dos caros gestores da banca pública portuguesa da década passada causaram um prejuízo monumental; que os governantes actuais continuam a “fomentar a emigração” dos melhores recursos deste país, por que a única coisa que sabem fazer para “combater a crise” é aumentar estupidamente os impostos; que as forças de segurança nacionais decidiram participar em todas as acções de protesto convocadas pelas centrais sindicais, seja a CGTP seja a UGT

A bem da minha sanidade mental prefiro partilhar convosco un ricordo de Venezia.

A história do politicamente correcto (seguida de 1 exemplo actual).

Exemplo, em 2 notícias apenas:

BE quer procriação medicamente assistida também para mulheres sozinhas
22.12.2011 – 18:39 Por Catarina Gomes

… “uma mulher sozinha, seja qual for a sua orientação sexual, ou uma mulher casada com outra mulher, sejam férteis ou inférteis, devem poder concretizar o desejo de ser mães sem que para isso sejam obrigadas a uma relação que contraria a sua identidade”.
… , o BE quer ainda que seja autorizado recurso à maternidade de substituição, que agora é ilegal, desde que seja de forma gratuita.

Epilépticos terão de ir a juntas médicas para manterem isenção nas taxas moderadoras
28.12.2011 – 08:40 Por Alexandra Campos

O novo regime de taxas moderadoras vai “burocratizar muito” os pedidos de isenção para os doentes com formas graves de epilepsia, obrigando-os a requerer uma junta médica para a avaliação da sua incapacidade, …
…, quando têm crises no meio da rua, quase são obrigados a ir às urgências pelas pessoas que os socorrem. Vão ter que pagar taxas moderadoras? Isto é um bocado perverso” …

À destruição segue-se a desolação.

O meu amigo David vem aqui, em comentário ao meu postal anterior, dizer que acha dever dar-me os parabéns. Parabéns…
Caro David,
Saiba que o mundo material, visível aos olhos do corpo (mas só quando há luz), está suportado pelo mundo espiritual. Esta afirmação não é fruto de crença ou ignorância mas, pelo contrário, baseia-se no corpo de conhecimentos sobre a estrutura e composição da matéria tal como é entendida actualmente pela Física. A Fé não é uma escolha de ignorantes – ao contrário do crêem os verdadeiros ignorantes. A Fé “é o firme fundamento das coisas que se esperam e uma demonstração das que não se vêem” (Hebreus 11, 1). Uma definição que poderia aplicar-se aos processos de teorização/investigação em Ciência…
Creio que todas as pessoas têm capacidade para “ver” o mundo espiritual que refiro mas a ideologia racionalista dominante há mais de um século força-as (força-nos) a acreditar que tal não é possível ou, pior, que é fruto de algum desequilíbrio psíquico. Por isso o Homem actual recusa-se a ver esse mundo espiritual que o rodeia, isto é, a permitir que o seu cérebro processe as imagens desse mundo. Porém, quando alguém de profunda racionalidade começa a estudar, de boa-fé e sem preconceitos ou reserva mental, os ensinamentos de Jesus Cristo, começa também, a pouco e pouco, a ter que alargar os seus limites da compreensão do mundo. E, ao fim de algum tempo, começa a “ver” esse mundo espiritual – que afinal esteve sempre presente. Cuidado, porém: não são “visões” espiritistas ou fantasmagóricas como aquelas que querem vender os vigaristas que fazem negócio com a crendice de tantos. A verdadeira “visão” do mundo espiritual não pode ser directamente descrita. É por essa razão que Jesus Cristo é obrigado a usar parábolas para descrever, indirectamente, aquilo que designa como Reino de Deus.
As imagens que ponho aí em baixo são, portanto, meras alegorias visuais do estado do Portugal espiritual durante e a seguir à dominação dos governos de Sócrates. Elas servem apenas para que possa ser melhor entendida a “destruição” e a “desolação” (ou “devastação”) espiritual do país.
Como pode ver/perceber, caro David, dificilmente poderemos estar de parabéns.
.
Destruição
.
Desolação
.
As imagens acima, intituladas Destruição e Desolação, são reproduções das últimas duas pinturas a óleo de uma série de cinco – denominada O percurso do Império – da autoria do pintor norte-americano do sé. XIX Thomas Cole.

Até destruir completamente a Economia nacional.

Ou, dito de outro modo, até destruir totalmente a capacidade dos portugueses se sustentarem.

.

M. Sidman, Coerção e suas implicações - capa2007 a 2010 – De vitória,

Fisco atingiu 1600 milhões de euros de cobrança coerciva
03.01.2008 – 09:13 Por Vítor Costa, PÚBLICO

Fisco duplica penhoras num ano
Paula Cravina de Sousa, 10/01/08 01:05, ECONÓMICO

em vitória,

Fisco ultrapassa meta de cobrança coerciva em 2009
22.12.2009 – 17:40 Por João Ramos de Almeida, PÚBLICO

em vitória,

Cobrança coerciva de dívidas fiscais atinge 1,28 mil milhões
Ministério das Finanças revela que cobrança superou meta anual em 12,6 por cento
PorRedacção  LF 2011-01-10 19:03, AGÊNCIA FINANCEIRA

até à derrota final.

Acções de insolvência sobem quase 16% em 2010
Total de insolvências registadas em Portugal subiu para 5.114, em comparação com as 4.450 registadas em 2009
PorRedacção  LF 2011-01-10 21:16, AGÊNCIA FINANCEIRA

Banco de Portugal prevê recessão de 1,3% em 2011
Banco de Portugal aponta que a recessão em Portugal possa atingir os 1,3% em 2011. Para 2012, o boletim de inverno do BdP estima um crescimento da economia portuguesa em 0,6%.
Lusa
11:55 Terça feira, 11 de Janeiro de 2011, EXPRESSO

Derrota anunciada mesmo de “dentro” do sistema.

.

1 milhão e 250 mil euros dos seus (nossos) impostos

Filme 1900 - capaa fundo perdido, ou melhor, ao fundo, perdidos.

.

Um milhão e 250 mil euros foi quanto o estado investiu, há mais de um ano, naquilo que dizia ser um projecto pioneiro, em termos mundiais, no campo das energias alternativas. Um milhão e 250 mil euros para a construção do Parque de Ondas da Aguçadoura. Nós por cá fomos agora ver o que é feito do projecto e que energia foi já produzida através das ondas do mar, 15 meses depois do anúncio.

Veja o vídeo/notícia a partir deste post do João Miranda no Blafémias ou directamente aqui.

A ajuda do governo de sócrates às pequenas empresas.

No final da semana passada tentei ligar ao meu amigo João – técnico informático e dono de uma pequena loja/oficina de “assemblagem” de computadores – para tentar esclarecer uma dúvida informática. Como o telefone da loja dava sinal de desligado telefonei-lhe para o telemóvel. “Então João, esqueceste-te de pagar o telefone?” – perguntei. “Não, já não tenho a loja” – respondeu-me. “Ah! O que aconteceu João?” – voltei a questionar. “Nada de especial. Só que este ano quase não vendi nada. Como sabes, vendia especialmente para jovens estudantes que compravam inicialmente sistemas básicos a que depois iam juntando componentes; só que agora andam para aí a distribuir os Magalhães… Percebes? Já nem dava para pagar a renda da loja.”.
Este é o terceiro caso de abandono desta actividade de que tomo conhecimento só no pequeno círculo dos amigos próximos.
Eis o exemplo do apoio governamental socialista às pequenas empresas (como a JP Sá Couto!!!) mais… (como dizer?) amigas?

***

Complementos:

NetConsumo.com
segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009
Falências: Associação das PME quer novo “plano Mateus”
… as linhas de crédito aprovadas pelo Governo não resolvem o problema, acrescenta o matutino: “A situação das empresas está muito difícil, não conseguem vender nem escoar os stocks. As linhas de crédito não são solução porque as empresas têm de oferecer garantias e não as têm”…

NovoPress Portugal
Famílias ciganas vendem Magalhães em feiras
Colocado pela novopress em Geral de 05/05/2009
… várias famílias de etnia cigana vendem, um pouco por todo o País, os famosos computadores Magalhães em feiras. Tal é possível pois os mesmos destinavam-se aos filhos(as) estudantes das respectivas famílias – recebendo-os gratuitamente por pertencerem ao escalão mais baixo – …

Prints de 2 anúncios de venda em 2ª mão de portáteis Magalhães no sítio Custo Justo, um “com extras” o outro com “poucas horas de uso”:

Anúncio: Portátil Magalhães com extras!

.

Anúncio: Magalhães por apenas 220euros

 

A verdadeira vocação de Portugal e…

a grande provisão legislativa socialista na preparação desse grandioso futuro.

 

O amigo Jorge do Fliscorno publicava, em 8 de Junho de 2007, um postal intitulado O aeroporto da Europa contendo a imagem que se reproduz aqui a seguir.

 

Portugal aeroporto da Europa

 

Acredito que foi sem intenção que o fez, desconhecedor ainda das fórmulas peterianas de pensamento deste socretino governo. É que, não são ainda passados 2 anos sobre a data daquele postal e já o dito governo aprovou o quadro legal para aproveitar a inacreditável ideia do Jorge.

DL n.º 73/2009, de 31 de Março
REGIME JURÍDICO DA RESERVA AGRÍCOLA NACIONAL(versão actualizada)
(…)
Artigo 22.º
Utilização de áreas da RAN para outros fins
(…)
l) Obras de construção, requalificação ou beneficiação de infra-estruturas públicas rodoviárias, ferroviárias, aeroportuárias, de logística, de saneamento, de transporte e distribuição de energia eléctrica, de abastecimento de gás e de telecomunicações, bem como outras construções ou empreendimentos públicos ou de serviço público;

Só que os tipos do Google Country Vocation Search, distraídos ou incultos, nunca leram a conclusão da pessoana Mensagem:

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
define com perfil e ser
este fulgor baço da terra
que é Portugal a entristecer –
brilho sem luz e sem arder,
como o que o fogo-fátuo encerra.

 

Ninguém sabe que coisa quere.
Ninguém conhece que alma tem,
nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ância distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro…

 

Como toda a gente sabe, o nevoeiro é um factor muito limitante e mesmo impeditivo da utilização de um aeroporto. Assim, esta machadada na Reserva Agrícola Nacional para pouco servirá, porque actualmente a legislação PIN já permite aos amigos requerentes fazerem tudo o que querem, onde querem. Ou, haverá outros desígnios neste nevoeiro que é hoje Portugal?

O artigo 22, ali em cima,  fala em saneamento. Quiçá, a verdadeira vocação de Portugal seja a de cloaca da Europa?