Tag Archives: desporto

Não é verdade que os ministérios em Portugal estejam cheios de imbecis.

FMI e Sócrates concordam - golfe com IVA reduzidoAinda há lugar para mais alguns.

.

.

‘Troika’ está receptiva a IVA reduzido no golfe
21/04/2011, DN Economia

.

Advertisements

O desporto enlatado e a pagar…

… a que estes mandantes espertos nos querem obrigar.

Não se escolhe o lugar de nascimento. Alguns tiveram a sorte de nascer em países com belos climas, como O Reino Unido ou a Dinamarca, e podem fazer exercício ao ar livre, em belos parques.

Chuva no parque

Patinadores no gelo

Outros, menos afortunados, nasceram em Portugal e têm que fazer exercício em ginásios.

Ginásio, exercício

Ginásio 1

Milhões de portugueses sofriam, em silêncio, esta grave situação. Atento, o governo decidiu baixar o IVA deste bem absolutamente de primeira necessidade, que é o acesso ao ginásio. Mais um acto com elevado valor humanitário do executivo deste pequeno, mas bem governado país.

Como é possível que, depois de um gesto tão benevolente, os ginásios não tenham baixado de preço. É um escândalo nacional que chega a atingir repercussões multinacionais. O governo recomenda aos utentes que se queixem e, em seguida, vai pegar nessas queixas e usá-las para obrigar os ginásios a baixar os preços e castigá-los a indemnizar os clientes. Bem feito! Quem julgam eles que são? A DGCI, não?

São decisões destas que vão, finalmente, salvar a economia do país e resolver o problema da pobreza e do desemprego em Portugal. Então não?

“… O amor à Natureza não fornece trabalho a nenhuma fábrica. Foi, pois, decidido abolir o amor à Natureza, pelo menos entre as classes baixas; abolir o amor à Natureza, mas não a tendência para utilizar transportes. … Ao mesmo tempo, fazemos o necessário para que todos os desportos ao ar livre exijam o emprego de aparelhagem complicada. De maneira que, assim, consomem-se artigos manufacturados e, ao mesmo tempo, utilizam-se os transportes. …” (transcrição parcial de: HUXLEY, Aldous, Admirável Mundo Novo, edição Livros do Brasil, Lisboa, páginas 38 e 39)

Huxley estava desatento quando escreveu isto e esqueceu-se da maior das indústrias – a construção civil. Desportos ao ar livre? Nem pensar! Só no ginásio, a pagar, claro. A realidade ultrapassa a ficção.

Os impios governantes deste rincão lusitano só precisam de mais algum tempo no poder para acabar com os exemplos indesejáveis, como este.