Tag Archives: cleptocracia

Ultimamente tenho-me sentido muito assim:

D. Quixote - painel de azulejos em DaimielD. Quixote - painel de azulejos em DaimielD. Quixote - painel de azulejos em Daimiel

Tamanha foi aqui a luta contra as práticas antidemocráticas dos governos anteriores, do pseudo-engenheiro e filósofo! Para quê, afinal? O actual governo revela-se um tão implacável inimigo da vontade e da liberdade dos cidadãos como o anterior. A perseguição fiscal aumentou, a produção legislativa tornou-se mais feroz e imprudente, a prestação de cuidados primários à população diminuiu – apesar de a despesa continuar a aumentar, …

*fotografias de alguns dos painéis de azulejos que embelezam a taça da fonte da praça central de Daimiel, Castilla – La Mancha

Fiscocracia à portuguesa* e os salteadores da farda pedida.

 

 

Fisco vai cobrar dívidas em Operações Stop

 

 

Ainda há por aí algum imbecil com ideias de apelidar esta gente de liberais?

Quanto tempo faltará para que nos entrem novamente casa adentro a horas mortas?

Nota: Como (quase) sempre nos postais deste blogue, as imagens também têm linques para textos a propósito.

*Uma síntese entre a cleptocracia e a plutocracia.

Notícias citadas nos postais lincados (não vão perder-se, por qualquer razão):
Como o fisco vai utilizar as operações stop para cobrar dívidas
05/06/2012, Dinheiro Vivo
Estado injecta 4,3 mil milhões no BCP e BPI e nomeia gestores
Maria Teixeira Alves, 05/06/12, Económino

Trinta e uns genuínos e outros.

Trinta e umFeitas as contas, todos estes aumentos de impostos mal chegam para pagar o Pinhal Interior a Jorge Coelho. (…)
sem tenda nem foguetório no sítio do costume, por Carlos Lopes

O estado de Portugal tem um responsável: José Sócrates. Governou nos últimos cinco anos de forma irresponsável e demagógica. Sempre com base em programas eleitorais falsos e enganadores, levou o país à ruína. (…)
Accountability, por Nuno Gouveia

As justificações de José Sócrates e de Pedro Passos Coelho, o primeiro dizendo que o mundo mudou nos últimos quinze dias e o segundo pedindo desculpa pelo bloco central, a fim de, em simultâneo, atirarem com os respectivos planos eleitoriais para o caixote do lixo são uma anedota. E representam o pior deste sistema de democracia representativa em que aos representantes é permitido dizer-se e desdizer-se, sem o mínimo pingo de vergonha nem a mínima consequência política, a bem de um alegado interesse superior da Nação. Minha gente, isto não é democracia. É uma outra coisa qualquer… (…)
democracia falida, por Ricardo Arroja no PC

Há um ano, dois alargados grupos dos vulgarmente chamados “Grandes Economistas”, um de 28  e outro de 51 professores e doutores, a maioria professores doutores, publicaram manifestos a favor da política de aumento do investimento público para fazer crescer a economia.
(…)
Pois deviam ser esses professores, doutores e professores doutores a arcar com o aumento de impostos. (…)

Crime sem castigo, por Pinho Cardão no 4R