Tag Archives: auxílio

Tragédia no Haiti – apelo.

No final de uma longa noite de trabalho – como poderão constatar pela hora desta postagem – deixo aqui uma breve referência à enorme tragédia resultante do terramoto da passada terça-feira no Haiti, com as palavras deste texto do blogue amigo, A View from Kerry.


Death in Haiti is nothing. Suffering, the dreadful experience of loss, of excruciating injuries, that is Haiti. It is all our suffering. This is one very small world.
“Death destroys a man: the idea of Death saves him”. So said E.M. Forster.

Haitian children

Apelo à solidariedade de todos os portugueses para a ajuda aos sobreviventes desta tragédia. Por favor. contactem uma das organizações de ajuda humanitária como a Cruz Vermelha ou a AMI (eu escolhi esta) para informações sobre como é possível ajudar.

Uma ocorrência desta natureza passar-se-á, mais dia menos dia, também por cá. Façam aos outros como gostariam que eles vos fizessem a vós.

 

I lift my eyes up – Salmo 121

Onde está o teu coração, filho? Porque não me dás atenção? – pergunta o Senhor. Perdoa-me Pai… como é fácil pôr o dinheiro no Teu lugar!

O SENHOR É O MEU AUXÍLIO

1Cântico das peregrinações. Levanto os olhos para os montes: de onde me virá o auxílio? 2O meu auxílio vem do SENHOR que fez o céu e a terra. 3Ele não deixará que vacilem os teus pés; aquele que te guarda, não dormirá. 4Pois não há-de dormir nem dormitar, aquele que guarda Israel. 5O SENHOR é quem te guarda e está a teu lado. Ele é a tua protecção. 6O Sol não te fará mal durante o dia, nem a Lua, durante a noite. 7O SENHOR protege-te de todo o mal e vela pela tua vida. 8O SENHOR protege-te nas tuas idas e vindas, agora e para sempre.

 

Assim seja.

Dar comida aos famintos:

a transparência das acções do Programa Alimentar das Nações Unidas versus a opacidade das ajudas controladas pelo Estado português.

 

No seguimento lógico do postal anterior, qualquer pessoa perguntará o que é possível fazer para mitigar o cruel sofrimento da fome.

Uma forma simples e gratuita de qualquer pessoa ajudar a alimentar gente faminta por esse mundo é, por exemplo, aderir à iniciativa “Free Rice”. Trata-se de um conjunto de jogos educativos (aparece sempre o do vocabulário inglês, mas se clicar em “Change Subjects”, no canto superior esquerdo da janela onde decorre o jogo, verá muitas outras escolhas) que cada vez que são jogados criam um contributo em grãos de arroz, a ser entregue pelos patrocinadores do jogo ao Programa Alimentar das Nações para a ajuda aos famintos.

Tudo está convenientemente explicado no sítio Free Rice.com, desde os objectivos (no separador ABOUT), até aos totais recolhidos (no separador TOTALS) e à explicação da iniciativa (separador FAQ, a partir da pergunta “If FreeRice has the rice to give, why not give it all away right now?”).

Para jogar basta clicar no banner aqui em baixo ou no que juntei à barra lateral do blogue.

Tudo simples, tudo transparente.

 


Help end world hunger


Mas, infelizmente, em Portugal também existe fome. Serão agora cerca de 200 mil pessoas e, diz quem sabe, este número aumentou significativamente durante actual período governativo. Desde 2003 que os governos portugueses têm recebido auxílio alimentar da União Europeia, no valor de milhões de euros, ao abrigo do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar, cujo acesso pelas instituições de caridade social (como, por exemplo, a União das Misericórdias Portuguesas ou a Cáritas) é cada vez mais difícil. Este ano não foi excepção:

 

Portugal recebeu este ano 12,5 milhões de euros do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados, uma iniciativa europeia originalmente concebida para canalizar excedentes agrícolas para as populações mais desfavorecidas, entre as quais Portugal se inscreve, com 18% dos indivíduos em risco de pobreza.*

 

Contudo, algo mudou este ano:

 

Ao contrário do que sucedeu em 2006 e 2007, anos em que Portugal recebeu uma contribuição em géneros – como resultado de excedentes agrícolas e produtos intervencionados -, este ano a queda brutal de “stocks” na União Europeia levou a que a contribuição em géneros se limitasse a 1,6 milhões de toneladas de açúcar, único produto excedentário disponível. A alternativa foi a dotação em dinheiro, com o qual o Ministério da Agricultura deverá adquirir, em concurso público, cereais, arroz e leite em pó.*

 

O facto de a ajuda ter sido recebida em dinheiro obriga a algumas questões óbvias.

Que tipo de bens devem ser adquiridos? Porquê arroz e leite em pó e não feijão e leite condensado? Quem decide a aquisição dos bens alimentares? Porquê o Ministério da Agricultura e não as instituições, em função das necessidades mais específicas da região ou dos indivíduos a assistir? Mas, principalmente, a quem vão ser adquiridos os tais bens alimentares? A aquisição em concurso público não garante neste país qualquer isenção na escolha do fornecedor – como toda a gente sabe mas finge que não sabe. Quem irá ser “porreiramente” beneficiado? É que não são trocos, são 11, 2 milhões de euros!

*Portugal recebe 12 milhões da UE para dar comida aos pobres, por Carla Aguiar, no DN em 18 de Setembro de 2008.

 

Não vos deixeis iludir…

… a luta mais feroz e mais decisiva trava-se no plano espiritual.

 

Arcanjo Miguel

Oração a São Miguel Arcanjo – III

Ó glorioso Arcanjo São Miguel,
Príncipe da milícia celestial,
sede nossa defesa na terrível luta
que levamos contra os poderes do mundo da obscuridade.

Vem em auxílio dos homens,
a quem Deus criou à sua Imagem e Semelhança,
e redimiu por grande preço da tirania do demónio.

Luta neste dia na batalha do Senhor,
junto aos Santos Anjos,
como uma vez lutaste
contra o líder dos anjos orgulhosos,
Lúcifer, e seus seguidores,
que perderam a batalha e seu lugar no Céu.

Essa serpente antiga e cruel que seduz ao mundo
foi lançada ao abismo junto com seus anjos.
Mas agora este inimigo e destruidor dos homens volta a atacar.
Transformado em um anjo de luz passeia,
invadindo a terra com um multidão de espíritos malignos,
para tratar de apagar dela o Nome de Deus e de Cristo,
para apoderar-se da glória eterna.

Este malvado dragão derrama a mais impura torrente
de seu veneno de maldade
sobre os homens de mente depravada e coração corrupto,
o espírito da mentira, da impiedade, da blasfémia
e de todos os vícios e a iniquidade.

… (leia esta oração completa)

Leia também as orações I e II ao arcanjo Miguel.