Tag Archives: autoritarismo

A ditadura ortográfica em Portugal.

O Ministério da Educação ordenou que sejam penalizados nos exames a realizar em 2015 os alunos que não usem a nova escrita acordizada, arbitrariamente e ilegalmente imposta à administração pública portuguesa pelo governo.
Esta é mais uma das muitas ordens prepotentes do governo nesta matéria.

Veja-se, por exemplo, o caso dos alunos que irão realizar exames de 12.º ano em 2015. A “nova ortografia” (como lhe chama o M.E.) foi imposta no ano lectivo de 2011-12. Os alunos referidos estariam então, na sua maioria, no 9.º ano de escolaridade. No ano em que foi imposta não existiam manuais novos para este nível, pelo que estes alunos só terão tido contacto com a escrita acordística no ano lectivo seguinte, 2012-13, e apenas em alguns (muito poucos) manuais. Isto significa que estes alunos passaram 10 anos de uma escolaridade obrigatória de 12 a escrever em português correcto (pré-acordístico). É impossível que estes alunos consigam usar a “nova ortografia” na escrita. E, se estiverem preocupados em fazê-lo, isso irá prejudicá-los na expressão dos conteúdos no tempo limitado de uma prova de exame.

ditadura ortograficaA imagem de base do cartaz foi apanhada aqui.

Nota: Não foi possível encontrar uma única notícia sobre este assunto, pois os meios de comunicação social em Portugal não são independentes e seguem, na sua maioria, as ordens do poder político e económico.

Advertisements

Dilma, you have a problem!

Rio de Janeiro, Junho 20, 2013, 'Primavera Tropical', Foto FP

Brasil, Rio de Janeiro: O povo desfila no centro do Rio de Janeiro, no dia 20 de Junho de 2013, em um protesto fazendo parte daquilo que é agora chamado a “Primavera Tropical” contra a corrupção e os altos preços. Os brasileiros ocuparam de novo as ruas em um novo dia de protestos massivos por todo o país pedindo melhores serviços públicos e lamentando a pesada despesa com a organização do Campeonato do Mundo. Mais de 1 milhão de pessoas se comprometeram através das redes sociais a marchar em 80 cidades por todo o Brasil, mostrando que a acção contestatária que dura já há 2 semanas até ao presente – a maior já vista no país nos últimos 20 anos – não dá sinais de diminuir.
(tradução expedita do texto em inglês da legenda da agência FP a que pode aceder clicando na imagem)

Como se qualifica um povo que:

– em nome de uma falsa justiça fiscal permite que lhe destruam a Economia?

– em nome de uma falsa unidade da ortografia permite que lhe destruam a Língua?

– em nome de uma falsa justiça social permite que lhe destruam o serviço público de cuidados de saúde?

– em nome de uma falsa recuperação económica permite que lhe sejam penalizados os mais pobres?

(clique na imagem para ver a sua origem)

Como se qualifica um povo que comete sempre os mesmos erros? Que não valoriza a democracia por não querer a responsabilidade de fazer as suas próprias escolhas?

A grega democracia, a imperialista UE e a ‘grant’ implosão…

1. Sequência noticiosa:

Grécia vai ter referendo sobre acordo de perdão da dívida
31 de Outubro, 2011, Lusa/SOL

Europa e Banco Mundial preocupados com referendo
1 de Novembro, 2011, SOL com AP

Grécia demite chefias militares
1 de Novembro, 2011, SOL

Grécia: Merkel, Sarkozy, UE e FMI reunidos na quarta-feira
1 de Novembro, 2011, Lusa / SOL

(A propósito, uma singela questão já aqui posta antes.)

2. Vídeo de implosão:

E, chamam a isto democracia?

Duas horas e quarenta depois do início, a terceira ronda das negociações sobre o Orçamento do Estado entre Governo e PSD terminou sem declarações. A reunião será retomada amanhã ao meio-dia pelas duas equipas. …
(OE: negociações regressam amanhã, 25.10.2010, Nuno Lourenço, Público)

Segundo a imprensa, ambas as partes pretendem fechar o acordo o mais rapidamente possível, sobretudo antes de amanhã à noite Cavaco Silva confirmar a candidatura a Belém e de Sócrates participar no Conselho Europeu no final da semana. …
(Negociações entre Governo e PSD continuam terça-feira, 25 Outubro 2010, Jornal de Negócios)

Reuniões à porta fechada para decidirem quanto vão sacar aos servos, digo, contribuintes e para cumprirem calendários político-partidários?

Leituras complementares recomendadas:

Partidocracia no auge

Dividir o saque

SERVIÇO PÚBLICO: Salazar entalado entre duas repúblicas incontinentes

Retrato da Administração Pública portuguesa, com filtro cor-de-rosa.

O autoritarismo conduz à mediocridade.

.

Como complementos muito esclarecedores do texto indicado acima, recomendo a leitura de Pendurados e Otários, por A. Nogueira Leite no Albergue Espanhol, e  de Transparência, por S. Paiva Pires no Estado Sentido.

QED

Em democracia a autoridade não se esconde

Só deve ter medo quem abusa da autoridade ou não tem legitimidade para o seu exercício.

Asae

“Correio da Manhã

Economia
2008-02-11 – 00:30:00

Riqueza: Declaração depositada no Tribunal Constitucional
Presidente da ASAE pede morada secreta

O presidente da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) é um dos 12 titulares de cargos políticos que solicitaram ao Tribunal Constitucional (TC), ao abrigo da lei que estabelece o controlo da riqueza dos titulares de cargos políticos, a ocultação parcial da sua declaração de rendimentos. Por força das funções desempenhadas na ASAE, organismo que tem estado no centro da polémica por causa do alegado excesso de zelo na fiscalização, António Nunes pediu, em Maio de 2006, à instituição então presidida por Artur Maurício para manter secreta a morada da sua residência e a viatura. E o pedido foi deferido. …”

Em democracia, quem tem medo de exercer funções de autoridade deve ser substituído.

***

Nota pós texto (1), a propósito de legitimidade democrática (ou da falta dela):

Os atentados ocorridos em Timor Leste ontem, domingo 11 de Fevereiro, eram previsíveis – diria mesmo inevitáveis. Para perceber porquê, basta ler estas duas notícias: (lamentavelmente, é preciso recorrer à imprensa brasileira para conseguir esta informação)

2ª “Midiacon News
Internacional
24 de Janeiro de 2008 – 17:55
Oposição exige demissão do primeiro-ministro do Timor Leste

Nota pós texto (2), a propósito de medo:

Trinta minutos antes da hora marcada, através de um fax “A Ministra da Educação fez saber que anulava a reunião que tinha agendada com a Escola de Música do Conservatório Nacional alegando falta de condições de trabalho”. Pode ler mais no Ideias Soltas, sob este título:

Ministra da Educação anula reunião com Conservatório Nacional