Tag Archives: alienação

Recordar Veneza (para não pensar em Portugal).

As notícias que fui lendo ontem diziam que as incompetentes decisões dos caros gestores da banca pública portuguesa da década passada causaram um prejuízo monumental; que os governantes actuais continuam a “fomentar a emigração” dos melhores recursos deste país, por que a única coisa que sabem fazer para “combater a crise” é aumentar estupidamente os impostos; que as forças de segurança nacionais decidiram participar em todas as acções de protesto convocadas pelas centrais sindicais, seja a CGTP seja a UGT

A bem da minha sanidade mental prefiro partilhar convosco un ricordo de Venezia.

Advertisements

E a mim, quem me segura?

DrunfoPassos Coelho (…) deixou o aviso: “Se algum dia chegarmos à evidência de que o governo não cumpre aquilo a que se comprometeu, que há uma situação financeira de ruptura em Portugal, que o país está num impasse, num beco sem saída”, então, o PSD “arranjará uma saída para esta situação”.

(Passos segura Sócrates por agora mas ameaça com moção no futuro, por Liliana Valente, Publicado em 16 de Fevereiro de 2011 em ionline)

Digam-me, por favor: O indivíduo “drunfa-se”?

Exercícios de demagogia do(s) poder(es) socialista(s).

Manipulado alienado

1. Antecipar a abertura da época balnear em 15 dias ou mais.

2. Ampliar para 2 meses as Festas de Lisboa… com cantiguinhas na boca e amor no coração.

As ansiosas questões que forçosamente se lhes põem:

– Será isto suficiente para alienar e enganar os parvos o povinho?

– Chegará para os manter entretidos?

– Mais circo compensará menos pão?

Sugestão para começar bem este domingo.

Alienação saudável: Ouvir o lindíssimo tema La valse d’Amélie, da banda sonora do excelente filme O Fabuloso Destino de Amélie, aqui interpretado no quase mágico Teremim.

.
.

A fé é a substância de coisas esperadas*

.
Os tempos de Sócrates estão a acabar, esgotados, encurralados, perdidos na nuvem de arrogância do “animal feroz”, na amoralidade da sua política, na mentira total em que transformou toda a actividade governativa, na impotência face a uma crise nacional que agravou e uma crise internacional que ignorou, adiou e, por isso mesmo, também agravou.

O programa para 2010 era gastar e continuar a gastar, até a crise grega e as quebras e ameaças de baixa nos ratings das agências internacionais terem exigido fazer em 2010 aquilo que era apenas para 2013. Quem viesse a seguir que pagasse a crise, e quem vem a seguir no fim da década e na próxima década já tem garantida uma vultuosa conta deixada pelo Governo actual, que faz as obras para os que vêm a seguir pagarem os custos.

E quanto mais Sócrates se enterra na negação do real, mais este lhe bate à porta. Até o próprio parece começar a aperceber-se disto, e a responder a este fim dos tempos numa fuga em frente obstinada, porque é da sua natureza, mas confusa e caótica.

Exemplos sobre exemplos desta degenerescência aparecem todos os dias. Já não são bonitos de se ver os tempos da crise do “socratismo”, mais ainda vão ser piores os tempos da queda do “socratismo”. …

(Os tempos de Sócrates estão a acabar mas a herança é pesada, por José Pacheco Pereira, em 17.1.10, no Abrupto)

Isto não pode ser considerado normal!

A negação da realidade designa-se alienação.

“A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, afirmou «não ser relevante» a participação de «100 mil professores na marcha da indignação», em Lisboa, adiantando que o importante é «continuar a trabalhar para encontrar as melhores soluções», refere a Lusa. …” (no Portugal Diário, Ministra: 100 mil docentes na rua “não é relevante”, 2008/03/08)

clique na imagem

ministra da avaliação

“… À saída, a ministra disse ao DN que compreendia a “insatisfação” dos professores. Mas os números deixam-na “indiferente”. Quando confrontada com a grandeza da manifestação, que ultrapassou as perspectivas mais optimistas das organizações sindicais, a ministra da Educação referiu: “Cinquenta mil, cem mil…. se fossem vinte mil já eram de mais”. …” (no Diário de Notícias, Márcio Candoso e Pedro Marques, “50 mil, 100 mil… se fossem 20 mil já eram muitos”, 9 de Março de 2008)

Autismo, o que é?
É uma alteração cerebral que afecta a capacidade da pessoa comunicar, estabelecer relacionamentos e responder apropriadamente ao ambiente. …” (na Wikipédia)

“Lisboa – O primeiro-ministro José Sócrates desvalorizou ontem a manifestação de 100 mil pessoas que, na tarde de sábado, protestaram em Lisboa contra as mudanças na Educação e pediram a demissão da ministra, Maria de Lurdes Rodrigues. …” (no Jornal Digital, Sócrates desvaloriza número de manifestantes, 2008/03/10)

“Sobre a manutenção de Maria de Lurdes Rodrigues no Governo, Sócrates desfez as dúvidas: “A sua saída não está, nem nunca esteve, em causa.” E assim recusou a reivindicação dos cem mil professores da ‘Marcha da Indignação’, em Lisboa. …” (no Correio da Manhã, Sócrates segura ministra, 10 de Março de 2008)

“O primeiro-ministro, José Sócrates, disse hoje que mantém a confiança na ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, e na política em curso para o sector, apesar do protesto dos professores que levou cem mil pessoas ontem às ruas em Lisboa. …” (no Público, Ricardo Garcia, Sócrates mantém ministra e desvaloriza protesto dos professores, 09/03/2008)

clique na imagem

pop sócrates

“«O que me convence não é a força dos números. É a força da razão». O primeiro-ministro José Sócrates relativizou ontem a manifestação de 100 mil pessoas que, na tarde de sábado, contestaram nas ruas de Lisboa as mudanças na Educação e pediram a demissão da ministra. …” (no Jornal de Notícias, Gina Pereira, Sócrates não cede e segura a ministra, 10 de Março de 2008)

“A esquizofrenia é uma doença mental grave que se caracteriza classicamente por uma colecção de sintomas, entre os quais avultam alterações do pensamento, alucinações (sobretudo auditivas), delírios e embotamento emocional com perda de contacto com a realidade, podendo causar um disfuncionamento social crónico. …” (na Wikipedia)

“Razão é a faculdade de raciocinar, de apreender, compreender, de ponderar, de julgar; a inteligência. …” (na Wikipédia)

Que razão poderá invocar aquele que se encontra alienado?

“Alienação Mental (Glossário): (fr. aliénation mentale; ing. insanity). 1) Antigamente, designava qualquer estado de privação da razão: idiotia, imbecilidade, loucura. 2) Actualmente, designa uma perturbação mental que torna o indivíduo (alienado) incómodo ou perigoso para a sociedade e que é motivo administrativo e jurídico do seu internamento numa instituição para doentes mentais. Sin. de demência (2).” [no sítio Médicos de Portugal]

“A ACTIVIDADE LIBERTADORA DE JESUS

JESUS LIBERTA DA ALIENAÇÃO

31Desceu, depois, a Cafarnaúm, cidade da Galileia, e a todos ensinava ao sábado. 32E estavam maravilhados com o seu ensino, porque falava com autoridade. 33Encontrava-se na sinagoga um homem que tinha um espírito demoníaco, o qual se pôs a bradar em alta voz: 34«Ah! Que tens que ver connosco, Jesus de Nazaré? Vieste para nos arruinar? Sei quem Tu és: o Santo de Deus!» 35Jesus ordenou-lhe: «Cala-te e sai desse homem!» O demónio, arremessando o homem para o meio da assistência, saiu dele sem lhe fazer mal algum. 36Dominados pelo espanto, diziam uns aos outros: «Que palavra é esta? Ordena com autoridade e poder aos espíritos malignos, e eles saem!» 37A sua fama espalhou-se por todos os lugares daquela região.” (Lucas 4)