Tag Archives: abril

De como a estupidez institucionalizada destrói a liberdade conquistada.

Um exemplo singelo. Uma história verdadeira. Abril, 39 anos depois…

.

Teoria Geral da Estupidez Humana - capaEm viagem, quatro e meia da tarde. Um telefonema, um pedido para adiar uma obrigação cerca de duas horas. Povoação mais próxima, a Golegã. Lanchar, revisitar a linda Matriz de portais manuelinos… sobrava o tempo necessário para visitar a Casa-Estúdio Carlos Relvas. Cinco minutos a pé desde a praça central. Entrada no jardim da Casa-Estúdio às cinco e vinte da tarde. “As actividades do dia já terminaram” – diz a funcionária na recepção. “O horário diz que está aberto até às seis” – respondo. Com pouca vontade (para não dizer de má vontade) a cicerone lá nos conduz ao interior. Entrada pelo piso baixo, salas de trabalho, biblioteca e sala de espera para os convidados do fotógrafo. Subida ao piso superior, um enorme estúdio fotográfico de paredes e tectos em vidro suportados por estrutura de ferro, cheio de luz natural. Alinhadas, algumas máquinas fotográficas construídas pelo próprio artista. “ O meu amigo Henrique Sousa(1)  vai ficar maravilhado quando lhe mostrar estas «meninas»” – pensei enquanto sacava da minha modesta Fuji digital. “É proibido tirar fotografias” – ouço a funcionária dizer ao meu lado. “COMO!” – respondi, pensando não ter entendido bem. “É proibido tirar fotografias” – repetiu a criatura.

É a liberdade que distingue um grego de um bárbaro. (2)
Jean Sirinelli

(1) Coleccionador de máquinas fotográficas e entusiasta fotógrafo amador.
(2) Experimentem aplicar esta frase aos acontecimentos presentes dentro da chamada Zona Euro e perceberão que não se trata de uma mera questão conjuntural, mas antes de um profundo (e inultrapassável) choque cultural.

Lições de autodefesa para fotojornalistas (e outros) nas manifestações políticas em Portugal.

Tendo em consideração os antecedentes e as ameaças da polícia relativamente às próximas manifestações.

Constituição da República Portuguesa
Artigo 21.º
Direito de resistência
Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública

A Associação 25 de Abril recusa participar nas comemorações oficiais do 25 de Abril.


Porque consideramos que:
O contrato social estabelecido na Constituição da República Portuguesa foi rompido pelo poder. As medidas e sacrifícios impostos aos cidadãos portugueses ultrapassaram os limites do suportável. Condições inaceitáveis de segurança e bem-estar social atingem a dignidade da pessoa humana.
O rumo político seguido protege os privilégios, agrava a pobreza e a exclusão social, desvaloriza o trabalho.  
– Sem uma justiça capaz, com dirigentes políticos para quem a ética é palavra vã, Portugal é já o país da União Europeia com maiores desigualdades sociais.
Portugal não tem sido respeitado entre iguais, na construção institucional comum, a União Europeia.
– Portugal é tratado com arrogância por poderes externos, o que os nossos governantes aceitam sem protesto e com a auto-satisfação dos subservientes.
O nosso estatuto real é hoje o de um “protectorado”, com dirigentes sem capacidade autónoma de decisão nos nossos destinos.

Em conformidade, a A25A anuncia que:
Não participará nos actos oficiais nacionais evocativos do 38.º aniversário do 25 de Abril;
– Participará nas Comemorações Populares e outros actos locais de celebração do 25 de Abril;

Leia oManifesto da A25A completo aqui (ficheio pdf).

Os corvos gansos voam em bandos, as águias voam sozinhas.

Uma resposta àquela que (penso eu) será a mensagem do postal de 23 de Abril de 2011 do meu amigo David.
.
.
É bem mais difícil, eu sei: mas, em minha defesa tenho a dizer que não somos nós que escolhemos seguir Jesus, é antes Jesus que nos escolhe para que o sigamos.
.

O desemprego, os especialistas socialistas-instantâneos e o fim do regime

Notícia 1:

O desemprego em Portugal continua a bater níveis recorde. De acordo com o Eurostat, gabinete de estatística da União Europeia (UE), a taxa portuguesa subiu para os 10,8% em Abril, o que, em números globais, significa 595 mil portugueses sem trabalho.
Uma recolha de dados no site do Eurostat dá-nos resultados mensais do desemprego em Portugal desde Janeiro de 1983. Nunca foi registada uma taxa tão elevada como as dos últimos meses. …

(Portugal regista novo recorde com 595 mil desempregados, por D.L., 01 Junho 2010, no DN Bolsa)

Credibilidade da fonte dos dados da notícia 1:

O Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat) é a organização estatística da Comissão Europeia que produz dados estatísticos para a União Europeia e promove a harmonização dos métodos estatísticos entre os estados membros.
Dois dos seus papeis particularmente importantes são a produção de dados macro-económicos que apoiam as decisões do Banco Central Europeu na sua política monetária para o euro, …

(Eurostat, na Wikipedia)

Desemprego

Notícia 2:

A taxa de desemprego hoje anunciada pelo Eurostat para Portugal para o mês de Abril irá revelar-se “inadequada” e ser revista em baixa pela instituição, disse à Lusa o secretário de Estado do Emprego, Valter Lemos.
Os dados que temos disponíveis indicam que esta previsão [de 10,8 por cento] provavelmente ainda não tem em conta os dados de Abril e utiliza, suponho eu, uma técnica de projectar a tendência de acordo com a evolução do ano anterior, ou seja em função da evolução de Março para Abril do ano de 2009″, disse. …

(Secretário de Estado: técnicas de cálculo do Eurostat irão revelar-se inadequados, 01 Junho 2010, no DN Bolsa)

Credibilidade da fonte dos dados da notícia 2:

Valter Victorino Lemos

Habilitações Académicas e Profissionais
Licenciatura em Biologia, Universidade de Lisboa
Master of Education (MEd), Boston University, USA
Mestre em Ensino das Ciências – por equiparação
[?], Universidade de Lisboa

Funções governamentais exercidas
[anteriormente]
Desde  2005-03-14
Secretário de Estado da Educação  do  XVII Governo Constitucional

(Quem é Valter Lemos, Março 27, 2008, no sítio Sala dos Professores)

Licenciatura em Biologia? Secretário de Estado do Emprego? Mestre em Ensino das Ciências por equiparação? Por equiparação… a quê? “Os dados que temos disponíveis“? “Provavelmente“? “Suponho eu“? Que dados são esses? Quem tem esses (alegados) dados? Porque não os apresenta?

Este Valter é, ou não é, um verdadeiro especialista instantâneo? É, ou não é, um homem de mão adequado ao engenheiro instantâneo a quem serve?

Alcatrão e penas para eles. Já, por favor.

25 de Abril de 2010: a corrupção dos cravos…

Democracia falhadaDomingos Névoa tentou subornar o vereador José Sá Fernandes com 200 mil euros. Foi condenado em 5 mil (40 vezes menos). Tudo ficou provado, mas Ricardo Sá Fernandes (que denunciou) foi multado em 10 mil. Pagou-os ao empresário condenado por lhe chamar corrupto. Para o dito, o saldo foi positivo. Amealhou 5 mil euros e saiu como o caluniado.
Chega? Não. Agora, Névoa foi absolvido. A Relação considerou-o desinformado: o vereador não teria poderes para o que o corruptor pretendia. A interpretação destes juízes significa duas coisas. Primeiro, a ignorância compensa (veja-se o caso Figo). Doravante o cidadão deve fazer–se de (ou ser) ignorante. Se for corrompido, pode ganhar dinheiro. Se não ignorar a corrupção e denunciar, pode perder.
Segundo, ninguém pode ser acusado de corromper um vereador. Só o Presidente de Câmara. Nem um secretário de estado. Só um Ministro. Ou só mesmo o PM. No limite, como muitas decisões são colectivas, acabou-se a corrupção. Daí que existam tão poucas condenações por este crime: os outros tribunais foram visionários e já estavam a seguir esta linha. Que bom. Finalmente, há quem trate desta gangrena em Portugal. Talvez, em todo o mundo. Muito obrigada, Tribunal da Relação. A democracia agradece-lhe eternamente esta linda rifa do 25 de Abril.

(A rifa da Democracia, Joana Amaral Dias, 24 Abril 2010, Correio da Manhã)
.