Category Archives: ÚLTIMA HORA

Adeus Clix/Optimus.

PelintraParece que vamos deixar de ter internet e telefone fixos por aqui durante uns tempos. A carta de despedida (ao cliente) é, por si só, um monumento de desconsideração. Escrevem assim:
Assunto: Desligamento dos Serviços Optimus Clix
Caro(a) Cliente,
Conforme anteriormente lhe comunicámos, a partir do próximo dia 15 de Maio de 2014 o serviço Optimus Clix cessará.
A partir desse dia, os clientes ficarão sem serviço de telefone e de internet.

Tal como aconteceu com as auto-estradas e vias rápidas pagas (ex-SCUTs), os operadores, muito inc€ntivados pelo Estado, investiram milhões na “melhor rede de fibra óptica da Europa” e agora querem obrigar os cidadãos a usá-la pagando cara a extravagância. Que o serviço ADSL e as estradas de duas faixas são coisas de pobre…
Cinco anos depois da declaração de insolvência do país, que resultou no pedido de empréstimos ao FMI, e de muitos mais milhões de dívida pública, todos os parasitas do erário público (partidos, empresas públicas ou dependentes de rendas do Estado) ainda não aprenderam que já não são jovens e que nunca foram ricos. Uns pelintras.

Por aqui vamos aproveitar a oportunidade para diminuir as despesas. Fomos tomando entretanto conhecimento de uma série de locais de acesso Wi-Fi gratuito (para nós, claro), alguns mesmo com funcionamento nocturno, e fazemos sérias intenções de tentar tratar de tudo o que necessita de suporte da rede através destas ligações. (Para questões eventualmente mais privadas ou delicadas haverá sempre o recurso a amigos e/ou familiares…)

Advertisements

‘Se capitães de Abril exigem falar o problema é deles…’ Todos ao Carmo!

Os deputados afirmam pela voz da sua presidente que “Se capitães de Abril exigem falar «o problema é deles»“. Isto é assim como que uma dentada na mão que lhes deu de comer.
O primeiro-ministro vem dizer que “não quer “independentes” como deputados na Assembleia da República“. O regime recusa, portanto, reformar-se.
E o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social declara que muitos desempregados ” perderam RSI porque podiam trabalhar e não quiseram“. Assim, segundo esta criatura, os desempregados são uns masoquistas que preferem passar fome a trabalhar.

Estas são apenas algumas excelentes razões para que todos, mas mesmo todos, os portugueses que se sentem insatisfeitos, mal-tratados, espoliados e violentados por este governo e por esta legislatura subam ao Carmo hoje, 24 de Abril de 2014.
Porque desta vez não vai aparecer um cavaleiro galante montado num Chaimite para subir por eles.

E, não deve ser por acaso que o lugar se chama Carmo. Este nome é uma evocação de um lugar situado na Terra Santa, chamado Monte Carmelo: “trata-se do local onde se deu o duelo espiritual entre o profeta Elias e os profetas de Baal“.

A minha homenagem a / My tribute to Nelson Mandela

Today I join millions of others to mark December 5, 2013 as the date when the World has lost the physical presence of one of his greatest, Nelson Mandela, in order to, I believe, increase the power of his spirit of reconciliation and peace among all people. / Hoje junto-me a milhões de outros para marcar o 5 de Dezembro de 2013 como a data em que o mundo perdeu a presença física de um dos seus maiores, Nelson Mandela, por forma a, acredito eu, aumentar o poder do seu espírito de reconciliação e paz entre todas as pessoas.

Acho que ele, Mandela, iria gostar desta música, The Final Emotion, e das palavras do seu autor, Phil Sawyer, a propósito da edição do album Beautiful World, do qual faz parte: “I believe the only way to stop this madness is a change, a revolution if you will, in the hearts of all human beings.”

Dia de oração por Saeed Abedini e por toda a Igreja perseguida.

Imaginem, por instantes, o que aconteceria se um português, sem qualquer cadastro, residente no Irão e entretanto nacionalizado iraniano e convertido ao Islão, viesse a Portugal acompanhar a construção de um orfanato subsidiado pela sua própria família, aqui residente, e fosse preso e condenado a 8 anos de prisão sob a acusação de “minar a segurança nacional” por … promover [juntamente com outros crentes] uma «guerra cultural» contra o governo através da sua prática do… [Islamismo] em igrejas domésticas informais. Isso é impensável, dirão. Mas foi exactamente isso que aconteceu ao pastor protestante americano-iraniano Saeed quando decidiu visitar a família no Irão, o ano passado.

Por isso, hoje, dia 26 de Setembro de 2013, no dia em que faz um ano que o pastor Saeed foi preso, haverá uma jornada mundial de oração pela libertação de Saeed Abedini e de toda a Igreja perseguida. Em Portugal, o lugar de encontro, generosamente posto à disposição pela Igreja Encontro de Vida da Amadora, é o seguinte: Avenida Miguel Bombarda 64 – 1.º andar, 2745-172 Queluze a vigília de oração ali começa às 20 horas.

A muitos será impossível ir ali orar com aqueles irmãos em Cristo. Mas, para um vero cristão orar qualquer lugar é bom. Por isso, deixo aqui este apelo A TODOS OS IRMÃOS EM CRISTO, independentemente da sua origem ou denominação, que HOJE, PELAS OITO DA TARDE RESERVEM UM TEMPO, mesmo que breve (bastam 5 ou 10 minutos), PARA SE JUNTAREM A ESTA ORAÇÃO COLECTIVA, EM NOME DE JESUS.

May this be The Rain Song of a Day of Fire.

O encerramento do Forte Apache.

Abandonado o forte, fica o território entregue à bicharada e aos índios.

O que só vem confirmar os fortes indícios de que o actual estado-maior nacional não irá aguentar-se até ao fim do ano. Mas, se implodirá logo a seguir à escolha dos caciques ou lá mais para o dia de finados… isso já é mais difícil de prever.

Fort Apache

A imagem do governo português ao 2.º dia de Julho de 2013.

Castelo de cartasVítor Gaspar sai e queixa-se de falta de coesão do Governo
Pedro Crisóstomo, 01/07/2013 (PÚBLICO)

Portas demite-se do Governo descontente com solução para as Finanças
Sofia Rodrigues, São José Almeida e Leonete Botelho, 02/07/2013 (PÚBLICO)

Actualização (3 Jul. 2013 – 00:15)

Morais Sarmento também sai do Governo
01 Julho 2013, por Sara Antunes (Negócios)

Mota Soares e Assunção Cristas vão demitir-se amanhã
2 de Julho de 2013 (Diário Digital)

I am what I am.

1Cor. 15: 10 (on popeye print)But by the grace of God I am what I am, and his grace to me was not without effect. No, I worked harder than all of them—yet not I, but the grace of God that was with me.
(em português)

Turquia: as inquietantes imagens de uma revolução.

Istambul, praça Taksim, 11Jun2013, foto Kilic/France PressPolícias anti-motim entraram na praça Taksim no centro de Istambul esta terça-feira [11-Junho-2013] disparando granadas de gás lacrimogénio e canhões de água.

Esta é uma de dez imagens publicadas pelo NYT ontem, 12 de Junho de 2013. (Aviso: No momento em que escrevo o jornal tem as fotos acessíveis ao público em geral e para as ver basta ter os “cookies” abertos no navegador; mais tarde, no entanto, poderá ter que registar-se no sítio do jornal.)

Até o politicamente correcto* precisa de uma consoante muda.

Vogais e consoantes politicamente incorrectas do acordo ortográfico, Pedro Correia - livro, apresentação

* O que é o politicamente correcto?

Sobre a importância de estar presente na manifestação de hoje, 26 de Janeiro.

Ainda que o momento (o timing, como é fino dizer agora) seja (e é!) péssimo e a Fenprof esteja (que está!) a politizar a manifestação (o que faz com que muitos imediatamente desejem afastar-se) é muito importante estar hoje presente no Marquês de Pombal às 3 horas da tarde para a manifestação em defesa da Escola Pública. Que quem me lê fique a saber que a luta pela Escola Pública não é dos professores, mas de todos aqueles cujos filhos se verão brevemente impossibiltados de continuar a estudar por incapacidade financeira. (veja também este artigo anterior)

Manifestação de 26 de Janeiro de 2013 - pela Escola Pública

… Don’t miss this: Engaging fellowship in the Spirit is the primary object of every measure we take against human government. How hard is it to realize a fundamental element in government’s campaign to rule all things is isolating each of us from the other? In isolation we are powerless to resist forced conglomeration. By taking a competing path to unity, we form a ‘de facto’ alternative government. The primary nature of our rebellion is counteracting that shift of power from the local to the central authority.
In political theory, it is widely recognized the definition of government is a monopoly of violent force. Every government is merely a conspiracy of folks seizing power over others, whether by actual violence or only threatening it. While a strong civil culture helps, at the bottom of every ruling power is the threat of force. When any entity, external or internal, threatens that power by exercising a competing violent force, that entity becomes a de facto government of sorts. It need not seek immediately the total control exercised by the official government, only a measure of control over certain elements of the circumstances. It’s competing for control, nothing more. … (transcrito daqui, subtítulo Weapons versus Weapons)*

*Se alguém precisar do texto acima traduzido basta solicitar na caixa de comentários e eu o traduzirei.