Category Archives: PRECARIEDADE

A ‘lavagem de dinheiro’ e a ‘notícia’ do jornalista ‘moderno’.

Ao ler os artigos de alguns jornalistas “modernos”, cada vez mais me lembro daquela famosa passagem do Evangelho de Mateus 15:14, Deixai-os: são cegos a conduzir outros cegos! Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão nalguma cova.

Veja-se a seguinte notícia(?) do JN, por exemplo:
Santa Casa alerta PJ para lavagem de dinheiro com prémios
NELSON MORAIS | 16/03/2015
… Desde 2012, a Santa Casa denunciou 34 casos em que os prémios podem ter sido usados para lavar dinheiro sujo.

Os sucintos relatórios da UIF nada dizem sobre o teor das comunicações da SCML, nem sobre o montante do dinheiro eventualmente “branqueado”, mas uma fonte policial explica que está em causa “um esquema clássico de branqueamento”.
… pode ter tido novo incentivo quando, em 2013, o Fisco passou a ficar com 20% dos prémios. Como disse?!

imagem com link

imagem com link

Em primeiro lugar, o jornalista “moderno” escreve sempre em “brasilês”, uma novilíngua inventada por um tipo chamado Malaca que mistura palavras de português de Portugal e palavras de português do Brasil com outras palavras inventadas pelo dito Malaca, o que faz com que a escrita nesta novilíngua fique cheia de erros, tanto para um leitor português, como para um leitor brasileiro. (A esta novi-escrita chamou o Malaca novo acordo ortográfico.)

Depois, vender e comprar cautelas premiadas para movimentar dinheiro de forma não numerária é prática que existe em Portugal há tanto tempo como os próprios jogos ditos de sorte e azar com emissão de títulos ou bilhetes.
Sabe-se, por exemplo, que no tempo da colónias de África muita gente enviava cautelas premiadas a familiares em Portugal, os quais assim podiam levantar a dádiva sem perder dinheiro no câmbio entre a moeda ultramarina e a da metrópole.

Actualmente, este esquema é apenas utilizado em pequenas transações de produtos lícitos ou ilícitos. (Até porque nenhum dos intervenientes do segundo caso, frequentemente com cadastro, se arriscaria a ser identificado para receber prémios superiores a 5 mil euros.)
Eu não gosto muito de dar dicas a ignorantes, mas desta vez vou quebrar o meu hábito.

O que os jornalistas da “nova geração” deverão investigar (em vez de paparem o que lhes vem à mão), por exemplo, são as lojas em centros comerciais.
Segundo um amigo meu que trabalha na administração de um grande Centro Comercial, uma em cada 5 ou 6 lojas não tem lucro para poder pagar sequer a renda, mas pagam e a administração não pergunta a origem do dinheiro.
Não me digam que também ninguém estranhou a recente proliferação de lavandarias automáticas nos grandes centros urbanos? É que este é um clássico, caramba!

O mundo de cada um é mesmo do tamanho daquilo que ele conhece.
Actualmente os jornalistas estão a ser substituídos por uma espécie de relações-públicas, voluntária ou involutáriamente ignorantes e acéfalos, que propagandeiam o que lhes manda quem os contrata.

Advertisements

Traduções impedidas de livros proibidos. / Precluded translations of banned books.

Poucas pessoas saberão que livros como Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll), O Diário de Anne Frank, As vinhas da Ira (John Steibeck) ou Bichos (Colectânea de contos, Miguel Torga) estiveram proibidos num qualquer país durante algum (mais ou menos) tempo.
Para comemorar a Semana dos Livros Proibidos* publico aqui o pequeno poema To the Garden the World, do livro Leaves of Grass de Walt Whitman (um livro que também esteve proibido) e a minha tradução dele para um trabalho que foi cancelado (mais um) por falta de verba.

Few people will know that books like Alice’s Adventures in Wonderland (Lewis Carroll), The Diary of Anne Frank, The Grapes of Wrath (John Steinbeck) or Farrusco the blackbird: and other stories from the Portuguese (Miguel Torga) were once banned in some country for some (more or less) time.
To commemorate the Banned Books Week I publish here the small poem To the Garden the World from the book Leaves of Grass by Walt Whitman (a book that was once also banned), and my translation of it to Portuguese as part of a commission that has been canceled (one more) because of withdrawal on funding.

To the Garden the World

To the garden the world anew ascending,
Potent mates, daughters, sons, preluding,
The love, the life of their bodies, meaning and being,
Curious here behold my resurrection after slumber,
The revolving cycles in their wide sweep having brought me again,
Amorous, mature, all beautiful to me, all wondrous,
My limbs and the quivering fire that ever plays through them, for
reasons, most wondrous,
Existing I peer and penetrate still,
Content with the present, content with the past,
By my side or back of me Eve following,
Or in front, and I following her just the same.

Ao Jardim o Mundo

Ao jardim o mundo novamente ascendendo,
Potentes companheiros, filhas, filhos, antecipando,
O amor, a vida dos seus corpos, significado e ser,
Curioso, eis aqui a minha ressurreição após o sono,
Os ciclos girando na sua ampla varredura trazendo-me de novo,
Amoroso, maduro, tudo belo para mim, tudo maravilhoso,
Os meus membros e o fogo trémulo que sempre se mostra neles, as razões, espantosas,
Existindo eu prescruto e penetro ainda,
Satisfeito com o presente, satisfeito com o passado,
Ao meu lado ou atrás de mim segue Eva,
Ou à frente e eu seguindo-a, tanto faz.

*A expressão inglesa banned books tem sido traduzida para português como livros censurados, o que na minha modesta opinião é um erro pois em nenhum dicionário (antigo ou moderno) foi encontrada a palavra “censurar” com o significado (mesmo que informal ou figurado) da palavra ban. Muitos livros (e filmes) foram, e são ainda hoje, censurados e mesmo assim publicados, ainda que estropiados.

Do what you want to do. / Faz aquilo que desejas.

“Dr. John Kitchin quit a medical career to pursue his passion: skating along the boardwalk of San Diego’s Pacific Beach.” Why? Because a 93 years old man told him: Do what you want to do.
I do not use (or like) to share personal experiences in public. However, this time I will open an exception. This was more or less the same thing my best friend told me before she died, too young and full of wish to live. And, the same way it happened to John Kitchin, this sentence ended up changing my life – although (apparently) in a less radical way.

“O neurologista John Kitchin desiste da carreira como médico para seguir a sua paixão: patinar no passeio ao longo da praia Pacific Beach em S. Diego.” Por que razão? Porque um homem de 93 anos de idade lhe disse: Faz aquilo que desejas.
Não costumo (nem gosto) de partilhar experiências pessoais em público. Mas, neste caso, irei abrir uma excepção. Foi mais ou menos esta a frase que me disse a minha melhor amiga antes de morrer, demasiado jovem e cheia de vontade de viver. E, tal como aconteceu a John Kitchin, esta frase acabou por mudar a minha vida – embora de uma forma (aparentemente) menos radical.

Não se enganem. Se algum de vocês pensa que é sábio segundo os padrões desta era, deve tornar-se “louco” para que se torne sábio.
1 Coríntios 3:18 (NVI-PT)

Do not deceive yourselves. If any of you think you are wise by the standards of this age, you should become “fools” so that you may become wise.
1 Corinthians 3:18 (NIV)

(des)Emprego em Portugal: os números desmentem a demagogia das percentagens.

Um banhinho (frio) de realidade numérica para tirar os “amigos da laranja” do estado de semicatatónica verborreia sobre a “queda” da taxa de desemprego no terceiro trimestre deste ano.

Número de empregados em Portugal (2008-2013)*:

Anos                      Total (milhões)
2008                    5,198
2009                    5,054
2010                    4,978
2011                     4,837
2012                    4,635
2013                    4,553**

Afinal, o que não pára de cair é o número total de empregados.
Ao contrário do número de pensionistas, que não pára de aumentar.

Número de pensionistas em Portugal (2008-2012)***:

Anos                      Total (milhões)
2008                    3,368
2009                    3,423
2010                    3,473
2011                     3,535
2012                     3,585

Não há nada como uma boa série numérica para desmontar uma mistificaçãozinha estatística.

* População empregada: total e a tempo completo e parcial (Pordata)
** Taxa de desemprego cai pela primeira vez em cinco anos (Público)
*** Pensionistas: total, da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações (Pordata)

Presente de Cesar 1Presente de Cesar 2

Pig’s breakfast.

Ministra da Justiça defende corte de salários para evitar despedimentos
Nuno Rodrigues, 05 Set, 2013 (RTP, em Artigos & Notícias)
Em entrevista à TVI 24, Paula Teixeira da Cruz aconselhou mesmo os sindicatos a negociarem reduções salariais para que fiquem protegidos postos de trabalho e, deu como exemplo a seguir em Portugal, o que foi feito na Alemanha nos anos 90. …

Hidden by glowing stats, Germany’s poor struggle
By Frank Jordans | Associated Press – Sep 13, 2013

But many economists say the reforms — begun by Merkel’s center-left predecessor — have also pushed down real wages and put hundreds of thousands precariously close to the poverty line. …
Since Merkel came to power in 2005, the number of people considered in poverty or on its borderline has grown by about 400,000 to 12 million, according to the Federal Statistics Office. …
[Ocultados por estatísticas brilhantes, os pobres da Alemanha lutam

Mas muitos economistas dizem que as reformas – iniciadas pelo predecessor centro-esquerda de Merkel – fizeram baixar os salários reais e puseram centenas de milhares de pessoas à beira da pobreza. …
Desde que Merkel chegou ao poder, em 2005, o número de pessoas consideradas em situação de pobreza ou no seu limiar aumentou de 400 mil para 12 milhões, de acordo com o Instituto Federal de Estatísticas alemão. …]

Comissão Europeia gastou oito milhões de euros em festas e jactos privados
22 Agosto 2013 (jornal Q)
Enquanto exige aos países da zona euro mais austeridade para reduzir o défice, a Comissão Europeia (CE) não tem refreado os seus próprios gastos. De acordo com uma investigação jornalística, os comissários europeus gastaram cerca de oito milhões de euros em jactos privados, festas e férias luxuosas.

O PSD e ‘O Botão Gigante da Legitimidade’ em política.

Os actuais governo e legislatura perderam em menos de uma semana toda e qualquer legitimidade política que pudesse restar-lhes ainda perante o seu próprio eleitorado. Convenhamos que é obra!

The Giant Button of Legitimacy - cartoon by Rutherford & Fletcher

Democracia, isto?

Votei e tornaram-me escravo fiscalA democracia é o governo dos homens livres.

Os escravos não existem politicamente.

A escravatura fiscal é uma forma de escravatura como qualquer outra.

Jovens a recibo verde passam a descontar mais

por Margarida Bon de Sousa (jornal i)

Love is the answer.

An oldie but a goodie (Velhinha, mas boazinha).


Ninguém se encontra na solidão. Ninguém pode sequer sonhar de forma verdadeira se não tem com quem partilhar os seus desejos íntimos. Ninguém chegará sequer perto da felicidade se não viver abraçado a alguém. Ninguém se completa a si mesmo. Ninguém se basta.
O egoísta e o vaidoso não percebem que a nossa felicidade não passa por cuidarmos de nós mesmos, mas dos outros. Que só esquecendo-nos de nós e entregando o melhor de nós mesmos conseguiremos permanecer para sempre naqueles a quem assim amámos.
Ser é amar, e amar é dar-se.

O amor é o contra-egoísmo
por José Luís Nunes Martins
(publicado aqui e aqui)

Sobre a importância de estar presente na manifestação de hoje, 26 de Janeiro.

Ainda que o momento (o timing, como é fino dizer agora) seja (e é!) péssimo e a Fenprof esteja (que está!) a politizar a manifestação (o que faz com que muitos imediatamente desejem afastar-se) é muito importante estar hoje presente no Marquês de Pombal às 3 horas da tarde para a manifestação em defesa da Escola Pública. Que quem me lê fique a saber que a luta pela Escola Pública não é dos professores, mas de todos aqueles cujos filhos se verão brevemente impossibiltados de continuar a estudar por incapacidade financeira. (veja também este artigo anterior)

Manifestação de 26 de Janeiro de 2013 - pela Escola Pública

… Don’t miss this: Engaging fellowship in the Spirit is the primary object of every measure we take against human government. How hard is it to realize a fundamental element in government’s campaign to rule all things is isolating each of us from the other? In isolation we are powerless to resist forced conglomeration. By taking a competing path to unity, we form a ‘de facto’ alternative government. The primary nature of our rebellion is counteracting that shift of power from the local to the central authority.
In political theory, it is widely recognized the definition of government is a monopoly of violent force. Every government is merely a conspiracy of folks seizing power over others, whether by actual violence or only threatening it. While a strong civil culture helps, at the bottom of every ruling power is the threat of force. When any entity, external or internal, threatens that power by exercising a competing violent force, that entity becomes a de facto government of sorts. It need not seek immediately the total control exercised by the official government, only a measure of control over certain elements of the circumstances. It’s competing for control, nothing more. … (transcrito daqui, subtítulo Weapons versus Weapons)*

*Se alguém precisar do texto acima traduzido basta solicitar na caixa de comentários e eu o traduzirei.

O medo da morte, esse tremendo apagador de ideologias.*

Cuba releases first Castro letter since July
Associated Press, Oct. 18, 2012

* Deve ser por isso que todos os grandes revolucionários, aqueles cujas ideias inspiraram os vindouros, morreram jovens.