Monthly Archives: July 2013

Más notícias para quem pensasse ter cessado o activismo político por aqui.

Conforme prometido aqui atrás, eis uma das razões (há outras, porventura menos interessantes) que estão na origem da fraca actividade neste Jardim durante os últimos meses.

Certificate of Accomplishment, Democratic Development course, Stanford University

A propósito de democracia e a título de mera curiosidade, sabiam que as palavras povo/povos ocorrem menos de 60 vezes no texto de O Capital, de Karl Marx, mas mais de 2 mil vezes na Bíblia?

Advertisements

Jesus, Draw Me Ever Nearer.

Como poderíamos ter saudades de alguém que não conhecessemos?

Ó Deus, meu Deus! Desde que acordo, bem cedo, te procuro. A minha alma tem sede de ti, todo o meu ser anseia encontrar-te, tal como uma terra seca e ressequida onde não há uma gota de água.
Salmo 63: 1 (Psalm 63)

O governo de salvação… do ‘pão para a boca’ dos privilegiados.

Não me apetecia nada escrever sobre este assunto, mas fui-me enojando progressivamente nas 2 últimas semanas até à náusea completa. Em 3 fases:

1.ª Foi iniciada a campanha de limpeza da imagem de algumas das mais sinistras figuras que jamais passaram pelos governos em Portugal, as quais são responsáveis pela destruição económica e social do país. Estas figuras deveriam estar a responder nas barras dos tribunais pelo que fizeram aos portugueses, tal como aconteceu aos governantes islandeses. Mas, por cá não só ficam impunes como ainda as instituições políticas lhes abrem as portas para novas oportunidades de voltarem a fazer o mesmo.

Vou dizer devagarinho, para todos poderem perceber: Quem_ criou_ o_ problema_ não_ pode_ fazer_ parte_ da_ solução.

2.ª Andam por aí umas forças políticas disfarçadas de movimentos de cidadania a pedir ao senhor Silva a constituição de um governo de iniciativa presidencial. Ora, tais forças sabem muito bem (ou tinham obrigação de saber) que após Ramalho Eanes a Assembleia Legislativa, furiosa com a iniciativa presidencial, retirou à presidência da República o poder de constituir governos sem o seu aval. O problema é que, tal como muito bem dizia Richard Buckminster Fuller, os políticos estão sempre a manobrar de forma realística para as próximas eleições mas estão ultrapassados no que respeita à resolução de problemas fundamentais. O problema é o tipo de gente que controla actualmente os aparelhos partidários e, através deles, a legislatura e o Estado.

Vou dizer devagarinho, para todos poderem perceber: Quem_ faz_parte_do_ problema_ não_ pode_ fazer_ parte_ da_ solução.

3.ª Contudo, nojento até ao vómito é vir um grande amigo dos “mais pobres”, o qual – consta por aí – terá proventos (pagos pelo erário público) de 500 mil euros mensais, afirmar publicamente que os portugueses (alguns já passando fome) precisam que o partido dele faça parte de um “governo de salvação nacional” “como de pão para a boca”. Tal como muito bem recordou um amigo meu há apenas 2 dias atrás, as alianças entre liberais e socialistas que pretendem conduzir reformas políticas podem acabar num assalto ao palácio de Inverno.

Vou dizer devagarinho, para toda a gente poder perceber: Quem_está_na_raiz_do_problema_não_pode_fazer_parte_da_solução.

Animal Farm Card by Sharon

The Prophet’s Song.

Profeta no sentido bíblico não é em primeiro lugar aquele que prevê o futuro. É aquele que analisa o presente, identifica tendências, geralmente, desviantes, faz advertencias e até ameaças. Anuncia o juízo de Deus sobre o curso presente da história e faz promessas de liberação das calamidades e aponta um rumo feliz para a história a seguir.
A partir da captação das tendências, faz previsões para o futuro. No fundo afirma: se continuar este tipo de comportamento dos dirigentes e do povo  ocorrerão fatalmente desgraças. Estas são consequências das violações de leis sagradas. ()

(LAST CALL: Is Your Tabernacle Ready?)

As vozes dos donos.

Obedicer à voz do donoCom eleições, troika exigirá carta de compromisso a PS, CDS e PSD
04 Julho 2013, por Rui Peres Jorge (PÚBLICO)

Europa exige garantias do Governo até segunda-feira
04 Julho 2013, por Bruno Simões (PÚBLICO)

*As notícias foram apanhadas de uma colectânea encontrada aqui.

Nota: Os meus leitores têm notado certamente que os postais são cada vez mais sintéticos. Isso deve-se a uma falta de disponibilidade maior do que é habitual que brevemente aqui explicarei. Sinteticamente, claro. 😆

A imagem do governo português ao 2.º dia de Julho de 2013.

Castelo de cartasVítor Gaspar sai e queixa-se de falta de coesão do Governo
Pedro Crisóstomo, 01/07/2013 (PÚBLICO)

Portas demite-se do Governo descontente com solução para as Finanças
Sofia Rodrigues, São José Almeida e Leonete Botelho, 02/07/2013 (PÚBLICO)

Actualização (3 Jul. 2013 – 00:15)

Morais Sarmento também sai do Governo
01 Julho 2013, por Sara Antunes (Negócios)

Mota Soares e Assunção Cristas vão demitir-se amanhã
2 de Julho de 2013 (Diário Digital)