Monthly Archives: May 2013

Prémio Nobel do quê?

Alfred Nobel estabeleceu claramente no seu testamento que anualmente deveria ser entregue um prémio monetário (bem substancial) à pessoa que tiver feito mais ou melhor trabalho para a fraternidade entre as nações, para a abolição ou redução de exércitos permanentes e para conservação e estímulos de congressos de paz.

Em 2009 o prémio foi atribuído ao acabado de eleger presidente Barack Obama.

Sete mortos no primeiro ataque com drone depois das eleições paquistanesas

Em 2012 foi atribuído à União Europeia.

Rebeldes sírios poderão receber armas da União Europeia a partir de Agosto

A causa da paz está, pois, tão bem entregue como a herança de Alfred Nobel.

The Ruins, C. F. VolneyAo ler estas notícias vieram-me difusamente à memória as palavras que Volney atribui à aparição em As Ruínas de Palmira*:

… Ah! it is falsely that you accuse fate and heaven! it is unjustly that you accuse God as the cause of your evils! Say, perverse and hypocritical race! if these places are desolate, if these powerful cities are reduced to solitude, is it God who has caused their ruin? Is it his hand which has overthrown these walls, destroyed these temples, mutilated these columns, or is it the hand of man? Is it the arm of God which has carried the sword into your cities, and fire into your fields, which has slaughtered the people, burned the harvests, rooted up trees, and ravaged the pastures, or is it the hand of man? And when, after the destruction of crops, famine has ensued, is it the vengeance of God which has produced it, or the mad fury of mortals? When, sinking under famine, the people have fed on impure aliments, if pestilence ensues, is it the wrath of God which sends it, or the folly of man? When war, famine and pestilence, have swept away the inhabitants, if the earth remains a desert, is it God who has depopulated it? Is it his rapacity which robs the husbandman, ravages the fruitful fields, and wastes the earth, or is it the rapacity of those who govern? Is it his pride which excites murderous wars, or the pride of kings and their ministers? Is it the venality of his decisions which overthrows the fortunes of families, or the corruption of the organs of the law? Are they his passions which, under a thousand forms, torment individuals and nations, or are they the passions of man? And if, in the anguish of their miseries, they see not the remedies, is it the ignorance of God which is to blame, or their ignorance? …

*Perdoem, mas só tenho o livro em inglês e estou demasiado cansado para traduzir. No entanto, o inglês do texto é tão correcto que a tradução automática do tradutor da Google, embora no usual “brasiloguês”,  é perfeitamente compreensível. Basta copiar daqui e colar lá.

Advertisements

Fa(c)tos consumados não servem a ninguém.

porque sim, não é resposta!… gostaria de contar um episódio que protagonizei e do qual me lembro sempre que ouço alguns dizerem que não vale a pena discutir o acordo por ele ser irreversível. Já tenho anos suficientes para ter visto enterrar muitas coisas consideradas irreversíveis. Em 1984, estava eu no início da minha carreira jornalística, escrevi uma carta aberta a José Ramos-Horta que terminava assim: «Um dia hei-de abraçá-lo num Timor livre e independente.» O jornal onde eu trabalhava tinha uma linha editorial de apoio à integração de Timor na Indonésia precisamente por a considerar irreversível.
Afinal não era irreversível. E vinte anos depois dessa carta aberta, em 2004, pude abraçar de facto Ramos-Horta – já então galardoado com o Nobel da Paz e exercendo as funções de primeiro-ministro do seu país, num Timor livre e independente.
Os timorenses souberam resistir.
Nós devemos continuar a resistir também. Em nome daquilo em que acreditamos. Por isso dedico este livro à minha filha Joana, aqui presente. Porque nós, os mais velhos, somos fiéis depositários de valores culturais que temos o dever de legar às gerações futuras. E nenhum valor cultural é tão nobre e tão inestimável como a nossa língua.

O que torto nasce nunca se endireita
por Pedro Correia

Love Over Gold.

It takes love over gold, and mind over matter to do what you do that you must; when the things that you hold can fall and be shattered, or run through your fingers like dust.

Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo; há diversidade de serviços, mas o Senhor é o mesmo; há diversos modos de agir, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos.
1 Coríntios 12: 4-6 (1 Corinthians 12: 4-6)

Um ‘plano de riscos’ para o ordenamento do território!

Plano de riscos - modelo Mafalda by QuinoA Reserva Ecológica Nacional irá ser extinta, mas Paulo Correia, o director-geral do Território, Paulo Correia., sublinha que a protecção está assegurada, nomeadamente através da sua integração num Plano Sectorial de Riscos, cuja primeira versão terá de ser apresentada ao mês que vem. «Estamos a trabalhar num ritmo bastante intenso, já que este é um documento complexo»… (Plano Sectorial de Riscos apresentado em Junho, 08 de Maio de 2013, no Jornal Arquitecturas – o jornal de negócios da cidade[…])

O despacho conjunto, assinado por Filipe Lobo d’Ávila e Pedro Afonso de Paulo, destina-se a «definir as orientações estratégicas nacionais para a prevenção de riscos naturais, tecnológicos e mistos, bem como as medidas e dispositivos de minimização dos seus efeitos».
… o Secretário de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território, referiu que se pretende, com este despacho, um plano setorial materializado «num documento estratégico em matéria de inventariação de riscos e na definição de orientações para outros instrumentos de gestão territorial, particularmente para os planos municipais de ordenamento do território, de forma a que todo e qualquer processo de tomada de decisão seja o mais informado a este nível». (Governo vai elaborar plano “setorial” de prevenção e redução de riscos, 2012-11-20, no sítio do governo em Mantenha-se “Atualizado”, sublinhados do transcritor)

Traduzindo a “conversa da treta” (para os não-“especialistas”): Prepara-se a arbitrariedade total em matéria de ordenamento do território, a aprovação “sem espinhas” de todos os “grandes projectos” patrocinados pela banca. Se, mesmo assim, ainda não percebeu veja aqui alguns exemplos.

Nota: Depois não diga que não foi devidamente “atualizado” e avisado.

Leitura complementar:  Crony capitalism ou Capitalismo clientelista.

Até o politicamente correcto* precisa de uma consoante muda.

Vogais e consoantes politicamente incorrectas do acordo ortográfico, Pedro Correia - livro, apresentação

* O que é o politicamente correcto?

Spirit Wind.

1 Quando chegou o dia do Pentecostes, encontravam-se todos reunidos no mesmo lugar. 2 De repente, ressoou, vindo do céu, um som comparável ao de forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde eles se encontravam. … (Actos 2 / Acts 2)

O PSD e ‘O Botão Gigante da Legitimidade’ em política.

Os actuais governo e legislatura perderam em menos de uma semana toda e qualquer legitimidade política que pudesse restar-lhes ainda perante o seu próprio eleitorado. Convenhamos que é obra!

The Giant Button of Legitimacy - cartoon by Rutherford & Fletcher

The Revolutionary.

A ascensão de Jesus  sobre a colina de Betânia – excerto do filme The Revolutionary (O Revolucionário).

Clique aqui e depois aqui para ver o filme completo.

Agora vou mandar-vos o Espírito Santo para que desça sobre vocês, tal como prometeu meu Pai. Permaneçam aqui na cidade até que o Espírito Santo vos encha de poder do céu. Jesus levou-os pelo caminho de Betânia e, levantando as mãos para o céu, abençoou-os. Então afastou-se deles e elevou-se até ao céu. Eles adoraram-no e regressaram a Jerusalém, cheios de alegria. E estavam continuamente no templo, louvando Deus.
Lucas 24: 46-53

Complementary: Jesus Christ: Revolutionary, Liberator

Who Is This God?

Mas Deus ressuscitou-o da morte! E foi visto muitas vezes, nos dias que se seguiram, pelos homens que o tinham acompanhado a Jerusalém desde a Galileia; homens que disso têm dado constante e público testemunho. Nós portanto aqui estamos para vos anunciar que a promessa de Deus aos antepassados se cumpriu agora  no nosso tempo, quando Deus ressuscitou Jesus. Era a isso mesmo a que o segundo Salmo se referia ao dizer acerca de Jesus: ‘Tu és o meu Filho; hoje tornei-me teu Pai.’
Actos 13: 30-33