O apelo à lusa inveja: o segredo da governança de Sócrates.

O IntriguistaGosto normalmente de ler o Gabriel Silva no Blasfémias e concordo muitas vezes com o que escreve. Mas não poderia discordar mais deste texto que ele publicou ontem. Por várias razões.
Por um lado,  pela sua forma acintosa, quase odienta. Por outro lado, pela péssima argumentação a que recorre. Senão vejamos.
Quando escreve “A greve de hoje do funcionalismo do Estado é um insulto a quem procura emprego, a quem está desempregado, a quem tem o emprego em risco…”, terá pensado que pode ser considerado um insulto para todos os que não têm um tecto o facto de ele habitar numa casa, para todos aqueles que não tiveram acesso ao ensino o facto de ele ser letrado, para todos os que têm fome o facto de ele comer todos os dias? Desde quando é que a reivindicação de melhores condições existenciais de uns pode ser considerada um insulto à necessidade de outros?
E, quando escreve “… fazem parte da corporação de privilegiados que, independentemente da sua competência ou incompetência, não correm qualquer risco de verem o seu contrato de trabalho em perigo.” terá consciência de que está a fazer uma generalização e que “toda a generalização é uma hipótese” (Poincaré) potencialmente “perigosa” (Dumas)?
O que lhe dá o direito de considerar incompetente uma enorme e diversa quantidade de pessoas só porque elas têm um determinado tipo de vínculo laboral?

Ao contrário de Gabriel Silva, estou bem contente por haver ainda um pequeno grupo de pessoas que pode usar o constitucional e socialista direito à greve para lutar contra este governo incompetente, falsamente socialista e de pendor totalitário-empresarial. Sim, porque o direito à greve pressupõe que não possa ser “dispensado” imediatamente a seguir quem a faz.
Não faço aqui a apologia nem o detrimento do funcionalismo público ou do exercício do direito à greve. Tudo o que escrevo são meras constatações e a única conclusão que consigo tirar disto é a daquela velha cesárea táctica: (alguém está a) dividir para reinar.
Enquanto a sociedade portuguesa se deixar dividir por este grupo de espertalhaços correligionários de Sócrates, ele continuará a ter o poder… para continuar impunemente a exercitar a sua enorme capacidade de demolir os portugueses, individual e colectivamente.

Declaração de interesses: Não sou funcionário público e tenho algumas (fortes) razões de queixa contra alguns funcionários públicos e o seu instituto, o funcionalismo (que já me foi causador de prejuízos grandes).

One response to “O apelo à lusa inveja: o segredo da governança de Sócrates.

  1. Sempre ouvi dizer que quem tem bom sentido de humor nunca se deixa abater. E Sócrates, quer se goste ou não se goste dele tem excelente sentido de humor.
    http://apombalivre.blogspot.com/2010/03/com-o-espirito-e-o-bom-humor-de.html

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s