Novo crescimento da bolha especulativa e

a falácia da recuperação económica.

 

Nas últimas duas semanas têm sido bastante comuns notícias como estas – escolhidas ao acaso nas Newsletters com que o OJE me enche a caixa de correio electrónico e até já não muito frescas –, cujos linques se indicam a seguir:

 

Bolsas à prova da Gripe
03/05/09

PSI 20 abre em alta acima dos 2%
07/05/09

Bolsa de Tóquio fecha em máximos de seis meses
07/05/09

Nova Iorque encerra a brilhar impulsionada pela banca
07/05/09

A muitos poderão estas parecer boas notícias para a Economia, mas não o são, porque – também escolhidas ao acaso e na mesma fonte – lá estão demasiadas notícias deste outro teor:

 

Platex propõe 200 em regime lay off
06/05/09

Sonae Indústria com 40 milhões de prejuízos devido a quebra nas vendas
07/05/09

Tribunal de Gaia declara Jotex insolvente
12/05/09

GM afunda em Bolsa para níveis de 1933
12/05/09

DuPont elimina mais 2.000 postos de trabalho
08/05/09

O lucro financeiro sem suporte na produção é meramente especulativo. O financiamento por parte dos governos de todo o mundo aos grandes grupos financeiros está a favorecer o tipo de negócios que conduziram a esta crise, e a agravar a situação ao fazer crescer novamente a bolha especulativa.

A crise actual tem origem num prolongado período de especulação financeira, que teve origem a seguir à primeira crise económica dos anos 90 e que atingiu o seu máximo na saída da crise do final da mesma década – a chamada “dot-com bubble”. Isto é bem perceptível, por exemplo, na comparação de preços e ganhos do índice dos mercados de acções designado MSCI World constante do gráfico seguinte – apesar de ele não ser construído para mostrar isso:

 

msci world prices-earnings

A quem interessa usar as expectativas criadas por estes lucros especulativos? A resposta a esta pergunta está inteiramente dada e demonstrada no quadro seguinte:

 

Bolha especulativa
Clique na imagem para ver maior

 

A Economia e a Finança estão hoje indissociavelmente ligadas, mas não são a mesma coisa. Impedir artificialmente que instituições financeiras completamente inviáveis, à luz dos princípios da Economia de livre mercado, claudiquem por incapacidade própria, não só não garante de forma alguma a desejada recuperação económica, como pode ainda agravar a situação de crise.

 

Como dizem, aliás, num assomo de honestidade, os autores deste estudo (pág. 14) encomendado pelo Citi Bank, destinado a tentar provar, pelo contrário, que os sinais dos mercados bolsistas indiciam uma recuperação da Economia:

 

The biggest risk to our outlook is a worse and more extended downturn for the global economy and corporate earnings than we currently forecast. Valuations discount recession, but not depression and deflation.

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s