Monthly Archives: February 2009

As Forças Armadas da Europa e…

o défice de Democracia da União.

 

Alfred von Waldersee

 

The European Parliament has voted in favor of creating a European army. Although the initiative has a typically innocuous sounding acronym, SAFE (Synchronized Armed Forces Europe) it represents a major step toward the EU’s takeover of Member States’ armed forces. … (Europe Creates an Army, posted February 20th, 2009, The Heritage Foundation blog)

 

O Parlamento Europeu votou [20-02-2009] favoravelmente a criação de um exército europeu. Apesar da iniciativa adoptar um acrónimo que soa a inócuo, SAFE1 (Forças Armadas Sincronizadas Europeias), representa um enorme avanço para a tomada de poder da UE sobre as Forças Armadas dos Estados membros.

 

O artigo 275.º da Constituição da República Portuguesa afirma o seguinte:

1. Às Forças Armadas incumbe a defesa militar da República.

4. As Forças Armadas estão ao serviço do povo português, …

 

SAFE will be directed by an EU directorate, with its own training standards and operational doctrine. It will advance a dream long-held by European elites to create a separate EU military identity outside of NATO. But in the absence of additional defense Euros and additional European manpower, the advancement of EU military arrangements can only come at NATO’s sacrifice. … (Europe Creates an Army, posted February 20th, 2009, The Heritage Foundation blog)

 

O SAFE será dirigido por um directório da UE e terá os seus próprios métodos de treino e doutrina operacional. Promoverá o sonho, há muito tempo mantido pelas elites europeias, de criar uma entidade militar da UE fora da OTAN2. Mas, na falta de mais dinheiro para a defesa e mais militares europeus, o avanço dos planos militares da UE só poderá resultar do sacrifício [das forças] da OTAN.

 

As Forças Armadas Sincronizadas(?) Europeias(??) dirigidas por um directório? Quem o constitui? Como são escolhidos os seus membros? Quem controla a sua actuação? Ao serviço de que interesses?

 

O artigo 7.º da Constituição da República Portuguesa declara:

2. Portugal preconiza a abolição do imperialismo, do colonialismo e de quaisquer outras formas de agressão, domínio e exploração nas relações entre os povos, bem como o desarmamento geral, simultâneo e controlado, a dissolução dos blocos político-militares e o estabelecimento de um sistema de segurança colectiva, com vista à criação de uma ordem internacional capaz de assegurar a paz e a justiça nas relações entre os povos.

 

A Europa está a voltar à Idade Média? Aos Impérios FrancosMerovíngio e Carolíngio? Isto é uma ameaça muito, mas mesmo muito séria aos direitos das nações e dos cidadãos da União Europeia.

1 SAFE é uma palavra inglesa que significa SEGURO, SALVO.

2 OTAN, Organização do Tratado do Atlântico Norte, tradução para português da sigla NATO.

 

Advertisements

Ainda o cometa Lulin:

Algumas indicações tentar vê-lo no céu nesta noite de 25/26 de Fevereiro de 2009, a partir de Lisboa e de S. Paulo (Brasil).

.

Fazendo aviso que Um Jardim no Deserto não é um blogue de Astronomia e que o seu autor não é astrónomo, mas apenas um curioso pela Astronomia, a grande quantidade de e-mails recebidos a pedir indicações para observar o cometa C\2007 N3, nome comum Lulin, obriga a uma resposta, mesmo que esta possa ser de pouca valia científica.

A maior parte das solicitações refere-se às condições de observação, designadamente locais, horas e orientação geográfica, e vêm do Brasil.

Deixam-se aqui algumas respostas a dúvidas simples, sugestões e imagens-guia feitas com o Stellarium para a observação do Lulin nesta noite de 25 para 26 de Fevereiro a partir de duas posições: Lisboa e S. Paulo no Brasil.

  1. A observação em meio urbano é muito difícil por causa da poluição luminosa; pode-se tentar em terraços de prédios altos e aproveitando o zénite do movimento aparente do cometa na abóbada celeste. As imagens-guia em baixo mostram aproximadamente essa posição do cometa.

  2. A facilidade de observação do cometa irá diminuindo lentamente nos próximos dias, à medida que a sua magnitude aparente (uma medida do brilho com que pode ver-se um astro no céu) diminui. Pode ver-se um gráfico desta variação aqui (http://blog.gem51.com/?p=192) até 1 de Abril de 2009.

  3. Para se observar o cometa como algo mais do que 1 simples ponto no céu é preciso usar, pelo menos, uns binóculos vulgares.

  4. O observador “de terraço” localizado em Lisboa deverá olhar o céu na direcção Sul, aproximadamente à 1 da manhã do dia 26 de Fevereiro (amanhã de madrugada), com o olhar levantado cerca de 60º relativamente ao plano da linha do horizonte. O cometa situar-se-á cerca de 10º para a direita de Saturno, logo por baixo da constelação de Leão.

  5. O observador “de terraço” localizado em S. Paulo (Brasil) deverá olhar o céu na direcção Norte, aproximadamente às 3 e meia da manhã do dia 26 de Fevereiro (amanhã de madrugada), com o olhar levantado cerca de 60º relativamente ao plano da linha do horizonte. O cometa situar-se-á cerca de 15º para a esquerda de Saturno, imediatamente acima da constelação de Leão.

Lulin sky position 26-02-2009 3:30 S. Paulo
Imagem virtual às 3:30 horas do dia 26-02-2009, observador em S. Paulo (Brasil)
.
Lulin sky position 26-02-2009 1:00 Lisboa
Imagem virtual à 1:00 hora do dia 26-02-2009, observador em Lisboa

Não fique aborrecido(a) se, mesmo assim, não conseguirem ver o Lulin. A observação dos corpos celestes nem sempre é possível, por diversas razões, mesmo para os astrónomos com alguma experiência. Divirta-se.

Um conselho: Se este é um assunto que o interessa mesmo, procure um dos muitos grupos (associações, escolas, clubes, etc) que organizam actividades de observação, pois é uma grande vantagem ir com quem sabe e tem instrumentos adequados.

Sugestão: Sendo 2009 o Ano Internacional da Astronomia, visite o sítio (http://www.astronomia2009.org/) que a Sociedade Portuguesa de Astronomia criou para especialmente para esta efeméride e, também o Astronomia no Zénite (http://www.zenite.nu/), o sítio internacional da Astronomia em Língua Portuguesa.

 

Guia para (tentar) observar o novo cometa Lulin…

na noite de 23 para 24 de Fevereiro de 2009.

.

Na próxima noite de segunda para terça feira de Carnaval, os astrónomos pensam que os observadores com olho treinado e que disponham de céus escuros, rurais, possam observar o recentemente descoberto cometa Lulin ou, em linguagem técnica, C\2007 N3.

.

O cometa atingirá a sua maior proximidade com a Terra no próximo dia 24 de Fevereiro (terça feira de Carnaval), um pouco mais adiante do que está representado no esquema em baixo.

.

Lulin posição orbital 21-02-2009
Posição orbital do cometa Lulin em 21-02-2009
.

Esta é a única oportunidade para observar o cometa visto que, segundo pensam os astrónomos, ele não é periódico, isto é, a probabilidade de voltar a passar pela Terra é quase nula. No esquema abaixo pode ver-se a trajectória do cometa nos céus nocturnos (cerca das 23 horas) entre os dias 12 e 27 de Fevereiro de 2009 e perceber que se desloca a grande velocidade.

.

Lulin rota 12 a 27 Fev 2009
Rota do cometa Lulin de 17 a 24-02-2009
.

O blogue Um Jardim no Deserto acrescentou ao software gratuito e de código aberto Stellarium as linhas de código necessárias para que este pudesse situar virtualmente o novo cometa, e criou algumas imagens virtuais da posição do Lulin na próxima noite de 23 para 24 de Fevereiro, como pode ser visto por um observador situado em Lisboa em diferentes horas, como auxiliares de orientação para a sua observação.

.

Lulin sky position 23-02-2009 21:00 horas
Imagem virtual às 21:00 horas do dia 23-02-2009

.
Lulin sky position 23-02-2009 24:00 horas
Imagem virtual às 24:00 horas do dia 23-02-2009
.
Lulin sky position 24-02-2009 5:00 horas
Imagem virtual às 5:00 horas do dia 24-02-2009

.

Na noite de 23 para 24 de Fevereiro, agora virtualmente no seu brilho máximo, o cometa estará situado a apenas 2 graus Sul-Sudoeste do planeta Saturno, que poderá usar para localizar o cometa e estará visível toda a noite, nascendo a Este ao anoitecer, passando o trânsito a Sul por volta da 1 da manhã e descendo para trás do horizonte a Oeste ao nascer-do-Sol.(ver mais informações aqui)

.

E vão dois…

Ao que dizem, não há dois sem três.

.

O Governo letão é o segundo a cair na Europa por causa da crise económica, depois da queda do Executivo islandês, a 23 de Janeiro. …
… A Letónia enfrenta uma grave crise económica e o Executivo enfrentou uma forte contestação popular no início do ano, mas sobreviveu a uma moção de censura no Parlamento, a 3 de Fevereiro. …

(Público, Governo da Letónia demite-se, 20-02-2009)

Lisboa, 13 fev (Lusa) – A economia portuguesa teve a segunda maior contração entre os países da zona do euro no quarto trimestre de 2008 em comparação ao trimestre anterior, de acordo com os dados do gabinete europeu de estatísticas (Eurostat) divulgados nesta sexta-feira. …
(Lusa, Economia lusa registra 2ª maior queda da zona do euro, 13-02-2009)

Moedor de dinheiro

 

A economia portuguesa, agora oficialmente em recessão, registou o terceiro pior desempenho, no quarto trimestre de 2008, entre os países membros da União Europeia que têm os seus números disponíveis. Portugal ocupa o terceiro lugar tanto numa análise homóloga como contra os números do trimestre anterior. …
… Com contracções mais acentuadas que a portuguesa está apenas Itália que mostrou uma diminuição homóloga de 2,6% e a Letónia, onde o PIB diminuiu 10,5%. …

(Jornal de Negócios, Economia portuguesa regista terceiro pior desempenho entre os países da UE, Lara Rosa, 13-02-2009)

Então vamos lá contar: em primeiro lugar está a Itália (e vai um)  que tem uma Economia demasiado grande para cair já; em segundo lugar está a Letónia (e vão dois) que já entrou em pré-insolvência; em terceiro lugar está Portugal (e vão três)… o tal país cujo primeiro-ministro garante ser imune à crise.

Os portugueses podem (evidentemente!) estar descansados.

Trabalhadores descartáveis NÃO!

Uma petição para a concessão de direitos mínimos aos trabalhadores a recibos verdes.

.

Apelo recebido por e-mail:

Como sabem desde sempre que trabalho a recibos verdes. Não existe trabalhador mais desprotegido que o trabalhador dito “independente” a recibos verdes.
Não temos direito a férias, a estar doentes, licenças maternidade/paternidade, etc… não recebemos subsídios de qualquer ordem (baixa, desemprego, maternidade, etc.), não temos uma inspecção-geral do trabalho que nos informe ou apoie (é só para os trabalhadores dependentes), recebemos ordens de todos e temos horários para cumprir como todos.
Somos obrigados a pagar todos os meses a segurança social, mesmo que fiquemos 5 meses sem receber um tostão. Somos obrigados, no final da prestação do serviço, a entregar o recibo verde em como recebemos (segundo a lei) mesmo que não tenhamos recebido – o único elemento de prova que temos em nosso poder que nos serve de garantia de recebimento ou não – irónico não é?! Se as empresas não nos quiserem pagar (e existem muitas assim) para as finanças, quem está em falta somos nós, os trabalhadores independentes que prestaram o serviço, não receberam mas também não prestaram contas desse serviço (quer tenham ou não recebido).
Por tudo isto, peço-vos, minhas amigas e meus amigos, familiares, a recibos verdes ou não, assinem esta petição por todos nós e, quer resulte ou não, pelo menos tentamos.
Muito obrigada e beijinhos para todos, …
.
O Jardim no Deserto adere a esta causa e solicita a todos os blogues amigos a sua divulgação. Para quem quiser usar, deixa-se aqui em baixo um logotipo e um lema. Clique na imagem para abrir a petição. O endereço é: http://www.petitiononline.com/recverde/petition.html
.
Contra os trabalhadores descartáveis
.
Reduzir… a injustiça
Reutilizar… os nossos direitos
Reciclar… estes governantes
.

(I can) Walk on water – (Posso) Caminhar sobre a água,

se fixar os olhos em Jesus – if I keep my eyes on Jesus.

.
.
Pois o difícil não é caminhar sobre a água, mas manter o olhar fixo em Jesus.
As the difficult part is not to walk on water, but to keep our eyes fixed on Jesus.
.

Os efeitos perversos da exposição prolongada ao cor-de-rosa.

Esta é uma história verdadeira, lida há alguns anos numa publicação dos EUA sobre Psicologia.

 

Um dia, um responsável por uma cadeia de uma dada jurisdição local (county) nos Estados Unidos da América decidiu, experimentalmente, pintar algumas celas de cor-de-rosa e observar o efeito que isso teria sobre os detidos, pensando que isso pudesse ser calmante. E, de facto, na primeira hora e meia de encarceramento os detidos em ambientes cor-de-rosa pareceram mais calmos. Contudo, passado esse tempo, para grande surpresa dos observadores, os presos ficaram subitamente com sinais de grande agitação e agressividade que rapidamente passaram a agressões mútuas de enorme violência, as quais só terminariam após uma decidida intervenção dos guardas.

 

A experiência tornou-se conhecida e viria a ser repetida noutros lugares para confirmação dos resultados. Os psicólogos autores do artigo concluíram que este é o efeito da permanência prolongada em ambientes cor-de-rosa fechados ou confinados e recomendavam a não utilização desta cor neste tipo de circunstâncias.

 

Ora, isto é exactamente o que está a acontecer aos portugueses neste país dominado pelo cor-de-rosa em ambiente cada vez mais claustrofóbico. O aviso está feito e os sinais começam a ser bem visíveis.

 

Pink prison

 

Quando se pensa que alguém já não pode descer mais baixo…

… deve pensar-se outra vez!

.

A opinião de um fotógrafo e operador de câmara de televisão.

Lixo informativo


Estou em crer que esta revista, cuja capa está aqui representada fruto de edição minha para que as pessoas envolvidas não sejam identificadas, fez este número sob encomenda.
Feita pelo visado, talvez, ou pelos correligionários políticos, com o fito de, no lugar de refutarem as acusações que lhe são feitas, definir a pessoa em causa como um “pobre coitado”, a quem a vida não tem sorrido, nem agora nem na infância. E, com isto, levantar simpatias por parte dos menos avisados.
Até porque muitos são, os portugueses, que na hora de votarem optam mais pelas simpatias que pela eficácia ou projecto político.
E é aí que os media, com o seu lixo informativo, intervêm, agindo pró ou contra esta ou aquela figura. Sem que, pública e formalmente, assumam as suas simpatias e opções editoriais. Deixando arrumados, no fundo de uma gaveta esquecida, os códigos éticos e deontológicos.

 

Um dia virá em que a generalidade das pessoas terá muita dificuldade em distinguir as novelas da realidade – e esse dia parece estar muito próximo.

 

We shall overcome – Nós vamos conseguir…

to clean up our country – limpar Portugal.

.

We shall overcome, we shall overcome
We shall overcome someday
Here in my heart, I do believe
We shall overcome someday
.
Nós vamos conseguir, nós vamos conseguir
Nós vamos conseguir qualquer dia
Dentro do meu coração, acredito
Nós vamos conseguir qualquer dia

.

.
We are not afraid, we are not afraid
We shall overcome someday
Here in my heart, I do believe
We shall overcome someday
.
Nós não temos medo, nós não temos medo
Nós vamos conseguir qualquer dia
Dentro do meu coração, acredito
Nós vamos conseguir qualquer dia
.

O tratamento de resíduos perigosos também necessita de luvas.

E, pelos vistos, luvas é coisa que não falta por aí… Basta escolher.

Luvas tipo chefe
Luvas tipo chefe
Luvas de procedimento
Luvas de procedimento Grande
Luvas vale tudo
Luvas vale tudo

Um brevíssimo resumo da história de uma teimosia… só aparentemente gratuita.

 

21-12-2004

… O PÚBLICO tentou contactar as cimenteiras mas não foi possível obter comentários ao anúncio feito por Sócrates de retomar a co-incineração. Carlos Abreu, da Secil, recusou-se também a pronunciar-se sobre o interesse que as cimenteiras possam ter em resíduos que não incluem óleos e solventes. … (Resíduos industriais: soluções do PS e do PSD não se excluem, por Ana Fernandes, no Público)

 

11-08-2007

… Em comunicado, a associação ambiental salienta ainda que “este concurso público apenas surgiu depois da Quercus ter feito ver ao Governo que não poderia enviar aqueles resíduos para co-incineração sem que antes lançasse um concurso público, uma vez que o tratamento teria de ser pago pelo Orçamento Geral do Estado”.

O comunicado sublinha que este concursou revelou que a co-incineração nas cimenteiras da Sécil e da Cimpor, como tem defendido o governo, “custaria ao Estado mais 7 milhões de euros”. … (Resíduos perigosos de Sines: Quercus denuncia concurso irregular, no Esquerda)

 

15-01-2009

… «A concorrência e os concursos públicos servem para alguma coisa, servem para baixar o preço que o Estado paga e servem para travar o cambalache e a corrupção, motivos que, pelos vistos, não incomodam o PS», alegou o ex-secretário de Estado do Ambiente.

José Eduardo Martins sustentou que José Sócrates «quando era ministro do Ambiente já revelou esta aversão aos concursos públicos, ao dar o negócio da co-incineração às cimenteiras sem concurso público». … (Oposição em bloco contesta dispensa de concurso público, por Lusa, no Sol)

 

Ele há coisas que dão que pensar, não há?