Monthly Archives: October 2007

“Mais alunos, mais sucesso”?

A demagogia galopante do PM e da Dona Lurdes.

 

1º tempo: a demagogia

 

“«Mais alunos e mais sucesso»

2007/10/30 | 13:40 || Hugo Beleza

Resultados 2006/07 do Ensino Secundário são «históricos», diz ministra da Educação que se queixa de um orçamento quase dedicado a pagar salários. Sócrates afirmou que «solução não é pôr dinheiro em cima dos problemas» e que não há memória de tanto ter mudado na Educação.

Insucesso escolar diminuiu para 25%…” [leia o resto]

 

 

2º tempo: a resposta

 

“COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Henrique Raimundo Silva

2007-10-30 15:03

o sucesso do laxismo

Parece-me que este sucesso, se deve ao baixar da fasquia da exigência, e, ao deixar de haver chumbos por faltas, até vai acabar o analfabetismo em Portugal, continuando a baixar a despesa ao mesmo tempo com a educação.

Miguel Pais

2007-10-30 14:56

Tudo falso. É o resultado do facilitismo.

Todos temos a consciência que estes resultados são falsos, nem os dirigentes do Ministério são competentes, nem os professores estão motivados, nem os pais estão interessados. Estes resultados aparecem por um abaixamento de exigência e for um facilitismo que melhora estatísticas e nunca o pais.

O facilitismo resulta do modelo em que Sócrates “fez” a sua “licenciatura”, sem estudar, nem por lá os pés.

As facilidades não ajudam ninguém, nem os próprios, pois se todos conseguem o mesmo sem esforço, quando procuram emprego nada os distingue, …, talvez uma cunha!!! Que é os sistema antigo.

Pensávamos que se pretendia encontrar os melhores.

ASSIM NÃO VAMOS A LADO NENHUM.

…” [leia o resto]

 

 

3º tempo: a demonstração

 

É preciso ser muito pouco inteligente para pensar que se podem enganar os outros indefinidamente. É preciso ser muito ignorante para não conhecer a famosa frase do 16º presidente dos Estados Unidos (no tempo em que os EU ainda tinham presidentes inteligentes), Abraham Lincoln: “You can fool some of the people all of the time, and all of the people some of the time, but you can not fool all of the people all of the time.” (Vocês podem enganar algumas pessoas o tempo todo, e todas as pessoas durante algum tempo, mas não conseguirão enganar toda a gente sempre.)

 

 

4º tempo: a conclusão

 

Os portugueses começam a perceber que têm estado a ser enganados, vigarizados e explorados por incompetentes mal-intencionados. Finalmente! A credulidade e a paciência deste povo mereciam uma condecoração – deixo aqui esta singela sugestão ao PR.

 

“Salmo 36 (35) A JUSTIÇA E A GRAÇA

Salmo individual de súplica. Compõe-se de uma parte sapiencial (1-5), onde se medita sobre a maneira como a maldade domina o homem mau e se instala no seu coração, e uma outra (6-12) em que o salmista exprime a sua fé em Deus como forma de vencer o mal.

1Ao director do coro. Do servo do SENHOR. De David.
2O ímpio tem a lei do pecado no coração.

Para ele não há temor de Deus.
3Ilude-se a si próprio,

para não descobrir nem odiar o seu pecado.
4As palavras da sua boca são falsas e mentirosas,

deixou de ser honesto e de fazer o bem.
5No seu leito maquina a iniquidade;

anda pelo mau caminho
e não quer renunciar ao mal.
13Eis como caem por terra os malfeitores,

abatidos, para não mais se levantarem.”

 

 

Advertisements

Sócrates, o defensor da vida?

Tanta hipocrisia tem que lhe fazer mal!

 

O inqualificável primeiro ministro português da actualidade foi à Assembleia Geral das Nações Unidas defender a abolição universal da pena de morte, no passado dia 25 de Setembro – segundo notícia do DN, foram executadas 1591 pessoas no ano de 2006.
O mesmo homem que defendeu publicamente a legalização das 20000 mortes/ano em resultado de aborto provocado, previstas pela Direcção-Geral de Saúde para os primeiros cinco após a aprovação da nova lei de despenalização.

 

aborto

 

Que imoralidade! Que incoerência! Que oportunismo!

“JESUS CONDENA A HIPOCRISIA

27. Ai de vocês, doutores da lei e fariseus hipócritas,! Vocês são como sepulcros caiados; por fora parecem bonitos, mas por dentro estão cheios de ossos mortos e podridão!
28. Por fora parecem justos diante dos outros, mas por dentro estão cheios de hipocrisia e injustiça.
…”. (Mateus 23)

“AS COISAS QUE DEUS DETESTA
16. Deus detesta seis coisas e uma sétima abomina:
17. olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,
19. coração que maquina planos perversos, pés que correm para a maldade,
…”. (Provérbios 6)

 

 

A pobreza envergonhada em Portugal…

é uma vergonha para os governantes deste país!

 

(actualizado em 18-10-2007)

 

Hoje de manhã, dia 5 de Outubro e feriado nacional comemorativo de uma (suposta) revolução libertária e igualitária para a nação, saí para tomar café com uma amiga de longa data.

Passeávamos um pouco, conversando, perto de um daqueles supermercados (ditos) de baixo preço, quando fomos envergonhadamente abordados por uma senhora de idade – mala e carteira abertas, vazias, nas mãos – que nos pediu baixinho: – os senhores… se calhar… não lhes seria muito pesado darem-me um euro, só um, para eu poder comprar um litro de leite… que eu não tenho… nada?

Eram genuínos o embaraço, a vergonha relutante em pedir; tanto como a angústia de nada ter para satisfazer a necessidade de comer. A minha amiga deu-lhe dois euros, um por cada um de nós. Mal agradeceu, a pobre senhora – certamente por não saber fazê-lo com aquele traquejo dos pedintes “profissionais” – e foi-se embora em silêncio e de cabeça baixa.

O meu coração ficou cheio de tristeza. Eu e a minha amiga ficámos a comentar que talvez lhe devêssemos ter dado mais… A nossa conversa anterior terminou sob o peso deste confronto com a dura realidade. Despedimo-nos.

Cheguei a casa, liguei o televisor (mais por hábito do que por interesse) e lá estavam eles: os senhores deste país, muito bem enfatuados e engravatados, com o seu ar importante, superior, sorridente o sr. José Sousa, mais sisudo o sr. Aníbal Silva – compreensivelmente, dada a perda recente do pai, que, apesar de tudo, tinha a provecta idade de 93 anos e , seguramente, nunca terá tido que pedir um euro por não ter que comer.

Foi então que senti a PROFUNDA REVOLTA que me trouxe a escrever este texto. Não é, contudo, a escrita que me consola: são estes particulares momentos que me fazem estar profundamente grato pela presença de Deus na minha vida. Procurei o consolo e a compreensão na Palavra de Vida:

Bem-aventuranças (Mt 5,1-12) – 20Erguendo os olhos para os discípulos, pôs-se a dizer:

«Felizes vós, os pobres,
porque vosso é o Reino de Deus.
21Felizes vós, os que agora tendes fome,
porque sereis saciados.
Felizes vós, os que agora chorais,
porque haveis de rir.
22Felizes sereis, quando os homens vos odiarem,
quando vos expulsarem,
vos insultarem
e rejeitarem o vosso nome como infame,
por causa do Filho do Homem.
23Alegrai-vos e exultai nesse dia,
pois a vossa recompensa será grande no Céu.
Era precisamente assim que os pais deles tratavam os profetas».

 

Imprecações

24«Mas ai de vós, os ricos,
porque recebestes a vossa consolação!
25Ai de vós, os que estais agora fartos,
porque haveis de ter fome!
Ai de vós, os que agora rides,
porque gemereis e chorareis!
26Ai de vós, quando todos disserem bem de vós!
Era precisamente assim que os pais deles tratavam os falsos profetas».”

 

 

Nota de actualização:

Os meus visitantes mais assíduos devem ter reparado que este post foi súbita e quase brutalmente modificado no passado dia 8 de Outubro, pouco tempo após ter sido escrito. Alguns ter-se-ão mesmo perguntado por que razão foi retirada a parte final da transcrição do evangelho de Lucas, aquela exactamente que falava de perdão. O que vou aqui descrever manteve-me em estado de perplexidade e incredulidade durante todo este tempo, mas é a verdade e não há volta a dar-lhe.

No referido dia 8 de Outubro o Senhor meu Deus ordenou-me, de forma clara, peremptória, inequívoca e até dolorosa que apagasse deste post a já referida transcrição do texto de Lucas (cap. 6, vers. 27 a 38), nos seguintes termos: “Não te autorizo a usar aqui a palavra de perdão”. Obedeci, não por ser um modelo de obediência, mas porque a pressão era insuportável.

Obedeci mas não percebi. Parecia um contra-senso. Perguntava insistentemente: “Mas afinal não é esta a grande lição do cristianismo – ser capaz de perdoar mesmo aqueles que são nossos inimigos?”. O Senhor demorou algum tempo a responder ou, mais provavelmente, eu demorei algum tempo até conseguir ouvir a resposta. Ei-la: “Não és tu que perdoas os pecados. Sou Eu. É a Minha Palavra, não a tua. E Eu te proíbo de usares a Minha Palavra de perdão nesta circunstância”.

Tudo isto que aqui escrevo vai ser completamente ignorado pelos tais senhores importantes, que vão continuar a exibir a sua grande importância, inebriados pelo poder e alheios ao sofrimento dos pobres e humildes. Para mim e para todos os meus irmãos em Cristo o significado deste decreto é terrível. Mas, como todos os espertos deste mundo sabem, os cristãos são tolos…

Sabedoria do mundo e loucura da cruz – 17 Na verdade, Cristo não me enviou a baptizar, mas a pregar o Evangelho, e sem recorrer à sabedoria da linguagem, para não esvaziar da sua eficácia a cruz de Cristo.

18 A linguagem da cruz é certamente loucura para os que se perdem mas, para os que se salvam, para nós, é força de Deus. 19 Pois está escrito:
Destruirei a sabedoria dos sábios
e rejeitarei a inteligência dos inteligentes.

20 Onde está o sábio? Onde está o letrado? Onde está o investigador deste mundo? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?

21 Pois, já que o mundo, por meio da sua sabedoria, não reconheceu a Deus na sabedoria divina, aprouve a Deus salvar os que crêem, pela loucura da pregação.

22 Enquanto os judeus pedem sinais e os gregos andam em busca da sabedoria, 23 nós pregamos um Messias crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os gentios. 24 Mas, para os que são chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é poder e sabedoria de Deus.

25 Portanto, o que é tido como loucura de Deus, é mais sábio que os homens, e o que é tido como fraqueza de Deus, é mais forte que os homens.

26 Considerai, pois, irmãos, a vossa vocação: humanamente falando, não há entre vós muitos sábios, nem muitos poderosos, nem muitos nobres.

27 Mas o que há de louco no mundo é que Deus escolheu para confundir os sábios; e o que há de fraco no mundo é que Deus escolheu para confundir o que é forte.

28 O que o mundo considera vil e desprezível é que Deus escolheu; escolheu os que nada são, para reduzir a nada aqueles que são alguma coisa.

29 Assim, ninguém se pode vangloriar diante de Deus. 30 É por Ele que vós estais em Cristo Jesus, que se tornou para nós sabedoria que vem de Deus, justiça, santificação e redenção, 31 a fim de que, como diz a Escritura, aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.”

Portugal governado por pinóquios?

Tanta mentira, até parece mentira! Mas, infelizmente, é verdade.

 

Não terá sido por acaso que a folha informativa digital Agência Financeira colocou estes dois artigos juntinhos, em destaque. Vejamos:

1º. “Governo diz que o país recuperou a capacidade de criar emprego
2007/09/24 17:51Rui Pedro Vieira
O país recuperou a sua capacidade para criar emprego, disse esta segunda-feira o secretário de Estado do Emprego e Formação Profissional.
«Neste momento, a economia portuguesa está a criar empregos no ponto de vista líquido e recuperou a sua capacidade de o fazer», disse Fernando Medina aos jornalistas, à margem da Feira Europeia do Emprego que decorreu no Fórum Picoas, em Lisboa, com vista a promover a mobilidade profissional na União Europeia.
… (continuar a ler)”.

 

2º. “Desemprego aumenta em Portugal para 8,3% em Agosto
2007/10/02 12:08Editorial / Lusa/ SPP
Portugal é um dos três países da União Europeia em que o desemprego aumentou em Agosto face a igual mês de 2006.
Isso significa que, está a contrariar a tendência verificada no conjunto da UE, segundo os dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat, avança a «Lusa».
… (continuar a ler)”.

 

150.000 novos empregos

 

A nação está farta de mentiras, de enganos, de embustes, de aldrabices. Eu também.

 

“24Por isso é que Deus, de acordo com os apetites dos seus corações, os entregou à impureza, de tal modo que os seus próprios corpos se degradaram. 25Foram esses que trocaram a verdade de Deus pela mentira, e que veneraram as criaturas e lhes prestaram culto, em vez de o fazerem ao Criador, que é bendito pelos séculos! Ámen.” (Romanos 1)

 

“10Pois quem quer ter amor à vida
e ver dias felizes,
refreie a sua língua do mal
e os seus lábios de palavras enganosas;
11aparte-se do mal e pratique o bem,
busque a paz e corra atrás dela.
12Porque os olhos do Senhor fixam-se nos justos
e os ouvidos do Senhor estão atentos às suas súplicas;
mas o seu rosto volta-se contra os que fazem o mal.”
(1ª Pedro 3)

 

Pós-texto (actualização em 2-10-2007):

Para saber a verdade “dos números” – os dados estatísticos do INE – sobre a “criação” de emprego em Portugal por este governo, leia o artigo de fundo de Luís Reis Ribeiro, no Diário Económico, Porque sobe o desemprego e em que profissões.